1

Suponha que exista um Jupyter notebook chamado notebook1.ipynb onde são calculadas diversas variáveis com resultados interessantes. Suponha então que, como parte de outra análise em outro notebook chamado notebook2.ipynb, seja interessante acessar as variáveis calculadas em notebook1. Nesse caso, como acessar essas mesmas variáveis e resultados sem ter que copiar todo o código?

2 Respostas 2

1

O Jupyter possui um comando mágico chamado %run que permite chamar e executar um outro código externo de dentro do notebook que está sendo executado, guardando assim seus resultados e variáveis.

Ex:

Estando no notebook2.ipynb, você pode executar o comando abaixo:

%run "./notebook1.ipynb"

O Jupyter vai então executar o notebook1 de dentro do notebook no qual você está executando esse comando e com isso vai carregar em memória todas as variáveis calculadas e mostrar todos os resultados que são mostrados normalmente em notebook1.

4
  • Por favor, alguém com a pontuação necessária pode adicionar a tag "jupyter" para mim nessa pergunta? Eu não tenho pontos suficientes para bem anotar essa pergunta. Muito obrigado desde já. 19/09/2018 às 22:51
  • Anderson, você mesmo pode fazer isso clicando no link editar que fica abaixo da pergunta.
    – NoobSaibot
    19/09/2018 às 23:23
  • Ele quer criar a tag. Já adianto que pelo site móvel não é possível.
    – Piovezan
    19/09/2018 às 23:53
  • Sim, a tag precisa ser criada. Na verdade, existe uma que é a ipython-notebook que eu usei que hoje não faz mais sentido visto que o projeto evoluiu e se tornou o projeto Jupyter que inclui kernels outros que não só o do IPython, como também o IJulia, e outros. Por isso a criação da tag certa seria importante. 20/09/2018 às 15:01
-2

Há uma outra forma bem interessante também que é salvar uma variável ou qualquer outro objeto Python em um arquivo externo com o pickle e recuperá-la posteriormente em outro notebook ou qualquer código python. O que o pickle faz é a serialização do objeto e salva em um arquivo, podendo ser feito o caminho inverso depois.

Para salvar o objeto no notebook1:

# define a variável
var1 = 'casa'

# importa o módulo pickle
import pickle

# salvar a variável no arquivo arquivo-var1.pkl
with open('arquivo-var1.pkl', 'wb') as arquivo:
    pickle.dump(var1, arquivo)

Depois para recuperar o objeto em outro notebook:

# importa o módulo pickle
import pickle

# salvar o conteúdo arquivo-var1.pkl em var2
with open('arquivo-var1.pkl', 'rb') as arq:
    var2 = pickle.load(arq)

Ressalto que não é necessário rodar novamente o notebook1. Os objetos são salvos no estado em que se encontram. Isso vale inclusive para modelos de machine learning.

2
  • Sua resposta pode ser melhorada adicionando informações fundamentais. Basta editar para adicionar mais detalhes, como citações ou documentação para que outras pessoas possam confirmar que sua resposta está correta. Você pode encontrar mais informações sobre como escrever boas respostas na Central de Ajuda.
    – Comunidade Bot
    16/01 às 13:53
  • Para. Já que é para fazer o I/O de um pickle melhor fazer com um JSON que pode ser aproveitado em outras plataformas. 17/01 às 14:44

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.