7

Já fiz uma pergunta parecida em relação à linguagem Python: Para que serve o set no Python?.

Eu gostaria de saber se esse objeto Setno Javascript faz as mesmas coisas que o set do Python faz.

Exemplo:

var numbers = new Set([1, 2, 3])

numbers.forEach(function (i) {
  console.log(i);
})

  • Qual é a finalidade de Set?
  • Quais navegadores o suportam? Atualmente (2018), é suportado em todos?
  • Caso não tenha suporte em todos os navegadores, existe algum Polyfill?

Edição 1

  • Quais são os valores que posso adicionar a um objeto Set?
  • Posso ter uma coleção de string e int no mesmo objeto Set?
  • Qual é o critério para determinar se um elemento já pertence ao objeto Set?
  • @AndersonCarlosWoss tem carta branca pra editar :p – Wallace Maxters 12/07/18 às 16:59
5

O Set é um objeto que permite setar valores unicos.

Você pode iniciar um Set vazio, ou iniciar já com algum conteudo a partir do construtor:

let foo = new Set([1, 2, 3, 4, 5]);
foo.add(6);
console.log(foo.entries());

Vai retornar:

SetIterator {1, 2, 3, 4, 5, 6}

Iterando um Set

O .entries pode ser usado em um for para iterar, assim como pode usar o método .forEach do proprio Set, assim:

//O primeiro e o segundo argumento tem o mesmo valor
//o terceiro retorna o Set atual, pode ser interessante se usar a função para diferentes Sets
foo.forEach(function (valor1, valor2, currentSet) {
    console.log('set[' + chave + '] = ' + valor);

    console.log(currentSet); //Exibe o Set atual
});

Note que o forEach possui um segundo argumento:

.forEach(callback [, thisArg])

No lugar de thisArg você pode colocar outra coisa para que o this dentro do callback seja o que definiu, como podendo ser o this do escopo acima, exemplo:

let foo = new Set([1, 2, 3, 4, 5]);

document.querySelector("#test").onclick = function () {
    foo.forEach(function (v1, v2, thisArg) {
        console.log(v1, v2, this);
    }, this);
};
<button id="test">Testar</button>

Outra maneira de iterar é usar o proprio Set diretamente dentro de um for...of (ou for...in, se bem que este segundo não tem vantagem, já que só nos interessa o valor):

for (let valor of foo) {
     console.log(valor);
}

Creio que desta maneira fique até mais limpo que usar .entries ou .forEach, a vantagem do .forEach mesmo seria o uso de callbacks dinamicos, então ao invés de escrever três linhas assim:

for (let valor of foo) {
     meuCallback(valor);
}

Você escreveria somente uma assim:

foo.forEach(meuCallback);

Então pode usar for...of quando for apenas iterar e forEach quando tiver callbacks dinamicos.


Suporte para o Set

Conforme o MDN: https://developer.mozilla.org/en-US/docs/Web/JavaScript/Reference/Global_Objects/Set/forEach

O navegadores que suportam são:

  • Chrome 38+
  • Edge 12+
  • IE 11+ (milagrosamente, essa eu não esperava)
  • Safari 8+
  • Firefox 25+

Caso não tenha suporte em todos os navegadores, existe algum Polyfill?

Vou ser sincero, e entendam isto como opinião pessoal, Polyfill para isto parece um pouco de exagero, é sério, como o intuito é criar valores unicos uma simples checagem com Array.indexOf já resolveria antes de adicionar a um Array algo, por exemplo:

var x = [1,2,3];

//Supondo que este if seja executado por um callback e que os dados sejam dinamicos
var novo = 3;

if (x.indexOf(novo) === -1) {
    x.push(novo);
} else {
    console.log('Já adicionado');
}

Mas se acha que vai usar isto em muita coisa mesmo talvez um polyfill seja util. Assim que testar bem os polyfills citados nos comentários e tiver certeza que funcionam bem irei adicionar aqui (não costumo adicionar algo que não tenha testado ao menos uma vez).


Convertendo para Array ou argumentos

Para converter para array pode usar os três pontos (isto se chama Spread syntax e isto não é suportado no Internet Explorer), assim:

let foo = new Set([1, 2, 3, 4, 5]);

let arr = [...foo];

console.log(arr);

Ou pode passar para argumentos de uma função assim

let foo = new Set([1, 2, 3, 4, 5]);

teste1(...foo);
teste2(...foo);

//Especificos
function teste1(a, b, c, d) {
    console.log("test1:", a, b, c, d);
}

//usando "arguments"
function teste2() {
    console.log("test2:", arguments);
}

Suporte para o Spread:

  • Chrome 46+
  • Edge 12+
  • Firefox 16+
  • Safari 8+

Outra maneira é usando o Array.from:

Array.from(foo);

Suporte:

  • Chrome 45+
  • Edge (aparentemente todas versões)
  • Firefox 32+
  • Safari 9+

Detalhamentos sobre o Set

Quais são os valores que posso adicionar a um objeto Set?

Qualquer coisa mesmo que poderia adicionar a uma variavel ou array, ele funciona como um array mesmo, mas simplesmente tem o detalhe do controle de valores unicos

Posso ter uma coleção de string e int no mesmo objeto Set?

Sim, suporta qualquer coisa, pode até ter Set dentro de Set, mas uma coisa precisa ficar claro, os valores de subitens adicionado de Objetos são como referencias, ou seja o valor não é copiado ele é referenciado, isso em Arrays e Object também, porque isso é como o JavaScript é, claro que você pode copiar/clonar um objeto inteiro, mas isto é outra história.

Qual é o critério para determinar se um elemento já pertence ao objeto Set?

Pode usar o .has, vale notar que é como disse, é tudo como referencia, então por exemplo:

var a = {};
var b = {};

console.log(a === b); //Retorna FALSE

Apesar de semelhantes são objetos diferentes, então ao fazer isto:

var a = {};
var meuSet = new Set;

meuSet.add(a);

console.log(meuSet.has({})); //Retorna FALSE
console.log(meuSet.has(a)); //Retorna TRUE

O meuSet.has(a) retorna TRUE porque esta checando o proprio objeto referenciado na variavel a, isto não tem haver com o Set, mas sim como o JavaScript funciona (tal comportamento é semelhante em muitas linguagens)

  • 1
    Bacana, a resposta tem alguns detalhes e funcionalidades importante a serem considerados. +1 – Wallace Maxters 12/07/18 às 16:47
4

Basicamente cria uma coleção de objetos únicos. É novo por no ES6, por isso ainda não é compatível com todos os navegadores. Abaixo um link de compatibilidades.

Diferente de uma coleção comum ou dicionário, você não recupera um objeto diretamente por uma chave, o objeto já é uma chave, que deve ser única. Dá pra notar isso pelo modo como adicionamos valores:

var colecao = new Set();
colecao.add(1);
colecao.add("teste");

Note que pode ser adicionando qualquer tipo de objeto. Tem métodos como has para saber se um item já existe na coleção, mas para recuperar os objetos, deve-se iterar, aqui em exemplo:

colecao.forEach(function(valor) {
  console.log(valor);
});

Me parece um objeto com uma função parecida com "vou adicionando itens que quero marcar, como executados ou existentes, e verificar depois se estão na coleção", uma vez que não dá pra obter diretamente um objeto da coleção.

Aqui mais informação e também ao final um chart de compatibilidade dos navegadores: https://developer.mozilla.org/pt-BR/docs/Web/JavaScript/Reference/Global_Objects/Set

Atualizado aqui em 12/07/2018:

Chrome  Edge    Firefox Internet Explorer   Opera   Safari
38      12      13      11                  25      8

Ah, não conheço nenhum Polyfill para contornar o problema de compatibilidade.

EDIT: para responder as novas perguntas:

Quais são os valores que posso adicionar a um objeto Set?
Qualquer tipo de objeto.

Posso ter uma coleção de string e int no mesmo objeto Set?
Sim, inclusive no exemplo acima demonstra isso.

Qual é o critério para determinar se um elemento já pertence ao objeto Set?
Boa pergunta, provavelmente algum tipo de hash, apenas suposição aqui.

