2

Por exemplo, se um evento click aplicado em um link chamar uma função que está no arquivo A.js, que por sua vez precisa do B.js, que precisa do C.js. Gostaria de saber se tem como saber essa dependência entre os arquivos pelo browser.

2

Você pode entrar no firebug e colocar um break point no corpo da função. Com isso você pode ir executando linha-a-linha e verificar em profundidade as outras funções que são chamadas.

  • 1
    E se usar Chrome ou IE, eles também incluem debuggers com a mesma funcionalidade. Só não sei sobre o Opera. – bfavaretto 9/10/14 às 18:09
  • Posso apimentar a pergunta um pouco? Não que me interesse esse assunto, mas enfim... E para implementar algo similar mas num nível mais baixo para que não se dependa do browser? – Bruno Augusto 9/10/14 às 18:19
  • 1
    @BrunoAugusto Não dá, você não conseguiria interceptar o interpretador da linguagem para tratar os breakpoints. – bfavaretto 9/10/14 às 18:49
  • Legal, mas já enriqueceu o teor do tópico mesmo assim ;) – Bruno Augusto 9/10/14 às 19:04
1

Exceto depurando linha a linha, não há como prever as dependências de uma determinada função ou trecho de código porque elas são resolvidas dinamicamente.

Se não houver um eval envolvido, seria possível, por exemplo, analisar o código estaticamente e determinar quais funções são chamadas. Então dá para procurar em todo o código e ver onde elas estão.

Entretanto, veja que este método é muito falho. Existem inúmeras situações onde isso simplesmente não funciona.

Veja, JavaScript não é uma linguagem fortemente tipada, então poderíamos fazer isso:

var obj1 = {
    f: function() { return 1 }
};
var obj2 = {
    f: function() { return 2 }
};

function generica(obj) {
  return obj.f();
}

console.log( generica(obj1) );
console.log( generica(obj2) );
console.log( generica({ f: function() {return '?'} }) );

No exemplo, criei dois objetos obj1 e obj2, cada um com a função f(). Depois declarei uma função generica() que recebe um objeto qualquer e executa a função f().

Na terceira chamada a generica(), crio um objeto anônimo com uma outra função f().

A saída no console será:

1

2

?

Note que não tem como saber a qual função f()ela se refere, até porque pode não ser nenhuma das duas primeiras. Somente podemos saber no momento em que generica() está executando.

Além disso, em JavaScript é possível também carregar e criar código dinamicamente, então existe código que simplesmente não está em arquivo algum.

Em tese, o navegador poderia varrer todo o código carregado em memória num determinando contexto, com a página carregada, de forma a identificar as possibilidades. Porém, a utilidade disso seria duvidosa.

Creio que esse tipo de dificuldade faz com que não haja muitas soluções (se houver alguma) para esse problema de rastreamento.

Bem-vindo ao mundo das linguagens dinâmicas. ;)

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.