2

.Como normalmente se modela um papel (role) em orientação a objetos?

É por meio de uma composição, correto? Por exemplo, para modelar que uma Pessoa executa o papel de um Cliente ou Fornecedor, modela-se que a Pessoa tem um Cliente, ou um Fornecedor, etc.

Como fica isso na UML? E no código?

Como atua a delegação (forwarding) nessa história? (Vide exemplo)

  • Eu sei formas de modelar, UML ñ sei ñ. – Maniero 1/09/18 às 18:31
  • @Maniero Tudo bem, sem UML então :) – Piovezan 3/09/18 às 12:18
1

De forma muito simplificada:

class Pessoa {
    string Nome;
}
class Cliente {
    Pessoa pessoa;
    decimal credito;
}
class Faturamento {
    Venda(Cliente cliente) => Write(cliente.pessoa.Nome);
}

Se desejar que pessoa tenha ciência dos papéis que ele exerce poderia fazer de duas formas:

class Pessoa {
    string Nome;
    Cliente cliente;
    Fornecedor fornecedor;
}

Cada papel que for adicionar precisa mudar a classe, o que viola alguns princípios, mas que nem sempre é um problema.

Outra forma:

enum TipoPapel { Cliente, Fornecedor }
class Pessoa {
    string Nome;
    List<(TipoPapel, IPapel)> papeis = new();
    AdicionaPapel(TipoPapel tipo, Ipapel papel) => papeis.Add((tipo, papel));
}

Em vez de enum poderia usar string que pode facilitar ou dificultar, dependendo do caso. Poderia usar um dicionário no lugar da lista, ou outra estrutura, até mais especializada. E poderia usar um tipo específico no lugar da tupla. Poderia ter o controle dos papéis em um tipo separado que abstraísse a lista.

UML é uma das coisas mais trolhas que já vi, então não :)

  • Não entendi por que Cliente tem que implementar Papel. Ou melhor, por que a interface Papel precisa existir. Foi feito assim para poder modelar o dicionário ou tem algum método importante em Papel? – Piovezan 6/09/18 às 14:30
1

Copiado da resposta do Maniero, só que em pseudo-Java, para visualizar melhor (e tome boilerplate. Quem tiver o que melhorar é só editar).

De forma muito simplificada:

public class Pessoa {
    private String nome;
}

public interface Papel {
    void umMetodo();
}

public class Cliente implements Papel {
    private Pessoa pessoa;
    private BigDecimal credito;
}

public class Faturamento {
    public void venda(Cliente cliente) {
        System.out.println(cliente.getPessoa().getNome());
    }
}

Se desejar que pessoa tenha ciência dos papéis que ele exerce poderia fazer de duas formas:

public class Pessoa {
    private String nome;
    private Cliente cliente;
    private Fornecedor fornecedor;
}

Cada papel que for adicionar precisa mudar a classe, o que viola alguns princípios, mas que nem sempre é um problema.

Outra forma:

public enum TipoPapel { Cliente, Fornecedor }

public class Pessoa {
    private String Nome;
    private Map<TipoPapel, Papel> papeis = new HashMap<>();

    public void adicionaPapel(TipoPapel tipo, Papel papel) {
        papeis.put(tipo, papel);
    }
}

Em vez de enum poderia usar String que pode facilitar ou dificultar, dependendo do caso. Poderia usar outra estrutura, até mais especializada, no lugar do mapa. Poderia ter o controle dos papéis em um tipo separado que abstraísse o mapa.

  • O meu ainda deve ter alguns problemas, mas é pseudocódigo, este eu já vejo alguns problemas mais claros, e nem compilaria :) – Maniero 6/09/18 às 13:54
  • Digamos que é pseudoJavaCódigo. :P – Piovezan 6/09/18 às 13:56
  • 1
    @Maniero Pelo menos não é UML, veja o lado bom... – Bacco 2/09 às 23:13

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.