10

Estava lendo uma resposta aqui no SOpt (sim, é jocoso) e vi sobre Bloom Filter, queria mais informações sobre ele. Além do que é e para que serve, onde posso usar na prática?

  • @LeoCaracciolo sim. – Maniero 23/06 às 19:49
  • eu tinha imaginado que sim :-) – Leo Caracciolo 23/06 às 19:52
  • até eu fiquei na curiosidade e fui procurar a respeito. o link psafe.com/blog/o-que-e-bloom-filter parece tirar 99% das duvidas sobre bloom filter de forma bem didatica. da uma olhada la – Alexandre Guerreiro 24/06 às 1:11
  • pois é cara, eu fui em busca do assunto também. Inicialmente não faz sentido nenhum ter uma estrutura que usa um hash probabilístico impreciso e com perda de desempenho no aumento do hash. Só fazendo o estudo assintético para ver se gera benefício em hashes pequenos. Ou isto, ou auxilia aplicações específicas que precisam eliminar os falsos negativos a qualquer custo. É de se pensar. – Breno Zanchetta 24/06 às 6:41

1 Resposta 1

6

Bloom filter é uma estrutura de dados criada em 1970 por Burton Howard Bloom (daí o nome bloom filter)

Ele é uma estrutura probabilística com as seguintes propriedades:

  • Possui eficiência de espaço

  • Permite falsos-positivos

  • Não permite falsos-negativos

  • Elementos podem ser adicionados ao filtro

  • Uma vez adicionados no filtro, elementos não podem ser removidos

  • Quanto mais itens dentro do filtro, maior a chance de haver falsos-positivos

  • São baseados em:

    • Funções de hash
    • Bit fields
  • Para um bom funcionamento são essenciais:

    • Diversas funções de hash
    • Espalhamento uniforme

Exemplo de aplicação pratica:

O seu browser verifica todos os endereços que você acessa para determinar se é um endereço seguro e poder te dar um aviso caso não seja.

  • Há bilhões de endereços na Internet.
  • Podemos supor com uma boa margem de segurança que dentre eles há alguns milhões de sites fraudulentos.
  • Seria ineficiente fazer com que todos os computadores do mundo fizessem download de uma lista completa de sites fraudulentos.
  • Também não seria muito eficiente checar um banco de dados central a cada endereço que fosse acessado.
  • O browser faz download de um filtro de Bloom contendo todos os sites reconhecidos como inseguros
  • A cada endereço acessado, o browser verifica se ele está contido no filtro.
  • Se a consulta ao filtro indicar que o endereço não está contido, então com certeza o endereço não está na lista de sites inseguros e o acesso continua normalmente.
  • Se o filtro indicar que está contido, então pode ser que site esteja na lista de endereços inseguros. Neste caso o seu browser faz uma consulta adicional a um banco de dados na Internet (esta sim com a lista completa)
  • Note que caso seja um falso positivo, a única consequência é uma demora um pouco maior para acessar o site desejado.

Outras aplicações:

  • Verificação preliminar de direitos de acesso
  • Evitar recomendar artigos/páginas que o usuário não gostou ou já leu
  • Evitar leituras no disco em bancos de dados
  • Verificar senhas fracas
  • Corretores ortográficos
  • Dentre outros

Fonte: https://www.ic.unicamp.br/~francesquini/mc202/files/aula26.pdf

  • Diga-se de passagem que esse slide citado é muito ruim... o conteúdo pode até não ser, mas é complicado ler com aquela imagem de fundo e esquema de cores. Tirando isso achei interessante o assunto... Muito boa resposta. – Bruno Warmling 30/06 às 1:46

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.