4

Faz tempo que não tenho contato com C++, até que resolvi criar um projeto para testar uma solução. Como conhecia antigamente, criei um macro para utilizar um valor como "constante" posteriormente, exemplo:

#define MAX_ENTRIES = 10

Então, o Visual Studio que recomendou substituir o macro por constexpr da seguinte forma:

constexpr auto MAX_ENTRIES = 10;

Até onde sei, um macro não representa o valor de uma variável, é somente um trecho de código que o compilador irá substituir toda vez que encontrar referenciado no meio do código, certo?

Pelo que notei, constexpr possui o tipo da variável. Essa é uma das vantagens? Eu sou meio que "obrigado" a atribuir um tipo à "variável" que irei utilizar como constante.

Quando é preferível utilizar Macro ao invés de constexpr (e vice-versa)? E quais as principais diferenças entre essas duas abordagens?

4

Quando é preferível utilizar Macro ao invés de constexpr (e vice-versa)? E quais as principais diferenças entre essas duas abordagens?

Macros em C++? Nunca! Este não é um recurso da linguagem, é um recurso legado do C que ficou no C++.

A não ser que realmente não tenha outra forma, não deve usar macros. E mesmo que não tenha talvez seja o caso de repensar o que está fazendo.

Existem muitas coisas que substituem macros, mesmo em C existia: otimizações automática do compilador com inline, const, enum, typedef, templates, etc. Algumas coisas mais avaçadas que até era complicado fazer com macro e que ainda tem alguma dificuldade vem nas próximas versões. E algumas coisas nunca deveriam ser usadas como se fazia com macros. constexpr é só mais uma delas.

O exemplo usado bastaria um const que sempre existiu em C++. Inclusive muitos já consideram o uso de ALL_CASE inadequado fora da macro. Esta forma era necessária para indicar que estava usando algo perigoso, que não fazia parte da linguagem (macro não é C, é coisa de pré-processador que vem sempre com C).

Em alguns casos o constexpr é obrigatório porque o compilador precisa saber que algo é uma expressão constante que pode ser resolvido em tempo de compilação (simplificadamente falando) e ele deve fazê-lo para uso em outro lugar. Isto é uma constexpr:

constexpr int factorial(int n) { return n <= 1 ? 1 : (n * factorial(n - 1)); }

Se n receber um valor que é constante e resolvido em tempo de compilação é possível eliminar a chamada a esta função por completo, é mais que inline, ela nem será executada em execução, ele executa durante a compilação e obtém o resultado.

Templates precisam muito do seu uso.

Até onde sei, um macro não representa o valor de uma variável, é somente um trecho de código que o compilador irá substituir toda vez que encontrar referenciado no meio do código, certo?

Certo, é uma substituição de texto sem semântica alguma, problema é seu se dará certo e resultará no que espera.

Pelo que notei, constexpr possui o tipo da variável. Essa é uma das vantagens? Eu sou meio que "obrigado" a atribuir um tipo à "variável" que irei utilizar como constante.

Isto. E está dizendo o que quer com clareza e precisão. Tem semântica. Não é uma solução one-fit-all.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.