11

Estou tentando realizar um exercício para mostrar os números perfeitos presentes dentro de um determinado range, porém eu só consigo realizar tal feito até o quarto número perfeito. Se eu aumentar o range, ele acaba demorando muito tempo e não responde:

def perfeito(n_max):
    lista = []
    for n in range(1, n_max + 1):
        soma = 0
        for div in range(1, n):
            if n % div == 0:
                soma += div
        if n == soma:
            lista.append(n)
    return lista

Aqui definimos o range, neste caso 500, e ele retornará os 3 primeiros:

print(perfeito(500)) 

Conjunto números perfeitos: {6, 28, 496, 8128, 33550336, 8589869056, …}

Após o 4º número. não consigo mais exibir. Alguma dica de otimização para meu código?

8

Existe uma relação direta entre os números perfeitos e os números primos de Mersenne. Um número primo de Mersenne nada mais é que um número primo que pode ser escrito na forma Mn = 2n – 1, para dado n inteiro, e a relação dele com os números perfeitos é uma potência de 2. Vale ressaltar na resposta que os conceitos aplicados aqui valem para, apenas, números perfeitos pares, porém a solução se mantém válida dado o fato que ainda não é conhecido pela matemática nenhum número perfeito ímpar - no dia que descobrirem eu edito a solução, prometo.

Assim, dado um número primo de Mersenne Mn = 2n – 1, podemos obter o respectivo número perfeito fazendo Pn = (2n-1) (2n – 1).

  • Pn=1 = (21-1) (21 – 1) = 1
  • Pn=2 = (22-1) (22 – 1) = 6
  • Pn=3 = (23-1) (23 – 1) = 28
  • Pn=4 = (24-1) (24 – 1) = 120
  • Pn=5 = (25-1) (25 – 1) = 496
  • ...

Perceba que quando 2n – 1 não é primo, nos casos de n=1 e n=4, o resultado não será um número perfeito. Então o primeiro desafio desta abordagem é garantir que tenhamos como 2n – 1 um número primo.

E esse desafio é muito fácil resolver. Matematicamente, podemos definir que 2n – 1 é um número primo e, pronto, resolvemos o nosso problema. Porém, resolvendo um, aparece outro: mas 2n – 1 é um primo de Mersenne?

Para garantir que o número primo Pn = 2n – 1 seja um primo de Mersenne deve existir um valor inteiro n que valide a expressão. Ou seja, se existir um valor n tal que n = log2(Pn+1) seja inteiro, então Pn será um primo de Mersenne.

A abordagem consistirá, então, de percorrer a lista de números primos, verificar se é um primo de Mersenne e, quando for, calcular o respectivo número perfeito. Com sorte, nós já sabemos calcular os números primos de uma forma eficiente

Então basta percorrer esses valores e verificar quais são primos de Mersenne, calculando o número perfeito:

# Percorre a lista de números primos menores que N:
for prime in sieve_of_eratosthene(N):

    # Calcula o valor de n que define o Pn:
    n = math.log2(prime+1)

    # Verifica se n é inteiro, sendo um primo de Mersenne:
    is_mersenne = n.is_integer()

    # Se for um primo de Mersenne, calcula o número perfeito:
    if is_mersenne:
        print(2**(n-1) * prime)

Veja funcionando no Repl.it | Ideone | GitHub GIST

Assim, testando aqui, ele levou cerca de 34 segundos para calcular até o número perfeito 137438691328. Acima disso comecei a ter problemas com memória, que buscarei resolver em breve.

Referências adicionais

Dois vídeos que recomendo assistir sobre o assunto são:


Buscando otimizar o código, consegui fazer sem utilizar o Sieve. Basicamente o que o código faz é definir um gerador que retorna todos os números primos de Mersenne verificando se o número é primo e utilizando o teste de primalidade de Lucas-Lehmer.

def is_prime(number):
    # Condição para number=2 ignorada propositalmente, visto que a menor entrada será 3
    i = 3
    while i**2 <= number:
        if number % i == 0:
            return False
        i += 2
    return True

def lucas_lehmer(p):
    s = 4
    M = 2**p - 1

    for _ in range(p - 2):
        s = ((s * s) - 2) % M
    return s == 0

def mersenne_primes():
    p = 3
    while True:
        if is_prime(p) and lucas_lehmer(p):
            yield (p, 2**p - 1)
        p += 2

Para utilizá-lo, por exemplo, buscando os 10 primeiros números perfeitos, basta fazer:

numbers = mersenne_primes()

for _ in range(10):
    p, mersenne = next(numbers)
    perfect = 2**(p-1) * mersenne
    print(perfect)

Veja funcionando no Repl.it | Ideone | GitHub GIST

Alguns resultados que obtive:

  • Para os 10 primeiros números perfeitos: 0.0003993511199951172s
  • Para os 15 primeiros números perfeitos: 1.9178969860076904s
  • Para os 16 primeiros números perfeitos: 6.957615613937378s
  • Para os 17 primeiros números perfeitos: 28.416791677474976s
  • Para os 18 primeiros números perfeitos: 78.89492082595825s
  • Para os 19 primeiros números perfeitos: 93.7487268447876s

Para 20 eu fiquei com preguiça de esperar.

