50

Quando se lê sobre arquitetura de software na web, às vezes é usado o termo "código spaghetti", se referindo a algo que deve ser evitado.

Porém nunca consegui entender com clareza o que "código spaghetti" significa.

  • 4
    +1. Acho esse tipo de pergunta muito importante e estou ansioso pra ver boas respostas :) De antemão, isso é relevante: en.wikipedia.org/wiki/Spaghetti_code – Renan 3/09/14 às 12:40
  • 2
    @MarceloBonifazio eu fiquei surpreso, pois trabalho com programação há uns 10 anos e nunca tinha ouvido falar de código lasanha e código ravioli (sério, olha lá!). Vou ver se encontro algo sobre código fusilli pois é minha massa favorita XD – Renan 3/09/14 às 12:53
  • Antes mesmo do paradigma OO surgiu o paradigma da Programação Estruturada. Acontece que os "jovens" já aprenderam neste paradigma e não imaginam como era a bagunça de programar com GOTO, GOSUB, JPZ, etc – jean 30/05/16 às 12:55
22

É um código com complexidade de fluxo, em geral numa linha constante de execução, onde mistura-se saltos de execução usando estruturas de desvio incondicional, como o GOTO, END, etc.

Um exemplo com código espaguete em BASIC:

10 i = 0
20 i = i + 1
30 PRINT i; " squared = "; i * i
40 IF i >= 10 THEN GOTO 60
50 GOTO 20
60 PRINT "Program Completed."
70 END

Que poderia ser implementado de forma mais bem estruturada assim:

10 FOR i = 1 TO 10
20     PRINT i; " squared = "; i * i
30 NEXT i
40 PRINT "Program Completed."
50 END

Também é usado como termo para mistura de tecnologias quando desenvolve-se com linguagens script, como em PHP+HTML. Entenda que PHP é usado como template em arquiteturas MVC de sistemas onde classes que geram a saída (Visão) precisam escrever HTML puro e inserir dados dinâmicos em sua geração. O termo código espaguete aqui seria usado quando a lógica do programa em PHP está inserida juntamente com a saída de interface do usuário.

Um exemplo em PHP + HTML

<!DOCTYPE html>
<html>
<head><title>Macaronic Code</title></head>
<body>
    <?php
        $ip = $_SERVER['REMOTE_ADDR'];
        $dbh = new PDO('mysql:host=localhost;dbname=mydb', 'username', 'password');
        $statement = $dbh->query("SELECT lastlog FROM logins WHERE ip = '$ip'");
        $row = $statement->fetch(PDO::FETCH_ASSOC);
        $dbh->query("INSERT INTO logins VALUES ('$ip', CURRENT_TIMESTAMP) ON DUPLICATE KEY UPDATE lastlog = CURRENT_TIMESTAMP");
    ?>
    <p>Hello, <?php print $ip; ?>.</p>
    <script>
        var lastlog = "<?php print $row['lastlog']?>";
        if (lastlog > "") alert("You last visited "+lastlog);
        else alert("You've never been here before.");
    </script>
</body>
</html>

Este código teria uma arquitetura melhor se a lógica de conexão estivesse em uma classe ou função de conexão, separada do HTML. A lógica de query do banco de dados também em uma classe ou função. E existisse uma rotina de controle de fluxo que chamasse a geração de saída, passando os dados que ela deverá usar, talvez no formato de um array.

E então a parte HTML somente usaria o PHP como template de acordo com o exemplo abaixo:

<!DOCTYPE html>
<html>
<head><title>Better Code</title></head>
<body>
    <p>Hello, <?php echo $data['ip']; ?>.</p>
    <script>
        var lastlog = "<?php echo $data['lastlog']?>";
        if (lastlog > "") alert("You last visited "+lastlog);
        else alert("You've never been here before.");
    </script>
</body>
</html>

No exemplo acima ainda poderíamos melhorar este código separando a parte JavaScript e inserindo como um arquivo externo de forma não intrusiva.

O verbete da Wikipedia em inglês descreve também o código lasagna, ravioli e macaroni.

O artigo Spaguetti Code descreve técnicas, estratégias para refatorar um código espaguete.

Para entender alguns dos demais conceitos citados:

Desculpem as referências em inglês, mas elas apresentam um material de melhor conteúdo em relação às em português que encontrei.

55

Ensō, o símbolo da iluminação, força, elegância, o universo e o vazio

Assim disse o Mestre Programador: Um programa bem escrito é seu próprio paraíso; um programa mal escrito é seu próprio inferno.


O código Spaghetti é a antítese do código Zen.

É o ruído de processo tendendo ao infinito quando expresso em código.

É a solução preferida de paladares iniciantes, porém não refinados; mata a fome, mas não traz satisfação.

O mestre programador, ao contrário, prefere seu código limpo e enxuto. Ele acaricia o processador ao invés de torturá-lo.

O código Zen é universal; Com um olhar você sabe exatamente o que ele faz.
O código Spaghetti é críptico. Ele não pode ser intuído. Você precisa mapeá-lo.

O código Zen é sucinto. Em poucas linhas ele abrange todo o processo.
O código Spaghetti se repete ritmicamente, mas é pretensioso e faz mau uso do tempo.

O código Zen facilita e abraça o crescimento.
O código Spaghetti torna a manutenção difícil, custosa e lenta.

O código Zen é como a água, se adaptando a novas formas sem esforço.
O código Spaghetti, quando corrigido em um ponto, cria bugs em outros.

O código Zen é um poema.
O Código Spaghetti é o discurso de três horas do diretor financeiro.

Fontes (em inglês):
   - O Tao da Programação
   - Leis Fundamentais do Código Spaghetti
   - Ensō

Com colaborações de @brasofilo. Obrigado!

  • 1
    Isso vem de algum livro? Eu preciso saber qual! – Renan 4/09/14 às 14:25
  • 4
    @Renan Não é de nenhum livro, mas é inspirado em vários textos. =) Eu adicionei os links, bom proveito! – OnoSendai 4/09/14 às 14:28
  • 2
    A última "estrofe" me ganhou. – bfavaretto 4/09/14 às 18:42
  • 2
    @Piovezan eu entendo o seu ponto, e o programador dentro de mim não poderia concordar mais - a razão do meu upvote para Jay e Ademir. Quando comecei a escrever o primeiro draft da minha resposta eu fui nesta direção; mas, devido à quantidade de linguagens existentes, e já que o objetivo da resposta era ser agnóstica em relação à linguagem, eu me vi escrevendo uma resposta Spaghetti - longa e de difícil leitura. E, enquanto que certas liberdades poéticas foram tomadas, o objetivo de demonstrar clareza, simplicidade e legibilidade (como contraponto ao foco do OP) foram mantidos. – OnoSendai 8/09/14 às 13:16
  • 5
    Às vezes a subjetividade consegue ser mais concisa que a explicação mais cartesiana. – Leonel Sanches da Silva 2/10/15 às 19:41
18

Código espaguete é código que tem o fluxo de controle complicado, abusando de mecanismos como exceções, desvios incondicionais (GOTO), e construções semelhantes. Dá-se esse nome porque o fluxograma de código desse tipo tem muitas linhas cruzando e indo para todo lado, lembrando de fato um macarrão espaguete.

O código espaguete é prática usual em BASIC, por exemplo, e a linguagem Pascal surgiu justamente para encorajar o uso de programação estruturada, evitando a "bagunça de fluxo de controle".

Há uma entrada na Wikipedia sobre isto.

  • 4
    Acho que o espaguete é universal. O Esperanto da programação. Já vi em Lingo, ActionScript, JavaScript e PHP. Tenho certeza que meus primeiros passos em Pascal foram espaguete também, mas infelizmente já não tenho registros históricos... – brasofilo 3/09/14 às 20:03
  • 1
    @brasofilo Sinto muito por você ter programado em Lingo :) Curiosidade: o que você usa hoje no lugar do Director? Eu faço muitas aplicações standalone nesse estilo, e cada hora tenho usado uma tecnologia diferente. – bfavaretto 4/09/14 às 13:04
  • 1
    @bfavaretto, não tenho rancor do Lingo, achava engraçadinho ;) Virou DVD Studio Pro pra apresentação de vídeos e Flash para interatividade web. Algumas navegações malucas no dvd, e até comecei a fazer um híbrido dvd video/mac/win, mas não foi pra frente. Depois virou tudo web, com WordPress/jQuery substituindo o Flash. – brasofilo 4/09/14 às 18:01
  • @brasofilo Eu também uso principalmente tecnologias web hoje em dia (HTML5 + JS), mas muitas vezes preciso que isso rode offline, em quiosques ou coisa do tipo. É aí que o bicho pega, ainda não achei um software 100% bacana pra "tocar" isso (o melhor até agora é o node-webkit). – bfavaretto 4/09/14 às 18:40
1

Código spagheti se refere ao código cujo fluxo de controle é confuso e entrelaçado como espaguete. Dessa forma, cada linha de código pode estar referenciando quase qualquer variável em qualquer lugar e manter o código torna-se praticamente impossível, porque o risco de introduzir erros em outros lugares é muito grande. Este termo é muito usado no contexto da programação que utiliza a declaração Goto.

Isso é diferente de código macarrônico, que pode ser definido como um código que usa uma mistura de linguagens de programação em um único documento. Dessa forma, para entender um código macarrônico é necessário ter conhecimento da maioria das linguagens utilizadas nesse código.

O exemplo abaixo é um código macarrônico, que mistura as linguagens HTML, PHP, SQL e Javascript em um único documento.

<!DOCTYPE html>
<html>
<head><title>Macaronic Code</title></head>
<body>
    <?php
        $ip = $_SERVER['REMOTE_ADDR'];
        $dbh = new PDO('mysql:host=localhost;dbname=mydb', 'username', 'password');
        $statement = $dbh->query("SELECT lastlog FROM logins WHERE ip = '$ip'");
        $row = $statement->fetch(PDO::FETCH_ASSOC);
        $dbh->query("INSERT INTO logins VALUES ('$ip', CURRENT_TIMESTAMP) ON DUPLICATE KEY UPDATE lastlog = CURRENT_TIMESTAMP");
    ?>
    <p>Hello, <?php print $ip; ?>.</p>
    <script>
        var lastlog = "<?php print $row['lastlog']?>";
        if (lastlog > "") alert("You last visited "+lastlog);
        else alert("You've never been here before.");
    </script>
</body>

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies