3

Considere a implementação básica do padrão Strategy.

public class Context{
  private Strategy strategy;
}

public interface Strategy{
  void algoritmo();
}

public class ConcreteStrategyA implements Strategy{
  void algoritmo(){
    // algoritmo A
  }
}

public class ConcreteStrategyB implements Strategy{
  void algoritmo(){
    // algoritmo B
  }

A dúvida refere-se ao seu uso, ou seja, como instanciar os objetos ConcreteStrategyA e ConcreteStrategyB?

Penso na seguintes alternativa: crio o objeto, em uma camada de controle, por exemplo, e repasso para a classe Context, na qual invoca o método (polimórfico algoritmo()). Mas como saber qual o objeto correto instanciar? Teria que fazer uma lógica (uso de if/else) para identificar o objeto correto. Mas dessa forma, fazendo uso de estruturas de condição, eu estaria criando um problema que o padrão Strategy procura resolver. Correto?

Para deixar mais claro, suponha o seguinte cenário: possuo uma classe CalculadoraDeTarifas (Context), ela recebe o tipo de veículo (carro, moto, etc) e um período de tempo. Suponha ainda que tenho um Strategy TarifaStrategy que é a interface para DiariaMoto, DiariaCarro, PorHoraMoto, PorHoraCarro, MensalidadeMoto, MensalidadeCarro, etc.

Considere agora que preciso passar que uma moto permaneceu por um período de 15 horas. Nesse caso, como uma das regras é que, quando o período for superior a 12 horas é cobrado uma "Diária", para moto. Esse cálculo deveria estar no algoritmo() de DiariaMoto, correto? Se sim, como fazer com que ele seja executado?

  • Alguma das respostas resolveu sua dúvida? Acha que pode aceitar uma delas? Veja o tour como fazer isso, se ainda não o fez. Você ajudaria a comunidade identificando qual foi a melhor solução para você. Pode aceitar apenas uma delas. Mas pode votar em qualquer pergunta ou resposta que achar útil no site todo. – Maniero 12/03/19 às 0:28

2 Respostas 2

4

Eu tenho uma palestra que falo sobre o mal uso dos chamados design patterns. O primeiro problema é que as pessoas não sabem o que são so tais DPs, e para quem servem, ponde podem ser aplicados, o que pode ser chamado de DP e que eles estão por toda parte, até onde você não os vê. O segundo problema é que as pessoas os estudam, aprendem a solução e aí procuram um problema para aplicá-lo. Isto está errado, você deve ter um problema e achar a melhor solução para ele. Por acaso pode ser um dos DPs.

Se você não sabe como aplicar o padrão de projeto Strategy é porque não precisa dele. Pelo menos não onde está pensando em usar. Se ele é adequado o seu uso é natural e não precisa de seletores, você cria um objeto de acordo com uma demanda e nele passa a estratégia a ser usada, o padrão é só isto. Dependendo do contexto da aplicação será uma estratégia diferente. Eventualmente se chega neste contexto com um if ou switch, mas isso é tangencial e secundário, não é o que define a estratégia a ser usada e sim como operar adequadamente naquele contexto.

Com uma pergunta não muito clara não dá para saber o que é mais adequado. Para uma decisão adequada precisa entender todos os requisitos e conhecer toda organização da aplicação. DP não pode ser usado como uma receita de bolo sem contexto. A pergunta fala em estratégias de veículos diferentes, nem sei se faz sentido usar este DP em um caso assim.

Pra falar a verdade eu duvido que seja o caso de usar o Strategy aí. Me parece que existe um objeto completamente diferente que deve tratar das tarifas, não faz o menor sentido tentar enfiar a tarifa dentro da moto ou carro. Há uma relação entre a tarifa e o veículo e o tempo usado, mas não é o mesmo objeto, uma tarifa é uma propriedade de um veículo, a não ser que a classe específica do veículo sequer seja um veículo e está mal nomeada.

Aí vem a crítica que eu faço à orientação a objeto. Se as pessoas não conseguem dar nomes certos e classificar os objetos corretamente, não tem metodologia ou paradigma que faça o software ser bem escrito. Sem bom entendimento de ontologia e taxonomia não dá para programar OO. Este código parece falhar nesses pontos, então qualquer penduricalho que tente colocar no código já é errado porque está usando uma base errada.

Eu não garanto essas coisas que eu estou colocando aqui porque a pergunta não é clara. Quando não se tem clareza do problema ao ponto de não conseguir descrever o problema em português é mais complicado escrever em Java ou outra linguagem. Todas soluções tem potencial de serem erradas, usando DP ou não.

A outra resposta diz como usar o Strategy DP, mas não diz que isto é o certo a se fazer e espero que não ache que é. Esta forma viola a coesão obrigando uma classe cuidar de coisas que não lhe dizem respeito.

Outro erro conceitual é colocar o Strategy como meio temporário de realizar algo. Este DP foi criado para criar objetos que terá a mesma estratégia por todo seu tempo de vida e não mudar conforme a situação. Novamente, isto até poderia ser o certo se aquilo não for um veículo e sim uma finalização de estadia de um veículo, que é completamente diferente de ser um veículo ou mesmo uma estadia.

A maioria dos problemas que lidamos é sobre composição e OOP manda fazer herança, polimorfismo ou agrupar coisas no mesmo objeto, por isso OOP não funciona bem na maioria dos casos que as pessoas acham que ela é a solução.

2

Mas dessa forma, fazendo uso de estruturas de condição, eu estaria criando um problema que o padrão Strategy procura resolver. Correto?

Sim e não.

A utilização da pattern strategy é disponibilizar uma interface para uma família de algoritmos. O cliente não se importa com a implementação da interface desde que ela esteja de acordo com a interface. Nesse sentido, sim, o pattern strategy procura evitar a necessidade de escolha de uma implementação diretamente na classe que deseja chamar o algoritmo.

Porém, eventualmente temos que inevitavelmente tomar uma decisão sobre qual implementação instanciar. Aí fica um pouco difícil fugir de ifs. Nesse caso, sugiro duas abordagens:

  • usar a pattern factory. Ela tem por objetivo isolar o processo de criação de objetos. Você pode informar o tipo de veículo e período e ela te retorna o algoritmo adequado. Você ainda termina com uma sequência de if/else ou case/switch, porém, elas estão encapsuladas dentro dessa classe.
  • se sua condição de escolha do algoritmo for uma classe, você pode colocar um método que instancia a devida implementação do algoritmo para aquela classe.
public interface ICalculoTarifa {
  void calcularTarifa();
}

public interface CalculoTarifaCarro implements ICalculoTarifa {
  public void calcularTarifa(){ 
    //implmentação
  }
}

public interface CalculoTarifaMoto implements ICalculoTarifa {
  public void calcularTarifa(){ 
    //implmentação
  }
}

public interface IVeiculo {
  IAlgoritmo getCalculoTarifa();
}

public interface Carro implements IVeiculo {
  public IAlgoritmo getCalculoTarifa(){
    return new CalculoTarifaCarro();
  }
}

public interface Moto implements IVeiculo {
  public IAlgoritmo getCalculoTarifa(){
    return new CalculoTarifaMoto();
  }
}

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.