-2

Este modelo que eu fiz esta legal ou está redundante ainda?

diagrama ER

[Editado] O banco de dados foi modificado. Será que agora posso ter consultas melhores? Eis como está agora:

diagrama ER novo

1
  1. Esse um modelo é bem falho. Obra e Exemplar estão relacionados 1-para-1, e com isso, o resultado é que eles efetivamente são uma única entidade lógica ou que Exemplar é especialização de Livro, e nenhuma dessas duas coisas é o que você queria. Deveria ser um relacionamento 1-para-N.

    O campo idobra de Exemplar deveria ser FK, mas não PK. Um campo novo idexemplar seria acrescentado lá. A chave estrangeira em Emprestimo seria então idexemplar.

  2. Em Obra, o campo quantidade é redundante. Por exemplo, para obter a quantidade a partir de um determinado idobra, você faria isso:

    SELECT COUNT(e.*)
    FROM Exemplar e
    WHERE e.idobra = :idobra
    
  3. Não vejo necessidade em especializar Obra em Livro e em Periodico. Pode ser que seja necessário mais a frente, mas no momento, isso não está trazendo muito ganho não. Ter os campos ISBN e ISSN em Obra com uma check constraint que proíbe que ambos sejam NOT NULL simultaneamente pode ser melhor. Essa check constraint seria isso:

    CONSTRAINT livro_coerente
    CHECK ((isbn IS NULL) <> (issn IS NULL))
    

    Entretanto, se preferir manter Livro e Periodico separados (dispensando essa check constraint), você faz SELECT neles assim:

    -- Seleciona periódicos.
    SELECT p.issn, o.*
    FROM Periodico p
    INNER JOIN Obra o ON p.idobra = o.idobra
    -- Pode acrescentar um WHERE se quiser.
    
    -- Seleciona livros.
    SELECT l.issn, o.*
    FROM Livro l
    INNER JOIN Obra o ON l.idobra = o.idobra
    -- Pode acrescentar um WHERE se quiser.
    

    Se preferir manter junto:

    -- Seleciona periódicos.
    SELECT o.*
    FROM Obra o
    WHERE o.issn IS NOT NULL
    -- Pode acrescentar um AND se quiser.
    
    -- Seleciona livros.
    SELECT o.*
    FROM Obra o
    WHERE o.isbn IS NOT NULL
    -- Pode acrescentar um AND se quiser.
    
  4. Não vejo como Devolucao seja algo que faça sentido estar separado de Emprestimo. Um empréstimo só pode ter uma devolução e uma devolução só pode pertencer a um empréstimo. Até entendo que desse jeito, você garante que a dataDevolucao e o idfuncionario da devolução não possam ficar em um estado onde um é nulo e o outro não. No entanto, esse tipo de restrição seria mais fácil de lidar com check constraint. Minha sugestão é colocar o campo dataDevolucao DATE NULL em Emprestimo com os campos idFuncionarioEmprestimo INTEGER NOT NULL [FK] e idFuncionarioDevolucao INTEGER NOT NULL [FK]. A check constraint seria essa:

    CONSTRAINT devolucao_coerente
    CHECK ((dataDevolucao IS NULL) = (idFuncionarioDevolucao IS NULL))
    
  5. A tabela Multa também não vejo como algo que faça sentido estar separado de Emprestimo. O campo idusuario que nela está é redundante. A check constraint que se aplicaria nisso (após colocar os campos de volta em Emprestimo) seria algo assim:

    CONSTRAINT multa
    CHECK (
        (
            dataMulta IS NOT NULL
            AND motivoMulta IS NOT NULL
            AND valorMulta IS NOT NULL
            AND dataMulta > dataPrevistaRetorno
            AND dataDevolucao > dataPrevistaRetorno
        ) OR (
            dataMulta IS NULL
            AND motivoMulta IS NULL
            AND valorMulta IS NULL
        )
    )
    
  6. Renomeie a tabela Cadastro para Endereco, pois Cadastro é um nome muito genérico. Semelhantemente, os campos idcadastro virariam idendereco. Melhor ainda, faça o relacionamento ser N-para-N acrescentando as tabelas intermediárias Fornecedor_Endereco, Usuario_Endereco e Funcionario_Endereco, pois eles podem ter mais do que um endereço.

  7. Assim como a tabela Endereco seria N-para-N com Usuario, com Fornecedor e com Funcionario, você também poderia ter uma tabela Email (com Fornecedor_Email, Usuario_Email e Funcionario_Email) porque usuários e fornecedores podem ter múltiplos e-mails também e esses são independentes do endereço físico. Com isso, o campo email deixa de estar na tabela Cadastro Endereco.

  8. Você também pode ter uma tabela Telefone que é N-para-N com Fornecedor, Usuario e Funcionario (Fornecedor_Telefone, Usuario_Telefone e Funcionario_Telefone). O campo telefone sai da tabela Fornecedor. Na tabela Telefone, você teria o código de área (DDD), o número, o ramal e talvez o DDI (no caso de ser em outro país).

  9. Uma última recomendação seria fazer o que o nosso amigo Lacobus sugeriu na resposta dele a uma outra pergunta sua. Você teria as tabelas Sexo, Motivo_Multa, Situacao_Exemplar e Estado_Requisicao com valores fixos e os campos existentes seriam chaves estrangeiras para essas tabelas. Essa abordagem causa bem menos dor-de-cabeça do que usar check constraints para fazer isso.

  10. De novo na tabela Exemplar, o campo numeroExemplar está lá a toa. O campo idexemplar já é suficiente para identificar unicamente um exemplar.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.