2

O header If-Modified-Since apresenta o seguinte formato de retorno:

Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT

Eu preciso comparar essa data que vem nesse item do header com a data de criação de um arquivo no meu servidor, através da função filemtime($arquivo).

Eu quero fazer duas coisas:

  • Transformar o If-Modified-Since em uma data válida do PHP para compará-lo com a data retornada em filemtime.

  • Transformar o retorno de filemtime numa data no formato igual ao do header If-Modified-Since, para enviar como header Last-Modified ao negavador.

Sendo assim, a pergunta é:

  • Existe algum padrão no PHP para formatar a data igual a desse header? E se tem um padrão, esse formato de data tem um nome?
2

Basta usar o formato 'D, d M Y H:i:s T' (veja a descrição de cada campo na documentação).

Para transformar a string em data, use date_create_from_format, e a partir da data retornada por esta função, use getTimestamp para poder comparar com o timestamp retornado por filemtime:

$data = date_create_from_format('D, d M Y H:i:s T', 'Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT');
if ($data && $data->getTimestamp() > filemtime('arquivo')) {
    etc...
}

Já para converter o retorno de filemtime para o formato em questão, use gmdate, que é similar à date, porém força que a data retornada esteja em GMT (com date não funciona, porque ele retorna UTC em vez de GMT). Veja a diferença:

// testando com um arquivo modificado hoje
echo gmdate('D, d M Y H:i:s T', filemtime('arquivo')); // Wed, 10 Feb 2021 14:24:23 GMT
echo date('D, d M Y H:i:s T', filemtime('arquivo'));   // Wed, 10 Feb 2021 14:24:23 UTC

Outra alternativa é usar a constante DateTimeInterface::RFC7231 como formato, que por colocar explicitamente "GMT" no final, funciona tanto com date quanto com gmdate:

$format = DateTimeInterface::RFC7231;
$data = date_create_from_format($format, 'Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT');
// usar $data, etc

echo gmdate($format, filemtime('arquivo')); // Wed, 10 Feb 2021 14:24:23 GMT
echo date($format, filemtime('arquivo'));   // Wed, 10 Feb 2021 14:24:23 GMT

Indo um pouco além...

Como a pergunta fala sobre o "valor do header If-Modified-Since", acho que vale a pena se aprofundar um pouco mais.

Se consultarmos a RFC 7232 (HTTP Conditional Requests), veremos que o header If-Modified-Since é definido como:

 If-Modified-Since = HTTP-date

An example of the field is:

 If-Modified-Since: Sat, 29 Oct 1994 19:43:31 GMT

E a definição de HTTP-date está na RFC 7231 (tradução e ênfases minhas):

Antes de 1995, havia 3 formatos diferentes usados pelos servidores para envio de timestamps. Por motivos de compatibilidade com implementações antigas, todos os 3 são definidos aqui. O formato preferencial é ... um subset do especificado na RFC5322:

HTTP-date    = IMF-fixdate / obs-date

Um exemplo do formato preferencial:

Sun, 06 Nov 1994 08:49:37 GMT    ; IMF-fixdate

Exemplos dos formatos obsoletos:

Sunday, 06-Nov-94 08:49:37 GMT   ; obsolete RFC 850 format
Sun Nov  6 08:49:37 1994         ; ANSI C's asctime() format

Ou seja, atualmente, deve-se dar preferência ao formato citado na pergunta (e que é definido na RFC5322). Mas a RFC 7321 também cita que "A recipient that parses a timestamp value in an HTTP header field MUST accept all three HTTP-date formats" (ou seja, mesmo que os 2 últimos formatos estejam obsoletos, ainda devem ser aceitos).

Sendo assim, uma alternativa para aceitar os 3 formatos é tentar um a um, até que seja possível fazer o parsing (ou até que todos falhem):

function parse($headerValue) {
    // formatos (dando preferência para o não-obsoleto)
    $formatos = [ DateTimeInterface::RFC7231, DateTimeInterface::RFC850, 'D M d H:i:s Y' ];
    foreach ($formatos as $formato) {
        $data = date_create_from_format($formato, $headerValue);
        if ($data) return $data;
    }
    return FALSE;
}

$formato_saida = DateTimeInterface::RFC7231;
$values = [ 'Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT', 'Sunday, 06-Nov-94 08:49:37 GMT', 'Sun Nov  6 08:49:37 1994' ];
foreach ($values as $val) {
    $data = parse($val);
    if ($data) {
        if ($data->getTimestamp() > filemtime('arquivo')) {
            // etc...
        }
        $saida = gmdate($formato_saida, $data->getTimestamp());
        echo "$val -> $saida\n";
    } else {
        echo "$val -> data inválida\n";
    }
}

Para fazer o parsing, dei preferência para o formato... preferencial indicado na RFC, e depois eu tento os obsoletos. Repare que o segundo formato é RFC850 (que lê o ano com 2 dígitos), em vez do COOKIE (que é quase igual, só que ele tenta ler o ano com 4 dígitos e 94 é interpretado como o ano 94 em vez de 1994). E para o terceiro formato, não achei uma constante pré-definida que servisse, então montei o formato manualmente mesmo.

Já para formatar a saída, eu usei o RFC7231, que coloca sempre "GMT" no final (os demais colocam outros valores, como "UTC" ou "+00:00"). Optei por usar esse formato, porque é o único que a RFC define como não sendo obsoleto (ou seja, para receber eu aceito qualquer formato, mas na hora de enviar, uso o "preferencial" não-obsoleto). A saída do código acima é:

Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT -> Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT
Sunday, 06-Nov-94 08:49:37 GMT -> Sun, 06 Nov 1994 08:49:37 GMT
Sun Nov  6 08:49:37 1994 -> Sun, 06 Nov 1994 08:49:37 GMT

Uma alternativa mais simples

As opções acima são para o caso de você, além da comparação com filemtime, também precisar manipular a data de outras maneiras (já que date_create_from_format retorna um DateTime).

