6

Usando namespace o carregamento do arquivo se faz no momento em que se usa algum método say, se não invocar nada da classe o arquivo não será carregado.

use World;
class Hello {
    World::say()
}

Usando trait mesmo sem invocar método ou propriedade o arquivo é carregado no momento do use.

class Hello {
    use world;
}

Estou "iniciando" no traits, minha dúvida é sobre esse comportamento tão diferente do namespace. Porque o fato de declara o USE faz o carregamento do arquivo, enquanto namespace não?

Essa é uma característica própria de traits ou há alguma configuração que possa definir o carregamento do traits apenas quando algo for invocado?

  • Também não conheço muito do assunto em PHP mas se for igual a outras linguagens, os dois conceitos são tão distintos que não sei se dá para comparar. – Maniero 14/09/14 às 10:32
  • Não é comparar o funcionamento, apenas o motivo de declarar o use no trait faz o carregamento do arquivo no ato, enquanto com namespace só quando usada a classe. – Papa Charlie 14/09/14 às 11:14
  • 1
    Entendi, vou tentar responder. – Maniero 14/09/14 às 11:19
  • 2
    Basicamente é o que o @bigown disse na resposta dele. Um use não tem nada a ver com outro. Um outro exemplo é o uso de uma function, que na declaração de métodos tem um papel e dentro de uma função anônima tem comportamento diferente – gmsantos 14/09/14 às 11:41
  • Verdade, o use usado em ambos os casos me fez esperar um comportamento igual. – Papa Charlie 14/09/14 às 11:43
6

Namespaces são usados para agrupar, encapsular funcionalidades. É usado basicamente para evitar conflito de nomes. Ele funciona como um sobrenome para seus membros, desta forma você pode ter dois Joãos em sua aplicação desde que um seja Silva e o outro Oliveira.

Neste caso o use serve para indicar apenas que esta família está disponível para uso, ou seja, todos seus membros estão acessíveis. Mas a carga dos membros ocorrerão apenas sob demanda, afinal a família está disponível para ser chamada, mas se você não precisa de um membro, não tem porque ele estar presente fisicamente. Ele serve mais como um indicativo para o interpretador saber que os membros de um namespace podem ser usados.

Já o trait existe para possibilitar o reuso de código em classes que só permitem herança simples. É uma forma de adicionar comportamento pré-definido a uma classe.

Neste caso o use tem propósito completamente diferente, ele indica para a classe que ela deve incluir entre seus membros todos os membros do trait especificado. O trait é parte integrante da classe, sem ele a classe não estaria completa, o conteúdo do trait é fundamental para a classe funcionar, não é opcional. Mesmo que uma instância não chame nenhum membro do trait ele precisa estar na classe para completá-la, você não pode ter classes "mancas".

Estas duas funcionalidades compartilham essencialmente a mesma sintaxe para a inclusão de código externo mas possuem semânticas completamente diferentes e são conceitualmente distantes. Não há relação entre seu uso a não ser o fato que obviamente, por acaso, um trait pode ser membro de um namespace.

  • Entendi, acho que o que me levou à duvida foi o uso da mesma palavra reservada use. Obrigado – Papa Charlie 14/09/14 às 11:42
  • 2
    Algum usuário achou que eu escrevi bobagem e negativou a resposta, pena que ele não vai ajudar as pessoas sobre o que está errado. – Maniero 14/09/14 às 21:08
  • 1
    Acharam que eu também escrevi bobagem, mas não tem a ver com o conteúdo certo ou errado. – Papa Charlie 14/09/14 às 21:47

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.