2

Em ASP.NET MVC & Entity Framework, porque muitos exemplos e alguns projetos open-source encontramos um unit of work juntamente com o repository pattern sendo que o DbContext já é um unit of work, inclusive projetos com IoC e DI.

Existe uma razão pra isso? O uso seria apenas evitar o override do SaveChanges no DbContext?

  • Opinativamente falando, acho completamente inútil um repositório num projeto que use o Entity Framework. Vou tentar pensar numa boa resposta. – Leonel Sanches da Silva 20/09/14 às 21:34
  • Fico no aguardo, quanto aos repositórios muitos adoram, outros odeiam, de qualquer maneira isso é hilário, já vi gente usando repository porque não expõem o LINQ e facilita os testes unitários e a pessoa nem cria os testes unitários. Acredito eu, que seja escolhas baseadas na real utilização, experiência prévia do que experimentar novas formas. – Trxplz0 20/09/14 às 21:43
  • Não procede nenhuma dessas razões. Estou elaborando uma resposta. – Leonel Sanches da Silva 20/09/14 às 21:44
  • Por favor me ajude, qual a alternativa para compartilhamento do DbContext ? Supostamente utilizar o DbContext diretamente? como: DbContext.Set<TEntity>().Add(obj); DbContext.SaveChanges(); diretamente numa camda de serviço por exemplo? – Andre 7/10/18 às 16:16
3

Oren Eini, criador do NHibernate, do Castle Framework e colaborador do RavenDB, escreveu o seguinte texto falando sobre por que usar repositórios não vale mais a pena.

Ladislav Mrnka deu esta resposta no Programmers, reforçando que o padrão de repositório vai contra o Don't Repeat Yourself e que o repositório não é importante porque o IDbSet<T> já é um repositório genérico.

Além disso, passou a ser incentivado o uso de Expression Methods, e não mais do Linq, justamente para que o uso do Framework fosse mais natural com uma linguagem de programação, se afastando do conceito de consulta, como é o SQL.

O que confundem (muito) é o conceito de repositório com o conceito de DAO. Em uma outra resposta que dei aqui (apesar de falar de Java e Oracle, o conceito é o mesmo), explico que uma DAO implementa o método de acesso a dados propriamente dito, enquanto que o repositório trabalha com coleções de objetos, sem entender como o acesso ao banco é feito (isto é feito por outra camada). Ora, se manipular objetos pode ser feito por um Controller (como atualmente é feito), não há necessidade de haver mais uma camada apenas para manipular coleções de objetos. A harmonização de dados, responsabilidade do Controller, é uma manipulação de coleções, e a persistência desses dados, responsabilidade do Entity Framework, é outra. Com isso, pode-se concluir que o padrão de repositório não é necessário quando se trabalha com o Entity Framework.

Por fim, quanto aos testes unitários, este site explica como fazer o Mocking de um DbContext. Com isso, não é preciso um repositório para a realização de testes unitários quando o projeto usa Entity Framework.

  • Então você acha que o Controller deve cuidar das consultas diretamente? sem abstração nenhuma? usando os expression methods... – Trxplz0 20/09/14 às 22:28
  • Acho não. Tenho certeza. – Leonel Sanches da Silva 20/09/14 às 22:28
  • O fato de não ter abstração nenhuma não poderia levar a um DRY? – Trxplz0 20/09/14 às 22:33
  • Repositórios levam a DRYs. O Entity Framework permite que o programador trabalhe no nível apenas de manipulação de coleções. Se muitos Controllers precisam repetir as mesmas operações, o problema não é da falta de repositório, e sim de design do sistema. – Leonel Sanches da Silva 20/09/14 às 22:35
  • Só por curiosidade, vc cria uma instância do DbContext em cada controller?... usando service pattern vc passa a instância do DbContext pro serviço? – Trxplz0 22/09/14 às 12:45

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.