1

Tenho o seguinte script:

$fp = @fsockopen($IPAddress, $newport, $errno, $errstr, (float) 0.5);

if ($fp) {
    echo("Conectado\n");
} else {
    echo("Desconectado\n");
}

Esse script verifica se uma determinada porta esta aberta, funciona de boa.

Eu utilizo esse script para uma conexão via SSH, então abro um tunel e consigo "falar" com a base de dados em outro servidor.

O tunel se mantém ativo enquanto eu não finalizo o pid correspondente do SSH.

Mas mesmo com o tunel ativo, se passar um tempo eu não consigo mais conectar a base de dados, tendo que finalizar o tunel e refaze-lo, ai consigo acessa a base normalmente.

O detalhe é que a criação do tunel demora porque as redes que precisam conversar são meio lentas, eu gostaria de manter o tunel ativo e conseguir acessar a base por ele.

O script completo abaixo:

    <?php

// debug temporario
ini_set('display_errors', 1);
ini_set('display_startup_erros', 1);
error_reporting(E_ALL);

try {

    $host = 'IP_EXTERNO';
    $sshuser = 'user';
    $sshpass = 'senha';
    $dbuser = 'postgres';
    $dbpass = 'dbpass';
    $dbname = 'basename';
    $intranet = "IP_INTERNO";
    $newport = "NOVA_PORTA";
    $oldport = "PORTA_PADRAO";

    $IPAddress = "localhost";

    $fp = @fsockopen($IPAddress, $newport, $errno, $errstr, (float) 0.5);

    if ($fp) {
        echo("Conectado\n");
    } else {
        echo("Desconectado\n");
    }

    if (!$fp) {

        $command = "expect -c 'spawn ssh -f " . $sshuser . "@" . $host . " -L " . $newport . ":" . $intranet . ":" . $oldport . " -N; expect " . '"assword:"' . "; send " . '"' . $sshpass . '\r"' . "; expect send " . '"exit\r"' . "'";
        $res = shell_exec($command);
    } else {

        $res = true;

        fclose($fp);
    }

    if ($res) {
        $dbh = new PDO('pgsql:host=localhost;port=' . $newport . ';dbname=' . $dbname . '', $dbuser, $dbpass);

        // SQL Teste
        $sth = $dbh->prepare("select * from clientes codid desc limit 1");

        $sth->execute();

        $result = $sth->fetchAll();

        print_r($result);

        $dbh = null;

        function fProcessos($sshuser, $host) {

            $output = shell_exec('ps -x');
            $array = explode("\n", $output);

            for ($i = 1; $i < count($array); $i++) {
                $pos = strpos($array[$i], "ssh -f $sshuser@$host");
                if ($pos !== false) {
                    $id = substr($array[$i], 0, strpos($array[$i], ' ?'));
                    shell_exec('kill -9 ' . $id);
                }
            }
        }

        fProcessos($sshuser, $host);
    } else {
        echo("não passou\n");
    }
} catch (PDOException $e) {
    print "Error!: " . $e->getMessage() . "\n";
    die();
}

Esse script será executado a cada 1/2h via cron, não é via navegador.

Já pesquisei sobre conexão persistente, mas não vi como uma solução já que o script será executado uma unica vez e não tem subprocessos.

1

Na verdade esse túnel não tem nada haver com o PHP, PHP só executa o daemon SSH para criar o túnel, vc deve adicionar alguns parâmetros ao comando dentro de seu shell_exec para manter o túnel ativo.

ServerAliveCountMax Define o número de mensagens do servidor ativo (veja abaixo) que podem ser enviadas sem o ssh receber qualquer mensagem de volta do servidor. Se esse limite for atingido enquanto as mensagens do servidor estiverem sendo enviadas, o ssh será desconectado do servidor, encerrando a sessão. É importante observar que o uso de mensagens ativas do servidor é muito diferente do TCPKeepAlive (abaixo). As mensagens do servidor ativo são enviadas pelo canal criptografado e, portanto, não podem ser falsificadas. A opção TCP keepalive ativada pelo TCPKeepAlive é spoofable. O mecanismo do servidor ativo é valioso quando o cliente ou servidor depende de saber quando uma conexão se tornou inativa.

O valor padrão é 3. Se, por exemplo, ServerAliveInterval (veja abaixo) estiver definido como 15 e ServerAliveCountMax for deixado no padrão, se o servidor não responder, o ssh será desconectado após aproximadamente 45 segundos. Esta opção aplica-se apenas à versão de protocolo 2.

ServerAliveInterval Define um intervalo de tempo limite em segundos, após o qual, se nenhum dado tiver sido recebido do servidor, o ssh (1) enviará uma mensagem pelo canal criptografado para solicitar uma resposta do servidor. O padrão é 0, indicando que essas mensagens não serão enviadas para o servidor. Esta opção aplica-se apenas à versão de protocolo 2.

-N Não executa um comando remoto. Isso é útil apenas para encaminhar portas (somente versão de protocolo 2).

-T Desativa a alocação pseudo-tty.

-R [bind_address:]port:host:hostport Especifica que a porta fornecida no host remoto (servidor) deve ser encaminhada para o host e a porta fornecidos no lado local. Isso funciona através da atribuição de um soquete para ouvir a porta do lado remoto, e sempre que uma conexão é feita a esta porta, a ligação é encaminhada através do canal seguro, e uma conexão é feita para sediar porta hostport da máquina local.

Os encaminhamentos de porta também podem ser especificados no arquivo de configuração. As portas privilegiadas só podem ser encaminhadas ao efetuar login como root na máquina remota. Endereços IPv6 podem ser especificados colocando o endereço entre colchetes ou usando uma sintaxe alternativa: [bind_address/]host/port/hostport.

Por padrão, o soquete de escuta no servidor será vinculado apenas à interface de loopback. Isso pode ser substituído especificando um bind_address . Um bind_address vazio , ou o endereço '*', indica que o socket remoto deve escutar em todas as interfaces. Especificando um remoto bind_address só terá êxito se o servidor do GatewayPorts opção está habilitada (veja sshd_config (5)).

Se o argumento da porta for '0', a porta de escuta será alocada dinamicamente no servidor e relatada ao cliente no tempo de execução.

Exemplo:

sshpass -p senha ssh -o ServerAliveInterval=10 -o ServerAliveCountMax=3 -N -T -R porta:127.0.0.1:22 user@host

Existe outras maneiras de vc executar comandos na máquina remota, vc pode abrir a porta no seu servidor PGSQL e gerenciar as conexões via usuário, onde vc terá um desempenho melhor no seu código PHP, pois a função shell_exec além de usar muito recurso da máquina, é lenta para executar comandos do shell.

Outra forma mais simples e eficaz, é vc criar um bloco com os comando que deseja executar na máquina remota em um arquivo de texto, copiar esse arquivo com o scp e via ssh executa-lo na máquina remota.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.