4

Seria vantajoso utilizar vários paradigmas em um projeto no C++? Por exemplo, em determinada parte do código eu uso reactive programming, em outras partes eu utilizo OOP, e em outra eu utilizo programação funcional. Enfim, existe algum problema em fazer isso? Eu poderia me deparar com eventuais problemas no código futuramente?

6

Sabendo o que está fazendo sempre é, não sabendo, usar um só já é muito :) E as pessoas usam o tempo todo vários deles. É comum algumas equipes proibirem certos padrões e em parte paradigmas na sua base de código, especialmente em C++ as pessoas tendem a trabalhar com um subset da linguagem.

Entenda que quase o tempo todo você estará programando imperativamente, querendo ou não. Hoje C++ tem uma capacidade maior de ser um pouco funcional, e muitos estão optando por esta forma também, mas é só auxiliar, ela nem consegue ser totalmente funcional, uma linguagem não pode ter esses dois paradigmas por completo ao mesmo tempo.

Ela tem vários outros paradigmas secundários, e hoje a meta programação não só parece ser a mais forte, como é a tendência. A orientação a objeto também é usada, mas há quem pregue que seu uso seja evitado. Estão colocando contratos, eventos e programação reativa, só para citar alguns dos secundários.

O problema não é usar junto, é usar sem entender o que está fazendo, aí tudo pode dar errado futuramente.

  • 3
    Apenas para corroborar com a mistura de paradigmas, onde trabalho codificamos em Java e migramos praticamente todas as nossas iterações de coleções para um modelo mais funcional. Isso permitiu ver alguns pontos importantes de otimização que não víamos no modelo imperativo e permitiu muita limpeza devido a OO-zismos mal-feitos e extrapolados (além de que, esteticamente, ficou mais bonito de se ler e mais prazeroso de se escrever). Também serviu para corrigir pontos de falha no código que passaram despercebidos, como operações em objetos imutáveis sem guardar o retorno. – Jefferson Quesado 3/12/18 às 3:14
  • Mas mantivemos o grosso no modelo imperativo e onde calhava mantivemos uma "pegada mais OO" – Jefferson Quesado 3/12/18 às 3:15
  • 1
    "OO-zismos mal-feitos e extrapolados" é o que mais tem nos códigos por aí. – Maniero 3/12/18 às 11:24

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.