6

Tenho um cliente que vai desenvolver duas aplicações de sua empresa, ou seja, dois serviços oferecidos por sua empresa, e planos para outros projetos, e versões mobile dos mesmos.

Pois bem, por questões de modularização do projeto e facilidade de desenvolvimento de futuras aplicações, abstraimos todo o processo de autenticação das aplicações para um serviço único de autenticação/login.

Como fazer que toda a interação do usuário com sua conta, login, logout, atualização de dados, se dê em um único local, em um servidor e banco de dados à parte, deixando o servidor de cada aplicação livre e ocupado apenas com o que realmente lhe interessa?

A arquitetura que iremos utilizar é compartilhar um servidor de memcached como session handler das aplicações e do servidor de autenticação, os servidores estarão na mesma VPC na AWS

  • Oi, Thiago, bem vindo ao Stack Overflow em Português. Editei sua pergunta para tirar coisas não relacionadas com o problema em foco. A pergunta já tem 1 voto para fechamento, vale a pena conferir a central de ajuda e o guia Como perguntar para esclarecer o problema um pouco mais. – brasofilo 13/09/14 às 5:00
  • O ambiente é Windows? Se for, utilizem AD e pronto, não precisam mais se preocupar com isso. – Renan 13/09/14 às 5:26
  • Você pode dar uma olha no OpenId. Mas qual tecnologia você vai utilizar? Qual framework? Talvez eu possa ajudar mais. – Fábio Lemos Elizandro 13/09/14 às 12:55
  • Eu acho que, hoje em dia, esse tipo de autenticação nem se faz mais. Todo mundo loga com Google OAuth, Facebutts, OpenID... – Bruno Augusto 13/09/14 às 14:22
  • Ambiente Linux, PHP e Zend Framework 2. Mesmo com Login Social você precisa processar em algum momento. O Login social é apenas uma facilidade ao usuário, mas terás de programar igual. – Thiago Moreira 15/09/14 às 1:25
8

Uma das maneiras de simplificar é o seu servidor de aplicação usar algo parecido com o seguinte fluxo:

  • A aplicação gera um hash e direciona o usuário para o servidor de login com esse parâmetro e mais um token se identificando;

  • o servidor de login solicita e verifica as credenciais do usuário;

  • caso o usuário cancele ou as credenciais não se confirmem após N vezes, o servidor de login devolve o usuário para a aplicação, sem confirmar o login, OU

  • ao confirmar as credenciais, o servidor de login redireciona o usuário de volta para a aplicação, com o ID do usuário e um hash assinado por um valor comum armazenado pelas partes envolvidas.

Dá pra se fazer isto de uma maneira relativamente simples, sem se preocupar com OAuth e outros protocolos mal documentados e complexos demais para a necessidade específica.

Vantagens desta solução:

  • Portátil - cada parte da aplicação pode ser dividida em diversas máquinas diferentes;

  • pouco código necessário;

  • funciona pra uma, duas ou duzentas aplicações, quantas forem necessárias;

  • escalável, pois não depende de onde cada parte do sistema está rodando;

  • simples de gerenciar, pois a única informação compartilhada entre as partes é o usuário autenticado, pelo retorno de um ID e assinatura válidos.

Considerações importantes

Este é um esboço geral, que faz sentido num ambiente não sujeito a ataques externos, ou a informações extremamente visadas (não que a solução não seja boa, mas ela só é tão boa quanto o seu cuidado de planejar os detalhes). Você é que tem que avaliar o grau de segurança necessário para a sua aplicação e decidir se vai simplificar ou utilizar alguma solução robusta. O difícil é separar as soluções robustas com motivo das apenas complicadas.

A explicação foi bem simplificada, apenas para dar uma visão geral. Cada etapa tem que ser devidamente cuidada, e você deve usar uma conexão segura e ter um token separado para cada aplicação cliente. Se a conexão não for segura, é necessário um passo a mais para obter um "contra token" do servidor.

  • Certo. E sempre que eu precisar confirmar as credenciais, sempre o mesmo processo né? E a sessão fica á cargo de cada aplicação? – Thiago Moreira 15/09/14 às 3:11
  • A idéia é essa, isolar completamente os processos. Assim, você tem a vantagem da centralização do login, mas evita efeitos colaterais. Depois é claro que você pode incrementar o sistema, mas a vantagem é que fica tudo isolado. Mais interessante ainda é que se a pessoa salvar as credenciais na aplicação de login, ou se já tiver logado uma vez, quem vai cuidar disso é a a sessão do sistema de login apenas. Na hora que a segunda aplicação chamar, o redirecionamento já vai e volta de maneira transparente para o usuário. – Bacco 15/09/14 às 3:33
  • Certo. E fica mais fácil de escalar, principalmente o memcached. – Thiago Moreira 15/09/14 às 3:51
  • Como é feito esse redirecionamento de volta pra aplicação? Em outras palavras, ao fazer o redirect do servidor de login pro servidor da aplicação, onde armazenar o hash? Na própria URL? Minha preocupação é como manter esse hash seguro contra replay attacks ou similares (embora pensando aqui, imagino que isso pode ser mitigado usando um hash de curta validade...). – mgibsonbr 24/09/14 às 21:30
  • 1
    @mgibsonbr boa parte é complexa com motivo, mas outras partes são mal-feitas e mal documentadas. OAuth 2.0 por exemplo é complexo para uso em qq coisa. Inclusive eu uso para fazer Single Sign On com contas do google onde minha aplicação é o controlador das credenciais. Eu que tive que fazer malabarismos, isso sim, para contornar lacunas do protocolo (e não é falta de conhecimento, são problemas conhecidos por "academicismo excessivo", diferente de coisa que tem razão técnica de ser). Para não ficar o chat aqui, depois deleto este comment, e detalho melhor quando surgir ocasião mais oportuna. – Bacco 26/09/14 às 2:39
2

Considere utilizar o CAS Central Authentication Service

Basicamente, o CAS é uma aplicação em Java para a qual você delega o serviço de autenticação. Ela se integra, por exemplo, com o Active Directory, permitindo, assim, que o usuário utilize a mesma senha do AD para as aplicações WEB (algo interessante no caso de aplicações corporativas).

Utilizo o CAS com sucesso em uma aplicação desenvolvida em Grails (framework Java web, baseado em Spring, Hibernate, etc).

O CAS roda em um servidor distinto das aplicações. Assim, qualquer aplicação que necessite de autenticação, nós delegamos a mesma para essa instância do CAS.

Você pode configurar para a autenticação acontecer com um banco de dados, via JDBC.

O CAS é nome do protocolo cujo a aplicação tem o mesmo nome. Ele é single sign-on, o que significa que após ter feito o logon em uma aplicação, as outras que forem abertas dentro da mesma sessão do browser compartilharão suas credenciais, não solicitando novamente usuário e senha.

Veja na página do CAS que existem clientes em Java, PHP, .NET, etc.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.