8
var arr = [1,2,3];

arr.toString(); // "1,2,3"
JSON.stringify(arr); // "[1,2,3]"
1
  • Alguma das respostas resolveu sua dúvida? Acha que pode aceitar uma delas? Veja o tour como fazer isso, se ainda não o fez. Você ajudaria a comunidade identificando qual foi a melhor solução para você. Pode aceitar apenas uma delas. Mas pode votar em qualquer pergunta ou resposta que achar útil no site todo.
    – Maniero
    Commented 7/10/2018 às 15:16

3 Respostas 3

10

JSON.stringify() é uma função do objeto JSON que criará uma string do objeto dentro do padrão adotado pelo JSON. Por uma quase coincidência (não é 100% porque JSON é baseado na notação do JS) o método toString() dá o mesmo resultado, a princípio.

Se algum objeto criar uma forma especializada do toString() o resultado pode ser outro. O JSON.stringify() precisa de mais estabilidade. O exemplo já mostra que pode ser diferente.

Uma coisa que eu digo é que as pessoas usam o toString() errado, elas não entendem que não é um método para criar um texto mostrado todo o objeto, ele pode ter resultados bem diferentes do esperado e é comum em muitos objetos só mostrar o nome da classe, o que não tem serventia para quase nada a não ser depuração.

E fica óbvio que o fato de um ser uma função e outro ser um método também é diferente, o segundo pode ter um objeto nulo normalmente, o primeiro não pode.

Coloquei no GitHub para referência futura.

8
  • toString devolve a representação em string do objeto, no caso da pergunta, de um array
  • JSON.stringify converte um valor javascript, no caso da pergunta um array, num JSON

Se apenas pretende mostrar o resultado na página para o usuário, então pode não fazer diferença uma vez que o usuário percebe a informação estando ela de uma forma ou de outra.

Mas lembre-se que JSON é um formato de dados, e se tiver o JSON correspondente ao array, o [1,2,3], você consegue reconstruir o array utilizando JSON.Parse:

console.log(JSON.parse("[1,2,3]"));

O mesmo já não acontece se apenas tiver o texto que sai do toString pois não é um JSON:

console.log(JSON.parse("1,2,3"));

Por isso deve utilizar JSON.stringify quando quiser obter um JSON que represente o valor que tem, seja ele um objeto, um array, uma data, etc. Isto é comum em troca de informação, como por exemplo no envio e receção de valores para API's.

Já o toString é comum de ser usado para obter uma representação em texto do objeto em questão.

2

Complementando as outras respostas: a string que JSON.stringify retorna sempre é um JSON Text válido (ou seja, uma string no formato JSON). Em alguns casos, por coincidência, pode retornar algo igual ao resultado de toString() (ou pelo menos "parecido"). Mas toString não tem essa obrigatoriedade de retornar em um formato específico.

Uma diferença importante é que JSON.stringify não funciona para qualquer tipo. Por exemplo, para RegExp retorna uma objeto vazio, e com BigInt dá erro (mas vale lembrar que não se limita a esses tipos):

let regex = /\w+/;
console.log(JSON.stringify(regex)); // '{}'
console.log(regex.toString()); // '/^\w+/'

let bigint = 123n;
console.log(bigint.toString()); // 123
console.log(JSON.stringify(bigint)); // erro!

Além disso, JSON.stringify não suporta referências circulares, seja um objeto apontando para ele mesmo:

var a = [ 1, 2 ];
// array apontando para ele mesmo
a.push(a);

console.log('toString() ->', a.toString()); // 1,2,
console.log('JSON ->', JSON.stringify(a)); // erro!

Ou um objeto que aponta para outro, que por sua vez aponta de volta para o primeiro:

var a = { x: 1 };
var b = { y: 2 };
// "a" aponta para "b", que aponta para "a"
a.value = b;
b.value = a;

console.log('toString() ->', a.toString()); // [object Object]
console.log('JSON ->', JSON.stringify(a)); // erro!


Outro ponto é que se o objeto passado para JSON.stringify tiver definido o método toJSON, este será usado para serializá-lo:

var a = { x: 1, y: 2 };
a.toString = function() {
    return `toString=${this.x}`;
}

console.log('toString() ->', a.toString()); // toString=1

// por padrão, JSON.stringify gera um JSON Text com todas as propriedades
console.log('JSON ->', JSON.stringify(a)); // {"x":1,"y":1}

// ao definir o método toJSON, JSON.stringify passa a usar o retorno deste
a.toJSON = function() {
    return `toJSON customizado ${this.x}`;
}
console.log('JSON ->', JSON.stringify(a)); // retorna a string "toJSON customizado 1"

Assim, seria possível contornar as limitações citadas acima (por exemplo, tornando possível serializar instâncias de regex ou BigInt).


Por fim, vale reforçar o que já foi dito nas outras respostas, em especial a questão semântica: toString retorna (ou pelo menos deveria) uma representação textual do objeto, (e todas as suas nuances são discutidas aqui), enquanto JSON.stringify é mais rígido e deve retornar um JSON Text válido, que deve ser reconhecido por JSON.parse.

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag .