4

No PHP, quando uso um json_encode num objeto que do tipo DateTime, ele apresenta o seguinte resultado:

$date = new DateTime();

echo json_encode(compact('date'), JSON_PRETTY_PRINT);

Saída:

{
    "date": {
        "date": "2018-08-09 16:46:19.241129",
        "timezone_type": 3,
        "timezone": "UTC"
    }
}

Teste no Ideone

Esse formato aí pra mim é completamente indesejável. Eu queria que ele viesse no formato DateTime::ISO8601.

Existe alguma maneira de costumizar a serialização do DateTime do PHP?

3

Alterar em tempo de execução o retorno da própria classe DateTime acredito que não seja possível - até porque isso poderia gerar efeitos colaterais na aplicação.

Uma solução trivial seria estender a classe DateTime para uma classe sua onde você define o comportamento desejado. Neste caso, quando a função json_encode recebe um objeto que implementa a interface JsonSerializable, ele retornará o valor retornado do método jsonSerialize previsto na interface. Assim, seria possível fazer algo como:

class DateTimeISO8601 extends DateTime implements JsonSerializable
{
    public function jsonSerialize()
    {
        return $this->format(static::ISO8601);
    }
}

E então:

$d = new DateTimeISO8601('now', new DateTimeZone('America/Sao_Paulo'));

echo json_encode($d) . PHP_EOL;

Gerando a saída no formato esperado: "2018-08-09T14:22:43-0300".

Se não for possível definir outra classe - caso não tenha controle sobre as instâncias do objeto, a solução será utilizar o método format mesmo no lugar de json_encode.

echo $d->format(DateTime::ISO8601) . PHP_EOL;
4

Fiz um esquema parecido com a resposta do Anderson. Porém ao invés de implementar o JsonSerializable na classe de data, eu faço para a coleção inteira.

Assim:

class CustomJsonSerialize implements JsonSerializable
{
    protected $data;

    public function __construct(array $data)
    {
        $this->data = $data;
    }

    public function jsonSerialize()
    {
        $data_to_serialize = $this->data;

        array_walk_recursive($data_to_serialize, function (&$value) {

            if ($value instanceof \DateTime) {
                $value = $value->format(DateTime::ISO8601);
            }
        });

        return $data_to_serialize;
    }
}


$data = [
    'nome'          => 'Wallace',
    'data_cadastro' => new DateTime,
    'idade'         => 28,
    'profissoes'   => [
        [
            'nome' => 'Programador',
            'data_inicio' => new DateTime('-5 years')
        ]
    ]
];



 echo json_encode(new CustomJsonSerialize($data));

A resposta é:

{
    "nome": "Wallace",
    "data_cadastro": "2018-08-09T14:56:38-0300",    
    "idade": 28,
    "profissoes": [
        {
            "nome": "Programador",
            "data_inicio": "2013-08-09T14:56:38-0300"
        }
    ]
}

Qual é a importância disso?

É que, em determinados casos, você não poderia alterar a instância de DateTime para uma outra implementação de classe. Assim, criando uma classe que alterar a coleção, ao invés de alterar a instância de DateTime em si, é possível converter todos os valores da estrutura para o formato desejado.

No caso do PHP 7, poderia ser mais útil ainda fazendo uma classe anônima!

$serialized_data = json_encode(new class ($data) implements JsonSerializable {

    protected $data;

    protected function __construct(array $data)
    {
        $this->data = $data;
    }

    public function jsonSerialize()
    {
        $data_to_serialize = $this->data;

        array_walk_recursive($data_to_serialize, function (&$value) {

            if ($value instanceof \DateTime) {
                $value = $value->format(DateTime::ISO8601);
            }
        });

        return $data_to_serialize;
    }
});

Atualização: Imitando o Javascript!

Com o Javascript, é possível fazer uma implementação onde o JSON.stringify recebe um callback no segundo parâmetro (replacer) que permite percorrer cada item do objeto passado, podendo retornar um valor diferente de acordo com uma condição.

Pensando nisso, fiz algo parecido para o PHP.

Código-fonte:

function json_encode_callback($data, callable $callback, $options = 0)
{
    $isIterable = static function ($data) {
        return is_array($data) || $data instanceof \stdClass || $data instanceof Iterator;
    };

    $recursiveCallbackApply = static function ($data, callable $callback) use(&$recursiveCallbackApply, $isIterable) {
        if (! $isIterable($data))
        {
            return $callback($data);
        }

        foreach ($data as $key => &$value) {
            if ($isIterable($value)) {
                $value = $recursiveCallbackApply($value, $callback);
                continue;
            }
            $value = $callback($value, $key);
        }
        return $data;
    };
    return json_encode($recursiveCallbackApply($data, $callback), $options);
}

A função acima basicamente percorre cada item de uma estrutura e verifica defirmina o que será serializado para json de acordo com o retorno do callback.

Assim:

$obj = new stdClass;

$obj->date = new DateTime;

$obj->name = "Wallace";

$result = json_encode_callback($obj, function ($value) {
    return $value instanceof \DateTime ? $value->format('c') : $value;
});

var_dump($result);

O resultado é:

 string(53) "{"date":"2018-08-09T17:41:27-03:00","name":"Wallace"}"

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.