2

Estou a desenvolver um projeto multiplataforma (Windows - Linux - MacOS). Durante o seu desenvolvimento e ao gerar documentação (via Doxygen) percebi que há muitos ficheiros *.h a serem chamados por vários ficheiros *.cpp. As minhas questões são as seguintes:

  1. É possível limitar a quantidade de vezes que um header file é chamado no projeto?
  2. Recomendam o uso da diretiva #pragma once?
  3. Tendo por exemplo que o ficheiro a.h inclui a1.h e a2.h e é incluído por b.h e b.h necessita de a1.h, tenho de os chamar implicitamente em b.h? Não é suficiente estarem já chamados em a.h?

1 Resposta 1

2

É possível limitar a quantidade de vezes que um header file é chamado no projeto?

Sim, se a quantidade for 1. Mais que isso precisaria de ferramentas auxiliares, mas não faz sentido, não tem porque entrar 2 vezes.

Recomendam o uso da directiva "#pragma once"?

Nos compiladores que aceitam, sim, eu prefiro o seu uso. Nem todos aceitam e preferem outros mecanismos que faça o mesmo. Acho preciosismo no estágio atual. Em geral programadores C ou C++ de verdade são acima da média, mas vejo muitos tendo essas coisas de seguir receita de bolo sem olhar o contexto.

Tendo por exemplo que o ficheiro a.h inclui a1.h e a2.h e é incluído por b.h e b.h necessita de a1.h, tenho de os chamar implicitamente em b.h? Não é suficiente estarem já chamados em a.h?

Não precisa. Em condições normais ele já estará incluso e este é até o motivo de existir o pragma once. Você poderia incluir para garantir e não correr o risco de entrar duas vezes.

Dá para fazer umas maluquices e fazer com que a segunda entrada seja processada de forma diferente, mas não recomendo isso, ainda que tenha alguma utilidade.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.