2

Eu tenho uma classe chamada GerenciadorServerSocket:

@Service
public class GerenciadorServerSocket {

    private CopyOnWriteArrayList<Integer> portasUsadas = new CopyOnWriteArrayList<>(new ArrayList<>());

    public boolean isPortaUsada(Integer port){
        return this.portasUsadas.contains(port);
    }

    public void addPorta(Integer port){
        this.portasUsadas.addIfAbsent(port);
    }
}

Quando minha aplicação é levantada, via spring boot, ela é injetada na minha classe SocketHandler, que é injetada na minha classe de inicialização chamada ApplicationRunnerAdapter:

@Component
public class ApplicationRunnerAdapter implements ApplicationRunner{

    private final TerminalService terminalService;
    private final SocketHandler socketHandler;

    @Autowired
    public ApplicationRunnerAdapter(TerminalService terminalService, SocketHandler socketHandler){
        this.terminalService = terminalService;
        this.socketHandler = socketHandler;
    }

    @Override
    public void run(ApplicationArguments args){
        List<Terminal> terminais = terminalService.findAllByStatusAndEmpresaStatus(TerminalStatus.ATIVO, EmpresaStatus.HOMOLOGACAO);
        terminais.forEach(terminal -> new Thread(new SocketServerChannel(terminal, terminalService, socketHandler)).start());
    }
}

Quando o Runner está pronto, será executado o método run, que busca uma lista de objetos do banco de dados para criar vários servidores sockets.

Classe SocketServerChannel:

public class SocketServerChannel implements Runnable {

    private Logger logger = LoggerFactory.getLogger(this.getClass());

    private final TerminalService terminalService;
    private final SocketHandler socketHandler;
    private final Terminal terminal;

    public SocketServerChannel(Terminal terminal, TerminalService terminalService, SocketHandler socketHandler){
        this.terminal = terminal;
        this.terminalService = terminalService;
        this.socketHandler = socketHandler;
    }

    @Override
    public void run(){
        try {
            AsynchronousServerSocketChannel serverChannel = createSocketChannel();
            while(serverChannel != null && serverChannel.isOpen()){
                Future<AsynchronousSocketChannel> acceptFuture = serverChannel.accept();
                if (acceptFuture != null){
                    AsynchronousSocketChannel socketChannel = acceptFuture.get();
                    logger.info("Chegou conexão socket. Ip: "+socketChannel.getLocalAddress().toString()+"  "+socketChannel.getRemoteAddress().toString());
                    new Thread(new SocketClientChannel(getProtocolo(this.terminal), getPort(this.terminal), socketChannel, serverChannel, socketHandler, terminalService)).start();
                }
            }
        }catch (Exception e){
            e.printStackTrace();
        }
    }

    private AsynchronousServerSocketChannel createSocketChannel() throws IOException {
        Integer port = getPort(this.terminal);
        if (port == null || socketHandler.isPortaUsada(port)){
            logger.error("Porta "+port+" já está em uso! Favor, utilizar outra.");
            return null;
        }
        socketHandler.addPortaUtilizada(port);
        logger.info("Criando conexão socket na porta: "+port);
        return AsynchronousServerSocketChannel.open().bind(new InetSocketAddress("10.1.1.150", port)); //TODO tocar host name
    }

}

Nessa classe é onde vem o meu problema, pois alguns objetos podem vir com portas repetidas e ele não pode mais abrir uma conexão socket para aquela mesma porta. Eu tenho uma classe chamada SocketHandlerque lida com todas as operações de escrita do socket, e nela também, eu verifico se a porta já está em uso ou não. Essa classe possui todos os métodos sincronizados e ela é instanciada apenas uma vez, na inicialização do sistema, lá na minha classe ApplicationRunnerAdapter.

Classe SocketHandler:

@Service
public class SocketHandler implements SocketCallBackHandler {

    @Override
    public synchronized boolean isPortaUsada(Integer porta) {
        Objects.requireNonNull(porta);
        return this.gerenciadorServerSocket.isPortaUsada(porta);
    }

    @Override
    public synchronized void addPortaUtilizada(Integer porta) {
        Objects.requireNonNull(porta);
        this.gerenciadorServerSocket.addPorta(porta);
    }
}

Como pode ser visto, os métodos estão como sincronizados, ou seja, várias threds esperariam o bloco ser executado para assim então, pode executar. Acontece que, mesmo com essas verificações, ele está tentando criar portas que já estão em uso.

Onde eu estou errando?

  • Você já experimentou tornar sincronizado o método createSocketChannel()? – StatelessDev 24/01 às 10:34
  • Não sei se faria sentido pois o createSocketChannel()está dentroda prórpia thread, então acredito que ficaria syncronizado dentro de cada thread, e não compartilhado. Certo? – Cristiano Bombazar 24/01 às 10:55
2
+50

Temos uma situação multitarefa:

terminais.forEach(terminal -> new Thread(new SocketServerChannel(terminal, terminalService, socketHandler)).start());

Mas a forma de tratar essa situação, torna esse código em uma bomba relógio:

private AsynchronousServerSocketChannel createSocketChannel() throws IOException {
        Integer port = getPort(this.terminal);
        if (port == null || socketHandler.isPortaUsada(port)){
            logger.error("Porta "+port+" já está em uso! Favor, utilizar outra.");
            return null;
        }
        //-->estopim!!! acenda o pavio da bomba aqui<--
        socketHandler.addPortaUtilizada(port);
        logger.info("Criando conexão socket na porta: "+port);
        return AsynchronousServerSocketChannel.open().bind(new InetSocketAddress("10.1.1.150", port)); //TODO tocar host name
    }

Entre a chamada de socketHandler.isPortaUsada(port) e socketHandler.addPortaUtilizada(port) o sistema operacional pode agendar a thread para executar em outro momento, ou as threas foram executadas em paralelo, e chegaram na mesma conclusão.

Isso quer dizer que mil coisas podem ter acontecido, e a condição que tinha sido estipulada, já não é mais verdadeira.

Para resolver o problema, é necessário um método em que isPortaUsada e addPortaUtilizada sejam uma operação atômica.

synchronized boolean addPortaUtilizadaAtomicamente(Integer port) {
    if(isPortaUsada(port)) { return false; }
    addPortaUtilizada(port);
    return true;
}

Metaforicamente, torne o seu código numa bomba atômica.

  • Acabei chegando a essa mesma conclusão, irei colocar sua resposta como a correta. Mas porque você acha que o código seria uma bomba relógio? – Cristiano Bombazar 30/01 às 12:13
  • Quando existem bugs no manejo de threads, o programa pode funcionar corretamente na primeira vez, quando o programador interage com o programa. O bug costuma aparecer quando o usuário começa a usar o programa. Resumindo, é questão de tempo. – Marcos Zolnowski 30/01 às 17:32
  • Ah. entendi. Felizmente, peguei o problema em tempo de desenvolvimento. Em relação ao uso da sincronização dos métodos, você acha que ficou bem arquitetado? No caso, não terá problemas de concorrencia? – Cristiano Bombazar 30/01 às 17:52
  • Eu moveria a sincronização para a classe GerenciadorServerSocket, ela que tem o papel de cuidar das portas. Quanto a SocketHandler, eu removeria os métodos isPortaUsada,addPortaUtilizada, e adicionaria o método getGerenciadorServerSocket(), porque isso nem é problema dele, então não faz sentido ele ficar intermediando tudo. – Marcos Zolnowski 30/01 às 18:15

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.