4

Tenho um código que lê os arquivos XML que estão em uma pasta de rede corporativa, e gera um arquivo .RData. Tenho outros códigos que geram diferentes relatórios para os diferentes setores, usando como base o RData. O meu problema é: esses arquivos XML são atualizados com frequências diversas e nem sempre consigo saber quando foi realizada a última atualização. Gostaria de saber se há alguma função que execute este outro código (que gera o RData) sempre que gerar um relatório, justamente para evitar um arquivo RData baseado nos XML desatualizados e ter que ficar executando o outro código manualmente toda vez que um novo relatório for solicitado. PS: Sei que posso inserir o código que leia o XML dentro do código do relatório, mas não o faço para evitar que o relatório fique muito extenso .

Edit: o script leiturapastaDIPR.R gera o arquivo DIPRConsolidado.RData.O RData é uma lista com 5 elementos e cada um deles é um Data Frame. Depois esse RData é carregado no RMarkDown markdown.RMD que gera o PDF do relatório. Se precisar de mais alguma informação sá avisar!

3
  • 3
    Você pode utilizar a função source(), mas o script sera lido toda vez, mesmo se o XLM não mudou. Uma outra solução mais elegante seria de criar um makefile no qual ele irá executar esse script R somente quando o XLM muda. Se você der mais informações sobre os nomes dos scripts, dados e a ordem de execução, podemos ajudar na construção do makefile. 11/10/2018 às 15:29
  • O source() nem seria em si um problema, mas pelo que percebi esse makefile parece ser uma solução mais elegante! 11/10/2018 às 18:41
  • Isso, source() não é um problema mas uma solução não eficiente (em questão de tempo perdido repetindo análises que já foram feitas). Vou postar aqui como resposta um makefile básico que servirá de exemplo para o seu problema. 11/10/2018 às 18:47

1 Resposta 1

1

Makefile funciona como uma cadeia de regras onde você deve determinar o target que é geralmente o objeto que deseja criar (nesse caso um arquivo pdf), as dependecias deste target que são necessárias para cria-la, e finalmente a receita que é o comando utilizado para criar o target. Aqui vai um padrão:

target: depencia1
    receita

No exemplo acima, se a dependência1 não está atualizada, o makefile irá rodar a receita para então criar o target.

Exemplo

Considerando que o nome do arquivo do relatório que você quer criar é relatorio.Rmd que irá gerar o pdf relatorio.pdf. Para criar o relatório você precisa 'chamar' R e renderizar o documento com o pacote rmarkdown.

Além disso, você pode criar uma cadeia de depencias. No seu caso, a renderização do seu documento depende se os dados de análise (.Rdata) estão atualizados, que este depende se os dados .XLM estão atualizados. Desta forma o seu makefile seria mais ou menos assim:

# exemplo de makefile

# aqui o pdf do relatorio depende do script .Rmd para cria-lo e também dos dados
# (se um desses dois não estão atualizados, ele vai rodar a receita)
relatorio.pdf: relatorio.Rmd DIPRConsolidado.RData
    Rscript -e "rmarkdown::render('relatorio.Rmd')"

# como é uma cadeia, na etapa anterior o makefile testou se o .Rdata é atualizado,
# mas este depende do script .R e dos dados .XLM. Se um desses dois não estiver atualizado,
# ele ira rodar a receita abaixo
DIPRConsolidado.RData: leiturapastaDIPR.R dados.XLM
    Rscript leiturapastaDIPR.R

Você deve salvar esse script com o nome makefile e quando você quer chama-lo, você ira escrever make no terminal.

makefile não é a linguagem mais simples e lógica no primeiro contato, mas é uma ferramenta fundamental para garantir a reprodutibilidade de um projeto.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.