13
  • "Euclides demonstrou que o número 2**(p-1)*(2**p-1) é um número perfeito par se p for um número primo" - Isso é um "se", ou é um "se, e somente se"? 24/09/18 às 18:48
  • @VictorStafusa bom ponto - e com isso percebi que faltaram as referências ali
    – Woss
    24/09/18 às 18:50
  • E para o caso de números perfeitos ímpares? Ninguém nunca conseguiu descobrir um, mas também ninguém nunca conseguiu provar que não existem. Esse teorema de Euclides serve para os números perfeitos pares apenas. 24/09/18 às 18:56
  • Basta inserir o laço for abaixo do : yield perfect_number e pedir para ir printando?
    – HV Lopes
    24/09/18 às 18:58
  • 1
    "ainda não é conhecido pela matemática nenhum número perfeito ímpar - no dia que descobrirem eu edito a solução, prometo" - Você acha que isso é antes ou depois de resolverem o problema P=NP? Será que até semana que vem já acham algum número perfeito ímpar? 26/09/18 às 16:49
7

O seu programa apenas está levando um tempo muuuuuuito longo para calcular.

Observe que você tem um for dentro do outro. O laço de fora vai rodar mais de 33 milhões de vezes para achar o 5º número. O laço de dentro vai percorrer em cada iteração o mesmo valor do número do laço externo menos 1.

Se o laço externo roda n_max vezes, isso significa que o laço de dentro vai acabar executando um número de vezes igual n_max * (n_max - 1). Se n_max for 33550336, então o laço interno vai ter que rodar 1.125.625.012.162.560 de vezes até que o quinto número seja encontrado. Para chegar a esse número de mais de um quadrilhão de iterações, é possível que o programa leve alguns dias.

Já para encontrar o 8589869056, ele provavelmente levaria anos.

É possível fazer algumas simplificações:

  • Cortar o laço interno quando soma ultrapassar n.

  • Quando você encontra que n % div == 0, você encontra dois divisores, e não apenas um. Um deles é div e o outro é n / div. Com isso, você consegue diminuir o limite superior da iteração e só precisa ir até a raiz quadrada de n.

  • Já fazer soma começar com 1 e começar a testar a partir do 2. Pode parecer bobo, mas sem isso as duas otimizações anteriores não funciona porque ao achar o 1, ele também acharia o n e cortaria o laço imediatamente.

Com isso, é possível otimizar o laço interno mais ou menos assim:

soma = 1
for div in range(2, math.ceil(math.sqrt(n))):
    if n % div == 0:
        soma += div
        div2 = int(n / div)
        if (div != div2):
            soma += div2
        if soma > n:
            break

Você também pode acrescentar um parâmetro n_min e ao invés de percorrer de 1 até n_max, percorrer de n_min até n_max. Com essas mudanças, ao pesquisar os números perfeitos no intervalo 33550337 e 33550338, ele acha o 33550336 num piscar de olhos.

O código completo fica assim:

import math

def perfeito(n_min, n_max):
    lista = []
    for n in range(n_min, n_max + 1):
        soma = 1
        for div in range(2, math.ceil(math.sqrt(n))):
            if n % div == 0:
                soma += div
                div2 = int(n / div)
                if (div != div2):
                    soma += div2
                if soma > n:
                    break
        if n == soma:
            lista.append(n)
    return lista

print(perfeito(33550335, 33550337))

Veja aqui funcionando no ideone.

Tentei usando print(perfeito(2, 33550337)). Os números 6, 28, 496 e 8128 surgiram em milisegundos (coloquei um print antes do append para ver isso). No entanto, ainda demora várias horas para o 33550336 aparecer.

4

Somando às resposta já publicadas, um ponto a ser notado é que todo o número perfeito é um número hexagonal. Então, ao invés de testar um por um dos números, você pode percorrer apenas os números hexagonais. Ex:

def gen_hexagonal():
    n = 1
    while True:
        yield (2 * n * (2 * n - 1)) // 2
        n += 1

for i, num in gen_hexagonal():
    print(num)

# 1, 6, 15, 28, 45, 66, 91, 120, 153, 190, 231, 276, 325, 378, 435, ...

Exemplo funcionando

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.