1

Tem alguma quantidade máxima, que uma variável do tipo char suporta de caracteres?

Por exemplo, eu poderia usar char texto[1000];?

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>
#include <locale.h>

int main(){

    setlocale(LC_ALL, "Portuguese");

    FILE *file;
    file = fopen("copyright.txt", "r");

    char pagina1[928];

    while(fgets(pagina1, 928, file) != NULL){
        printf("%s", &pagina1);
    }
    fclose(file);
return 0;
}
  • Não sei se entendi a pergunta, pode tentar deixar mais claro. Não vejo alguma dúvida, só afirmação ou obviedade (pra mim). – Maniero 22/11/18 às 18:08
  • Minha dúvida, é se tem alguma quantidade máxima, que uma variável do tipo char suporta de caraceteres. – Paulo Sergio G.M. Filho 22/11/18 às 18:10
  • Pois o programa não está querendo ler o arquivo .txt – Paulo Sergio G.M. Filho 22/11/18 às 18:11
  • 2
    printf("%s", &pagina1); tire esse & daí - deixe só printf("%s", pagina1); – jsbueno 22/11/18 às 18:14
  • Leu normal corrigindo o ponteiro a ser exibido: repl.it/@acwoss/EarlyRashCustomer – Woss 22/11/18 às 18:16
3

O tipo char tem sempre tamanho de 1 byte, e portanto um caractere, desde que seja uma codificação single byte (o char não suporte caracteres multibyte).

Uma sequência de char pode ter a quantidade máxima de bytes disponíveis no endereçamento permitido pelo sistema operacional e que esteja livre naquele momento, porém dependendo de onde esta sequência esteja alocada pode ser um problema.

No seu exemplo está alocando no stack, que em condições normais, dependendo do sistema operacional, tem 1 MB disponível apenas, para toda aplicação. Ela é uma memória bastante dinâmica (para minha tristeza muitos a consideram estática) e seu gerenciamento é automático, então a parte usada efetivamente cresce e decresce frequentemente, mas não convém abusar, se for alocar vetores muitos grandes é melhor optar pelo heap, a não ser que saiba bem o que está fazendo ou entenda os truques para crescer o stack além do tamanho padrão, entendendo as consequências disto. 1KB ou menos não é para ser problema em um exemplo simples assim, poderia se tivesse uma chamada recursiva, ou tivesse outros componentes grandes na pilha de chamada.

No heap você pode alocar vários megabytes ou até gibabytes sem grandes problemas, mas se passar da quantidade disponível na memória RAM haverá o swap de memória e a aplicação ficará extremamente lenta, então contenha o uso, mas isso é um senso até óbvio. Em arquiteturas 32 bits o máximo endereçável costuma ser 2GB. Em 64 bits é virtualmente impossível chegar a estourar o endereçamento, mas pode estourar a RAM (tradicional, em breve teremos as memórias não voláteis persistentes de grande capacidade, aí é outra estória, muito do que aprendemos até hoje não valerá mais :) ).

Fora isto "o programa não querer ler o arquivo" é algo vago demais para podermos ajudar. Mas o código apresenta alguns problemas, e isto é que deve estar impedindo a execução normal.

  • Realmente o código estava com umas coisas aqui que resolvi e o programa rodou normalmente. Porém minha dúvida não era sobre o código e sim se o tipo char teria algum valor máximo de caracteres, pois eu estou fazendo um VT para a faculdade e pretendo fazer um programa parecendo um eBook, sendo que tem páginas com muitos caractéres e eu não sei, se o tipo char aguenta tudo isso. Muito obrigado pela explicação vou tentar dar uma pesquisada sobre Heap. – Paulo Sergio G.M. Filho 22/11/18 às 18:23
  • @PauloSergioG.M.Filho pt.stackoverflow.com/q/3797/101 e pesquise mais no site que tem muita informação boa – Maniero 22/11/18 às 18:25
  • Sim, sim, como sempre você me salvando e não é a primeira vez, muito obrigado de verdade. – Paulo Sergio G.M. Filho 22/11/18 às 18:29
4

A resposta a essa pergunta não é tão óbvia, e entender o que acontece implica em entender o que você está fazendo.

Primeiro: uma variável do tipo "char" comporta um único byte, que para o alfabeto latino e dígitos arábicos, normalemente equivale a um único caractére - (mas isso depende da codificação usada.)

A variável que você está usando é um char[] - isso é um ponteiro de caracteres. O que vai "dentro" da variável em si é um endereço de memória, o que, em PCs normais é em geral um endereço de 8 bytes (64bit); O número que vai entre os colchetes, como em char minhavariavel[1000], é uma quantidade de bytes que o compilador deixa reservado na memória para a sua variável. O valor máximo depende da arquitetura da CPU (nos primeiros PC x86 de 16bit assim como nas máquinas 8 bits, esse número era 2^16 = 65536, por exemplo). O tamanho máximo para isso depende da estrutura do programa como é definido pelo compilador, e com o limite dado pelo sistema operacional - em PCs com sistemas modernos, pode-se pensar em torno de 1MB para isso. Acabei de testar aqui, 5MB funciona, 10MB, o programa falha, num Linux 64bit)

Num PC rodando um S.O. de 64 bit, esse número é limitado pelo compilador, por conta da estrutura que o mesmo usa para organizar o programa na memória, mas se a memória for solicitada do Sistema Operacional, em tempo de exercução, o tamanho de um vetor de char pode ser tão grande quando se queira, com o limite da memória do computador. (Nm PC com 4GB, você separa uns 300-400MB para o sistema operacional e programas que o mesmo usa, e poderia ter um processo usando 3.6GB sem suar muito. Se estiver manipulando arquivos de texto, como está, corresponde a grosso modo, ao texto equivalente a 1000 bíblias) -

Mas se você tem um programa que vai trabalhar com essa quantidade de dados na memória em geral vale a pena usar um mecanismo de alocação dinâmica de memória.

Em suma - não, não há um limite para a quantidade de bytes que você pode alocar para um vetor do tipo char , exceto a memória do seu computador.

E o erro que você está tendo de "não conseguir ler o arquivo", provavelmente está relacionado com o erro na chamada do printf como eu apontei no comentário é só tirar o & a mais.

  • Realmente, o '&' tinha colocado sem querer, a minha dúvida não era nem sobre o código em si, era pra saber se o tipo char armazenava um valor máximo de caracteres, mas consegui tirar minha dúvida com sua explicação, muito obrigado. – Paulo Sergio G.M. Filho 22/11/18 às 18:27
  • A resposta estava errada sobre a notação fixa no código fonte poder usar toda a memória do computador. Não pode devido a estrutura do executável gerada pelo compilador, mas cm alocação dnâmica chamando a função malloc, o limite realmente não existe. – jsbueno 22/11/18 às 18:37

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.