Mas se você só quer o valor do timestamp para poder comparar com o retorno de filemtime, pode usar strtotime, que reconhece os 3 formatos definidos na RFC:

$formato_saida = DateTimeInterface::RFC7231;
$values = [ 'Wed, 21 Oct 2015 07:28:00 GMT', 'Sunday, 06-Nov-94 08:49:37 GMT', 'Sun Nov  6 08:49:37 1994' ];
foreach ($values as $val) {
    $timestamp = strtotime($val);
    if ($timestamp === FALSE) {
        echo "$val -> data inválida\n";
    } else {
        // comparação direta
        if ($timestamp > filemtime('arquivo')) {
            // etc...
        }

        // formatar para o formato preferencial não-obsoleto
        $saida = gmdate($formato_saida, $timestamp);
        echo "$val -> $saida\n";
    }
}

A diferença, claro, é que strtotime aceita vários outros formatos (alguns até meio "esotéricos", como 'last day of february this year'), então depende do quão rígido você quer ser: se quer aceitar somente os 3 formatos indicados pela RFC, use a função parse definida acima (que só aceita especificamente aqueles formatos).

Mas se a entrada é controlada (por exemplo, você garante que a data é obtida do header - que nesse caso, estará disponível em $_SERVER['HTTP_IF_MODIFIED_SINCE']) e que não estará em um formato fora do padrão, usar strtotime simplifica as coisas.


Para mais detalhes, veja "Handling If-modified-since header in a PHP-script".

1
  • Um detalhe, se o valor recebido pelo header por acaso for inválido o DateTime::createFromFormat (procedural: date_create_from_format) vai retornar FALSE, então seria bom fazer o IF dessa forma: if ($data && $data->getTimestamp() > filemtime('arquivo')) { 12/02 às 12:46
2

Na verdade para enviar o Last-Modified não precisa do If-Modified-Since, o If-Modified-Since já é consequência do Last-Modified, então se a pretensão é de enviar apenas o filemtime($arquivo) como Last-Modified para a resposta HTTP, bastaria um gmdate com os parametros na ordem correta, pois o filemtime já trabalha com Unix time, algo como:

$modified = filemtime(<arquivo>);

header('Last-Modified: ' . gmdate('D, d M Y H:i:s', $modified) . ' GMT');

Você pode escapar o GMT com \G\M\T ou usar o T, mas é irrelevante, o valor esperado deve ser GMT mesmo, faça como achar mais agradável.

O If-Modified-Since sendo consequência do último Last-Modified será usado se precisar comparar o que tem no servidor com o que tem no cliente, então é por isso que nas próximas requisições ao mesmo endereço poderá trabalhar esse valor, comparando você poderá diminuir a carga de downloads, usando o código 304:

$modified = filemtime(<arquivo>);

if (<If-Modified-Since> >= $modified) {
    http_response_code(304);
    exit;
}

header('Last-Modified: ' . gmdate('D, d M Y H:i:s', $modified) . ' GMT');

readfile(<arquivo>);

Nesse pseudocódigo enviamos o arquivo para a resposta HTTP somente se o arquivo tiver sido modificado, caso contrário o navegador (ou outro sistema de cliente que trabalhe com HTTP) deve entender que nada mudou e portanto deverá reaproveitar o cache existente.

É possível também trabalhar em conjunto com E-tag ou usar apenas E-tag, não necessariamente é obrigado a trabalhar com ambos, a ideia do E-tag é ter um meio de confirmar se não houve mesmo modificação, ele pode conter a versão ou uma "hash" (valor ASCII), existe o indicado do E-tag se está usando um validador fraco ou não, mas tudo isso é outra história e vai muito além do perguntando.

Voltando ao foco. Só se realmente o objetivo é usar o 304 Not Modified que o código a seguir será útil:

$data = date_create_from_format('D, d M Y H:i:s T', <If-Modified-Since>);

if ($data && filemtime(<arquivo>) > $data->getTimestamp()) {
    etc...
}

O objetivo disso seria validar o valor enviado no header da requisição HTTP, já que headers de requisição HTTP podem ser manipulados, então uma ideia de implementação semi funcional seria:

$modified = filemtime($arquivo);

// Checa se o header foi enviado pelo cliente e então tenta fazer o parse
$data = isset($_SERVER['HTTP_IF_MODIFIED_SINCE']) ? date_create_from_format('D, d M Y H:i:s T', $_SERVER['HTTP_IF_MODIFIED_SINCE']) : null;

if ($data && $data->getTimestamp() >= $modified) {
    http_response_code(304);
    exit;
}

header('Last-Modified: ' . gmdate('D, d M Y H:i:s', $modified) . ' GMT');

readfile($arquivo);

Pela lógica tem que ser >= e não > porque se o arquivo não mudou os valores serão "iguais".

Essa implementação toda pode ser feita até mesmo em "frameworks" que tem interface própria de HTTP e prévalidar o header de requisição If-Modified-Since em algum tipo de middleware, ou talvez o próprio framework ou o servidor HTTP valide isso, mas não posso afirmar por todas tecnologias, só quero dizer que dependendo do cenário talvez a validação possa ser dispensável nesse ponto da execução se outra tecnologia já implementar.

Vale lembrar que no exemplo usei a função readfile, mas até aonde usei ela foi problemática com arquivos grandes, o ideal para arquivos grandes seria usar fopen + flush, mas isso é questão de otimização, que vai muito além do que é perguntando.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.