  • Polyfill seria implementar do zero? Não parece complicado fazer – Jefferson Quesado 12/07/18 às 16:45
  • @JeffersonQuesado ia falar agora. Estou pensando em fazer um :p – Wallace Maxters 12/07/18 às 16:46
  • Não parece ser muito difícil mesmo @JeffersonQuesado, um prototype pra estender e ficar bem transparente e ir adicionando itens num array, dá até um código pra por no github :P – Ricardo Pontual 12/07/18 às 16:48
  • Já tem @RicardoPontual. Dá uma olhada no link – Wallace Maxters 12/07/18 às 16:49
  • 1
    @WallaceMaxters mas põe atrasado nisso, o último commit foi em 2014!!! – Ricardo Pontual 12/07/18 às 16:53
2

Ministério da Saúde adverte: esta resposta possui altas concentrações de teoria

Set

O objeto Set é definido no ECMAScript 2015 como uma keyed colletion, junto com outros três objetos: Map, WeakMap e WeakSet, como sendo uma coleção de valores da linguagem ECMAScript, sendo que valores distintos ocorrer apenas uma vez como um elemento do conjunto - valores distintos são discriminados utilizando o algoritmo de comparação SameValueZero.

Conjuntos devem ser implementados utilizando tabelas hash ou outros mecanismos que, na média, proveem um tempo de acesso que seja sublinear ao número de elementos do conjunto. Qualquer característica comentada nesta resposta será em relação à especificação de implementação previsto pela ECMAScript e pode não representar fielmente o modelo implementado pelos navegadores.

São considerados como valores da linguagem ECMAScript os tipos Undefined, Null, Boolean, String, Symbol, Number e Object

Construtor Set

O Set é o objeto intrínseco %Set% e, também, valor inicial da propriedade global Set. Quando chamado como construtor, cria e inicializa um novo conjunto, porém, mesmo sendo callable, Set não pode ser chamado como função, disparando uma exceção quando o feito: Uncaught TypeError: Constructor Set requires 'new'.

const s1 = new Set();  // Ok
const s2 = Set();  // Exception

O construtor Set foi projetado para ser herdado por outras classes. Classes que herdam de Set e querem manter o comportamento desta devem chamar super em sua inicialização para que seja efetivamente criado e inicializado o novo conjunto no estado necessário para suportar toda a estrutura prevista em Set.prototype.

class Numbers extends Set {
  constructor (numbers) {
    super(numbers)
  }
}


const n = new Numbers([1, 2, 3]);

console.log(...n);

Inicialização de um Set

Set ( [ iterable ] )

Quando o construtor Set é chamado com um parâmetro opcional iterable os seguintes passos são executados:

  1. Se newTarget for undefined, lança a exceção TypeError;
  2. Define set como OrdinaryCreateFromConstructor(NewTarget, "%SetPrototype%", «‍[[SetData]]» );
  3. Se set for uma conclusão abrupta, retorne;
  4. Define o slot interno [[SetData]] de set como uma nova lista vazia (List);
  5. Se iterable não estiver presente, define-o como undefined;
  6. Se iterable for undefined ou null, define-o como undefined;
  7. Senão:
    • Define adder como Get(set, "add");
    • Se adder for uma conclusão abrupta, retorne;
    • Se adder não for callable, lança uma exceção TypeError;
    • Define iter como GetIterator(iterable);
    • Se iter for uma conclusão abrupta, retorne;
  8. Se iter for undefined, retorne set;
  9. Repita:
    • Define next como IteratorStep(iter);
    • Se next for uma conclusão abrupta, retorne;
    • Se next for false, retorne set;
    • Define nextValue como IteratorValue(next);
    • Se nextValue for uma conclusão abrupta, retorne;
    • Define status como Call(adder, set, «nextValue.[[value]]»);
    • Se status for uma conclusão abrupta, retorne IteratorClose(iter, status);

Perceba que a própria inicialização chama o método add para adicionar os valores de entrada, então para entender melhor, será necessário analisar também este método.

Adicionando valores

Set.prototype.add ( value )

Quando o método add do conjunto é chamado, os seguintes passos são executados:

  1. Define S como o objeto this;
  2. Se Type(S) não for Object lança uma exceção TypeError;
  3. Se S não possuir um slot interno [[SetData]], lança uma exceção TypeError;
  4. Define entries como a lista que é o valor do slot interno [[SetData]];
  5. Repita para cada e que pertence a entries:
    • Se e não for vazio e SameValueZero(e, value) retornar true, return S;
  6. Se value for -0, define-o como +0;
  7. Adiciona value como último valor de entries;
  8. Retorne S;

Um algoritmo bastante simples, porém, não trivial dada a dependência que há com o retorno de SameValueZero. Este SameValueZero é um algorimo de comparação implementado no ECMAScript e precisamos entendê-lo também.

