1

Tô com uma dúvida em duas questões a respeito do conteúdo de análise algoritmos.


Questões

  1. Em ciência da computação, um algoritmo é uma sequência finita de ações executáveis que visam obter uma solução para um determinado tipo de problema. Análise os itens abaixo.

    I. Para definir o melhor (mais rápido) entre dois algoritmos é necessário implementar ambos e realizar testes.

    II. O tempo de execução de um algoritmo depende, exclusivamente, das operação contidas no mesmo.

    III. Através da contagem de operações processadas por dois algoritmos é possível determinar qual o mais eficiente.

    IV. O tempo de execução de um algoritmo pode depender dos valores de entrada do mesmo.

Na minha análise, eu compreendo que o tempo de execução de um algoritmo, não depende, exclusivamente, das operações contidas nele. Neste caso, eu acredito que o item II esteja incorreto. Talvez, eu esteja errado, mas eu acredito que os outros três itens estejam corretos. No gabarito, apenas dois itens estão corretos e não consigo chegar a resposta.

  1. Dado três algoritmos. A = 50n+10 operações; B = n​²​+15 operações; C = 1000​log​2​n+200 operações. Julgue os itens a seguir.

    I ­ O algoritmo A é mais eficiente para entradas com tamanho maior do que 80.

    II ­ O algoritmo A é o mais indicado para tamanho da entrada menor do que 150.

    III ­ O algoritmo B é o mais indicado para tamanho de entrada maior do que 80.

    IV. ­ O algoritmo B é indicado para tamanho de entrada menor do que 50.

    V. ­ O algoritmo C é melhor para tamanho de entrada entre 50 e 150.

    VI. ­ O algoritmo C possui a menor taxa de crescimento.

Na minha análise sobre à questão dois, o item VI está correto e o item, mas os outros itens acabam confundido, pois, não consigo identificar se um é melhor ou pior que o outro.


Essas são minhas dúvidas, se alguém pode me ajudar pode ser com material também de apoio, estou estudando por questão de conhecimento mesmo, e acho muito importante para um analista em formação compreender sobre o processo de complexidade dos algoritmos.

  • Traçar um gráfico no Excel com as três fórmulas vai te ajudar a visualizar as respostas, creio eu. – epx 17/12/18 às 0:09
5

I. Para definir o melhor (mais rápido) entre dois algoritmos é necessário implementar ambos e realizar testes.

Considerando que isso é uma pergunta sobre análise de algoritmos, se você tiver eles apenas rascunhados num papel em pseudocódigo, você consegue determinar a complexidade deles. Se um deles for O(n), enquanto o outro é O(n²), você não precisa implementá-los e rodá-los em uma máquina real para saber qual é o mais rápido. Logo, isso é falso.

II. O tempo de execução de um algoritmo depende, exclusivamente, das operaç[ões] contidas no mesmo.

IV. O tempo de execução de um algoritmo pode depender dos valores de entrada do mesmo.

A afirmação IV já mostra o porquê da II ser falsa. Obviamente que os valores de entrada influenciam diretamente o tempo de execução de um algoritmo. Aliás, normalmente o tempo de execução é dado como uma função dos valores ou do tamanho da entrada. Logo, a II é falsa e a IV é verdadeira.

III. Através da contagem de operações processadas por dois algoritmos é possível determinar qual o mais eficiente.

Se um der O(n) e o outro O(n²), fica claro qual é o mais eficiente. Logo, isso é, em geral, verdadeiro. Uma análise mais refinada tal como 50n + 10 ou 48n + 30 operações também serve para responder isso. Logo isso daí é verdadeiro. E é exatamente sobre isso que a segunda questão diz.

Em que intervalos o algoritmo A é mais eficiente que o B?

Para saber isso, vamos ver o ponto onde ambos se encontram. Ou seja, onde 50n + 10 = n² + 15:

50n + 10 = n² + 15
0 = n² − 50n + 15 − 10
n² − 50n + 5 = 0
n = (50 ± sqrt(50² − 4 × 1 × 5)) / (2 × 1)
n = (50 ± sqrt(2500 − 20)) / 2
n = (50 ± sqrt(2480)) / 2
n = (50 ± 49.8) / 2
n' = (50 − 49.8) / 2
n' = 0.2 / 2
n' = 0.1
n" = (50 + 49.8) / 2
n" = 99.8 / 2
n" = 49.9

O que isso significa? Como a equação calculada foi y = n² − 50n + 5, temos que isso é o tempo do B menos o tempo do A. Logo, se for negativo, o B é mais rápido. Se for positivo, o A é mais rápido. Se isso der zero, os dois têm o mesmo desempenho. Os pontos onde os dois têm o mesmo desempenho (as raízes da equação) ocorrem com entradas de tamanho 0.1 e 49.9.

