0

Estou seguindo este procedimento para criar um arquivo compactado autoexecutável mas não estou tendo êxito, falta alguma coisa?

  1. Compacto os arquivos para pacote.tar.gz
  2. Crio arquivo pacote.sh com o seguinte conteúdo:
#!/bin/sh
skip=4
tail +$skip $0 1 | tar -xzf - -C /
exit
  1. Concateno com cat pacote.tar.gz >> pacote.sh

Para testar, executo:

bash pacote.sh

E recebo o seguinte erro:

tail: não foi possível abrir “+4” para leitura: Arquivo ou diretório não encontrado tail: não foi possível abrir “1” para leitura: Arquivo ou diretório não encontrado

gzip: stdin: not in gzip format tar: Child returned status 1 tar: Error is not recoverable: exiting now

  • 1
    Não seria porque faltou um | entre os comandos? tail ... | tar ... – hkotsubo 13/09/18 às 14:24
  • Vou testar hkotsubo – Miguel Silva 13/09/18 às 14:28
  • @hkotsubo o erro agora é outro, editei na pergunta – Miguel Silva 13/09/18 às 14:39
  • 1
    Se não me engano, o comando deve ser tail -n +$skip $0. Somente +4 não funciona e ele acha que é um nome de arquivo, e não entendi o que esse 1 está fazendo aí (ele também acha que é um arquivo). Mas não sei se é uma boa basear-se apenas na quantidade de linhas a serem puladas, talvez uma marcação (uma string qualquer indicando onde começa o conteúdo) seja melhor: linuxjournal.com/content/add-binary-payload-your-shell-scripts – hkotsubo 13/09/18 às 14:49
  • 1
    Resposta adicionada – hkotsubo 13/09/18 às 16:41
1

Você está usando tail +$skip $0 1, e como o valor de skip é 4, o resultado é tail +4 $0 1.

Dessa forma, ele acha que +4 e 1 são nomes de arquivo, daí os erros "não foi possível abrir “+4” para leitura" e "não foi possível abrir “1” para leitura".

O certo é usar a opção -n para que ele pule as linhas. E remova o 1 também, que parece estar "sobrando" aí:

tail -n +$skip $0

Outro detalhe é que a saída do comando tail deve ser passada como entrada para o comando seguinte (tar), e isso é feito através do pipe (|):

tail -n +$skip $0 | tar ...

De qualquer forma, não sei se é uma boa basear-se apenas na quantidade de linhas a serem puladas (pois se o script for alterado, a quantidade de linhas a serem puladas também muda, e aí você vai ter que ficar mudando o script toda hora).

Talvez uma marcação (uma string qualquer indicando onde começa o conteúdo) seja melhor. Veja um exemplo neste artigo.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.