Comparação SameValueZero

SameValueZero(x, y)

SameValueZero é um algortimo de comparação implementado no ECMAScript que segue os seguintes passos:

  1. Se x for uma conclusão abrupta, retorne;
  2. Se y for uma conclusão abrupta, retorne;
  3. Se Type(x) é diferente de Type(y), retorne false;
  4. Se Type(x) é Undefined, retorne true;
  5. Se Type(x) é Null, retorne true;
  6. Se Type(x) é Number, então:
    • Se x é NaN e y é NaN, retorne true;
    • Se x é -0 e y é +0, retorne true;
    • Se x é +0 e y é -0, retorne true;
    • Se x possui o mesmo valor numérico de y, retorne true;
    • Senão retorne false;
      1. Se Type(x) é String, então:
    • Se x e y forem exatamente a mesma sequência de unidades de código (mesmo comprimento e mesmas unidades de código nos respectivos índices), retorne true;
    • Senão, retorne false;
      1. Se Type(x) é Boolean, então:
    • Se x e y são ambos true ou ambos false, retorne true;
    • Senão, retorne false;
      1. Se Type(x) é Symbol, então:
    • Se x e y são o mesmo valor de símbolo, retorne true;
    • Senão, retorne false;
      1. Retorne true de x e y são o mesmo objeto, senão retorne false;

Nota: importante notar que mesmo NaN sendo diferente de NaN, dentro do algoritmo SameValueZero, se ambas as entradas forem numéricas e iguais a NaN, o retorno será true.

Perguntas

Dada a breve introdução de Set, vamos aos questionamentos:

Para que serve o Set?

Serve para representar uma coleção de valores não uniformes e únicos. A unicidade se dá pela própria definição de conjuntos da matemática, que afirma que se dados dois conjuntos A e B, tal que A está contido em B e B está contido em A, então A = B, onde diz-se que A está contido em B se para todo elemento pertencente ao A pertence também ao B.

inserir a descrição da imagem aqui

Assim como descrito na introdução, a implementação de conjunto costuma ser feito através de uma tabela hash, que possui relação 1:1 entre a chave e valor, o que, em algumas linguagens, faz com que a ordem dos elementos dentro do conjunto não seja garantida, mas que o tempo de acesso seja, na média, independente da quantidade de elementos.

Como pode a busca de um elemento em um conjunto ser O(1)? (trata sobre isso em Python)

Não achei nada oficial quanto à implementação do Set em JavaScript, mas eu diria que pode-se utilizar o Set quando você precisa de uma coleção de itens únicos, não dependendo da ordem dos mesmos e que o acesso a eles seja rápido.

Quais navegadores o suportam? Atualmente (2018), é suportado em todos?

Caso não tenha suporte em todos os navegadores, existe algum Polyfill?

Vide outras respostas.

Quais são os valores que posso adicionar a um objeto Set?

Todos os previstos como tipos da linguagem ECMAScript: Undefined, Null, Boolean, String, Symbol, Number e Object.

Posso ter uma coleção de string e int no mesmo objeto Set?

Pode, o tipo será considerado dentro do algoritmo SameValueZero que, se forem de tipos diferentes, já são considerados como objetos diferentes.

Qual é o critério para determinar se um elemento já pertence ao objeto Set?

Pode variar conforme a implementação, mas acredito que todos devem satisfazer o algoritmo SameValueZero descrito anteriormente. Muitas linguagens utilizam mecanismos de hash do valor de entrada como a própria chave do conjunto, bastando apenas calcular o hash do objeto de entrada e verificando se o mesmo existe na tabela atual.

  • 1
    Resposta com disclaimer do ministério da saúde? Hahaha, boa – Jefferson Quesado 13/07/18 às 4:26
  • 1
    Eu acho que um pouco de LaTeX na parte de teoria dos conjuntos ajudaria na leitura. – Jefferson Quesado 13/07/18 às 4:30

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.