6

Verifiquei que existem diversas formas de se interromper uma execução.

Basicamente qual é a diferença entre usar os comandos:

  • break;

  • sys.exit() ( Do módulo sys);

  • os._exit() ( Do módulo os);

  • exit();

  • quit();

Reparei que alguns são vinculados a execução de uma rotina (sys.exit() como exemplo), e outros ao kernel (exit() entre outros ).

5

break

Sai apenas de um laço e não termina a aplicação, ele é menos que um return. Até um return pode encerrar a aplicação quando ele está na mesma função que é ponto de entrada.

sys.exit() ( Do módulo sys);

Encerra a aplicação lançando uma exceção (SystemExit) que pode ser tratada em algum ponto e todo processo encerramento, incluindo liberação de recursos é executada antes de terminar. Considera-se que seu uso não é ideal e só deve ser chamado em casos muito específicos onde você entende bem o que está fazendo e precisa exatamente desta solução de término imediato. Particularmente não acho tão ruim assim se realmente não tem mais nada para realizar, pelo menos em arquiteturas bem feitas que não tem dependência de um encerramento específico. Use-a preferencialmente.

os._exit() (Do módulo os);

Encerra a execução imediatamente sem dar chance de executar mais nada, nem mesmo a liberação de recursos.

exit()

O mesmo que a sys.exit(), mas considera-se que não deve ser usado. Não sei bem o motivo, mas acredito que funções que não pertencem a módulos se tornam ambíguas. Use em códigos muitos simples ou no REPL quando importar um módulo pode ser pior. Este é o problema da linguagem que começa para ser de script e depois muda para ser mais que isto.

quit()

Apenas um apelido para a função anterior. Clara violação do "só ter uma forma de realizar algo".

Não existe nada kernel aí, apenas que a os.exit() é uma chamada de encerramento que provavelmente pede ao OS para encerrar sem mais cerimônia. Não há vinculação à rotina alguma. Isto parece ser um entendimento errado. É uma função como outra qualquer que você chama em algum ponto do código e ela executa algo, no caso esse algo é o encerramento da aplicação.

  • 1
    Obs.: as funções exit() e quit() são definidas no módulo site, que é importado ao contexto automaticamente pelo interpretador, exceto se utilizado a flag -S ao executar o código. Com a flag, as funções não estarão definidas, por isso não é muito indicado depender delas. – Anderson Carlos Woss 24/10/18 às 15:57
  • ótima resposta, obrigado! No meu caso por exemplo, o ideal então é utilizar o (sys.exit()), pois pretendo utilizar em situações em que não é necessário executar mais nada posteriormente. Realmente muitas opções acaba confundindo rs – Clayton Tosatti 24/10/18 às 18:40
1

Na verdade, só existem 3 jeitos de terminar a aplicação:

  1. Normalmente, ou seja, o código rodar até o final do script principal;
  2. Ocorrer uma exceção que não seja tratada com try/except, causando uma mensagem de erro (traceback);
  3. os.exit_().

Os outros métodos que você passou não terminam o programa definitivamente - eles somente retornam de funções (return), saem de loops (break) ou sobem uma exceção SystemExit (demais métodos). O programa só vai terminar se isso fizer com que o código caia em uma das 3 situações citadas acima.

A exceção SystemExit faz o mesmo que qualquer outra exceção: As funcões e escopos são terminados e o fluxo de código vai voltando na pilha de chamadas até que a exceção seja tratada com o try/except ou volte para o escopo principal, onde, se até lá não foi tratada, causará a finalização do programa. A única diferença é que uma mensagem do tipo traceback não é impressa quando a exceção é a SystemExit.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.