A concavidade da parábola resultante é voltada para cima, logo, na maioria dos casos (os que estão além das raízes), o B demora mais. Nos demais casos (entre as raízes), o A demora mais. Logo, o B é mais rápido para entradas de tamanho 1 a 49. Enquanto que o A é mais rápido para as entradas de tamanho 0 ou maior ou igual a 50. Prova disso é que:

A: 50 × 0 + 10 = 10 (mais rápido)
B: 0² + 15 = 15

A: 50 × 1 + 10 = 60
B: 1² + 15 = 16 (mais rápido)

A: 50 × 49 + 10 = 2460
B: 49² + 15 = 2416 (mais rápido)

A: 50 × 50 + 10 = 2510 (mais rápido)
B: 50² + 15 = 2515

Agora, façamos o mesmo para o A em comparação ao C:

50 n + 10 = 1000​ log​2(​n) + 200

Infelizmente, achar a raiz dessa equação é algo complicado. O mesmo acontece ao comparar B com C. O problema da questão 2 necessita que os tempos de A, B e C sejam todos comparados, e embora você possa utilizar equações para achar uma resposta, tal como ao comparar A com B, em muitos casos, encontrá-las pode ser algo difícil e/ou trabalhoso.

No entanto, podemos utilizar um programinha e montar uma tabela de valores para nos ajudar:

function log2(x) {
    return x == 0 ? 0 : Math.log(x) / Math.log(2);
}

for (var n = 0; n <= 600; n++) {
    var a = 50 * n + 10;
    var b = n * n + 15;
    var c = 1000 * log2(n) + 200;

    // Para exibir o c com duas casas decimais se não for inteiro.
    var cx = Math.round(c * 100) + "";
    cx = c % 1 === 0
        ? c
        : cx.substring(0, cx.length - 2) + "," + cx.substring(cx.length - 2);

    var melhor = ""
    if (a <= b && a <= c) melhor += "A";
    if (b <= a && b <= c) melhor += "B";
    if (c <= a && c <= b) melhor += "C";

    var tr = $("<tr></tr>");
    $("<td>" + n + "</td>").appendTo(tr);
    $("<td>" + a + "</td>").appendTo(tr);
    $("<td>" + b + "</td>").appendTo(tr);
    $("<td>" + cx + "</td>").appendTo(tr);
    $("<td>" + melhor + "</td>").appendTo(tr);
    $("#t").append(tr);
}
td, th {
    border-color: black;
    border-width: 1px;
    border-style: solid;
}

table {
    border-spacing: 0;
}
<script src="https://cdnjs.cloudflare.com/ajax/libs/jquery/3.3.1/jquery.min.js"></script>
<table id="t">
    <tr>
        <th>N</th>
        <th>A</th>
        <th>B</th>
        <th>C</th>
        <th>Melhor</th>
    </tr>
</table>

Nesse programa, há uns poréns quanto à função logaritmo. Essa função produz zero quando a entrada é 1 e produz valores negativos para entradas no intervalo [0, 1), indo a −∞ quando a entrada é 0. Para resolver isso, vamos considerar que a saída seja zero quando a entrada é zero, vez que tempo de execução negativo não existe.

Assim, olhando para a tabela, temos que:

  • Para N = 0, o A é o melhor.
  • Para 1 ≤ N ≤ 49, o B é o melhor.
  • Para 50 ≤ N ≤ 147, o A é o melhor.
  • Para N ≥ 148, o C é o melhor.

Logo:

I.­ O algoritmo A é [o] mais eficiente para entradas com tamanho maior do que 80.

Falso. Isso só é válido para os casos onde a entrada está entre 50 e 147. A partir daí, o C é o mais eficiente.

II.­ O algoritmo A é o mais indicado para tamanho da entrada menor do que 150.

Falso. Para entradas de tamanho até 49, o B é o melhor. Para uma entrada de tamanho 148 ou 149, o C é melhor.

III.­ O algoritmo B é o mais indicado para tamanho de entrada maior do que 80.

Falso. Só é o melhor quando a entrada tem tamanho menor que 50.

IV. O algoritmo B é indicado para tamanho de entrada menor do que 50.

Verdadeiro desde que você desconsidere o caso N = 0 (que em vários tipos de algoritmos, é algo que não existe).

V. O algoritmo C é [o] melhor para tamanho de entrada entre 50 e 150.

Falso. O A é o melhor quando a entrada está entre 50 e 147.

VI. O algoritmo C possui a menor taxa de crescimento.

Verdadeiro. É por esse motivo que a partir de um certo ponto (N ≥ 148), ele sempre é melhor do que os outros algoritmos. Por taxa de crescimento, você pode entender como derivada:

  • A: d(50x + 10) = 50.
  • B: d(x² + 15) = 2x.
  • C: d(1000 log2(x) + 200) = 1000 × 1 / (x × ln(2)) = 1442.7 x−1.

Observe o grau de cada uma das expressões. O grau da derivada de A é 0. O grau da derivada de B é 1. O grau da derivada de C é −1. Quanto menor o grau da derivada, menor é a taxa de variação.

No entanto, você nem precisa olhar para a derivada para ver que a taxa de crescimento de C é menor. Basta saber que uma função quadrática (B) cresce mais rápido que uma função linear (A), que por sua vez cresce mais rápido que uma função logarítmica (C). E portanto:

  • Quadrático = O(n²).
  • Linear = O(n).
  • Logarítmico = O(log n).

E com isso, você nem precisa olhar o resto para ver qual cresce a uma taxa maior ou menor. Só teria que fazer isso se fosse para comparar duas funções da mesma classe (duas quadráticas diferentes, por exemplo).

  • Que luz, Victor. Obrigado! – Igor Alisson 17/12/18 às 13:48

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.