4

Qual a diferença entre os seguintes códigos ?

def bottom():
    yield 42

def bottom():
    return (yield 42)
  • Eu sei o que faz yield mas encontro scripts onde vem associado a um return, nessa resposta só está informando a função do yield não porque o mesmo vem associado ao return – ThiagoLuizS 24/06/18 às 4:31
5

O primeiro caso retorna um gerador, que é um objeto que contém um enumerador, tem um estado de onde esse enumerador está. Quem chamar a função pode pegar o resultado do enumerador. Isto é transparente e dará 42.

No segundo caso o yield retorna o enumerador da sua expressão ali mesmo e depois o resultado desse enumerador é retornado da função, já é o 42.

Na prática não muda nada, neste caso, mas o mecanismo interno é bem diferente.

Pode ver mais em: Para que serve o Yield?.

  • 1
    Obrigado pela resposta Maniero – ThiagoLuizS 24/06/18 às 17:01
  • Como 'na prática não muda nada", se muda? Para obter o 42 no segundo caso, tem que se chamar um método do generator retornado: next(bottom()) - então muda bastante coisa de bottom(). – jsbueno 25/06/18 às 12:37
  • então - a história completa é um pouco mais complicada que isso. – jsbueno 25/06/18 às 13:07
  • @jsbueno não tenho dúvida disso, mas nãis entrar nisso pq ele parece ñ ter entendimento suficiente ainda pra saber em mais detalhes, e vc tem mais condições de falar dos internals de Python do que eu. o Resumo é este. – Maniero 25/06/18 às 13:58
4

Resumidamente, esse é o mecanismo utilizado para que co-rotinas possam retornar valores no Python - detalhes de como funciona seguem abaixo:

Primeiro: se o corpo de uma função tem a palavra chave yield, yield from ou é declarada como async def, o return não funciona como um return normal. O que é retornado quando se chama uma função dessas como se fosse uma função normal é uma co-rotina ou um generator:

>>> def a():
...     return (yield 42)
...  

>>> a()
<generator object a at 0x7fc904b167d8>

O valor do resultado - o que se encontra no return - de um generator ou co-rotina aparece como o atributo .value da Exceção StopIteration causada pelo iterador.

Ou seja, este código:

def a():
    return (yield 42)
try:
    b.send("final value")
except StopIteration as end:
    end2 = end

print(end2.value)

Vai imprimir "initial value". Note que esse mecanismo raramente vai ser usado diretamente pelo programador, e é usado internamente pelo código de suporte a código assíncrono.

O método send foi introduzido ainda no Python 2, uma versão depois da criação da palavra chave yield - acredito que no Python 2.5 - e permite que se envie valores de volta para dentro do generator (como o valor final da expressão yield). A partir desse mecanismo, e mais o método .throw que permite causar uma exceção onde está o yield, permitiram que os generators passassem a funcionar como co-rotinas.

Um uso mais direto acontece quando o generator for usado de dentro de outro generator, com a forma yield from. Nesse caso, o valor retornado como resultado do yield from é o valor de return do gerador mais interno. Ou seja: o código abaixo imprime "None" (que é o resultado do yield na função anterior quando é usado apenas com next:

def c():
    value = yield from a()
    print(value)
    return None

[_ for _ in c()]

Se você esta vendo código que não utiliza programação assíncrona, e tem valores de return dentro de corpos de funções com yield provavelmente esses generators estão sendo usados dessa forma.

Então, esse mecanismo de separar o valor de retorno dentro da exceção que indica o final do generator foi a forma encontrada dessas co-rotinas gerarem um valor final, enquanto que o yield dentro das mesmas passa a servir não para gerar um valor significativo, como no caso de generators comuns, mas para ser um ponto de pausa dessas funções. As co-rotinas são chamadas sempre, ao contrário dos generators, por um código mais complexo responsável por coordenar sua chamada, e chamar outras co-rotinas - esse é o mecanismo usado no asyncio - a biblioteca oficial para execução de código assíncrono no Python. Esse código coordenador é o "event loop" - laço de eventos - do programa que funciona de forma assíncrona.

Nesse caso, o código que usa o generator não é chamado diretamente - ele é chamado de dentro de outras co-rotinas com a palavra chave await, ou é agendado no event loop, de forma que devolva um resultado quando terminar. (O event loop faz toda a coordenação para pegar o .value do StopIteration, ou lançar uma exceção na co-rotina de forma correta, e chamar outras co-rotinas quando o código é "pausado" por um "yield from" ou "await")

Em Python 3.4, o uso do decorator asyncio.coroutine marcava um generator usando yield from para funcionar como co-rotina. Então se você tem código assíncrono feito para funcionar com Python 3.4 (ou emular isso com Python 2.7), ele vai fazer uso do yield from para chamar outras co-rotinas em seu corpo, e usar o return para retornar o resultado final . A partir do Python 3.5 foi criada uma sintaxe especializada - como descrito acima. As co-rotinas passam a ser declaradas com async def em vez de precisar do decorator coroutine, e a palavra chave await é usada no lugar do yield from. (Em suma, em outras co-rotinas chamadas, o valor no "return" é o retornado "normalmente" para uma função chamada na forma valor = await funcao().

Escrevi recentemente uma outra resposta extensa onde falo de mais alguns aspectos da programação assíncrona - dê uma olhada lá: Python geradores assincronos

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.