9

Vejo em muitos códigos atribuirem NULL em um ponteiro logo após um free, tipo:

free(p);
p = NULL;

Qual seria a vantagem disso?

10

Trata-se de uma boa prática que ajuda a evitar comportamentos inesperados e facilita bastante o tratamento de erros.

Após a chamada de free(p) o ponteiro p deixará de apontar para um endereço de memória válido, o que o torna um Ponteiro Selvagem.

Manipular Ponteiros Selvagens quase sempre causa o Comportamento Indefinido do programa.

Acontece que em C, não é possível determinar se um ponteiro trata-se ou não de um Ponteiro Selvagem.

"Forçar" o ponteiro que acabou de sofrer free() para NULL garante que não haverá Ponteiros Selvagens dentro do seu escopo, o que certamente vai facilitar a depuração e o controle de erros no seu programa.

Repare que inicializar ponteiros com NULL também faz parte da mesma ideia, pois o mesmo pode acontecer com um Ponteiro não Inicializado

A boa prática seria algo como:

void foobar( void )
{
    char * p = NULL;

    /* ... */

    free(p);
    p = NULL;

    /* ... */

    if( p == NULL )
    {
        /* ... */
    }
}
8

Isso depende muito do contexto onde é usado. Em especial o ponteiro após o free não é utilizável. Com o valor NULL, ele é utilizável. Por exemplo:

while (p != NULL) {
    // Um monte de código usando p aqui.

    if (alguma coisa) {
        free(p);
        p = NULL;
    }
}

Enfim, se a variável do ponteiro puder ser de alguma forma referenciada depois do free, faz sentido que NULL seja atribuído a ela para evitar referência a algo que não existe mais. O valor NULL pode ser testado, enquanto que um ponteiro inválido não pode.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.