3

Em Python existe o protocolo dos descritores que é, basicamente, definir uma classe para controlar o acesso aos atributos de outra, mas minha dúvida é, seria essa a real funcionalidade de um descritor, somente retirar da classe o trabalho de definir a lógica de acesso a seus atributos?

Aqui segue um script:

class Descriptor(object):

    def __init__(self, name = None):
        self.name = name

    def __get__(self, instance = None, owner = None):
        if instance is None:
            return self
        return instance.__dict__[self.name]

    def __set__(self, instance, value):
        if len(value) < 3:
            raise ValueError
        instance.__dict__[self.name] = value

    def __delete__(self, instance):
        del instance.__dict__[self.name]


class Person(object):

    name = Descriptor('name')
5

A resposta a seguir foi baseada no artigo Descriptor HowTo Guide, escrito por Raymond Hettinger¹, na documentação oficial do Python.

Definição e introdução

Em geral, um descritor é um atributo de objeto com comportamento de ligação cujo o acesso aos campos é sobrescrito por métodos do próprio descritor. Estes métodos são __get__(), __set__() e __delete__(). Se qualquer um desses métodos for definido pelo objeto, este pode ser chamado de descritor.

O comportamento padrão do Python para retornar um campo (get), atribuir a um campo (set) e excluir um campo (delete) é retorná-lo, atribuí-lo ou excluí-lo de um dicionário no objeto. Por exemplo, a.x buscará primeiro o valor de x em a com a.__dict__['x'], após buscará no tipo de a com type(a).__dict__['x'] e assim por diante, através das classes bases de a, até chegar em object, excluindo as metaclasses. Se o valor encontrado para o campo x nesse processo for um objecto que implementa o protocolo de descrição (ser um descritor), o comportamento padrão será alterado para a invocação do método no descritor.

Descritor é um protocolo poderoso de uso geral. Ele é o mecanismo por traz das propriedades, métodos, métodos estáticos e super(), utilizado pela linguagem desde a versão 2.2 para definir as classes no novo estilo.

Protocolo descritor

Como citado, o descritor é composto de três métodos, que possuem as seguintes estruturas:

  • descr.__get__(self, obj, type=None) -> value
  • descr.__set__(self, obj, value) -> None
  • descr.__delete__(self, obj) --> None

E somente isso. Um objeto que define qualquer um desses métodos será considerado um descritor e poderá ser utilizado para sobrescrever o comportamento padrão do Python descrito acima.

Se um objeto define ambos os métodos __get__() e __set__() ele será considerado um descritor de dados (data descriptors). Por sua vez, descritores que definirem apenas __get__() serão chamados de descritores de não-dados² (non-data descriptors) - esse último geralmente utilizado para métodos, mas há outras possibilidades.

A diferença entre um descritor de dados e um descritor de não-dados é como será considerada a sobrescrita com respeito a uma entrada do dicionário da instância. Se o dicionário da instância possuir uma entrada com o mesmo nome que um descritor de dados, o descritor de dados terá precedência. Porém, se o dicionário possuir uma entrada com mesmo nome que um descritor de não-dados, o dicionário terá precedência.

Para definir um descritor de apenas leitura, basta definir ambos os métodos __get__() e __set__() levantando uma exceção AttributeError em __set__().

Invocando um descritor

Um descritor pode ser chamado diretamente através do método. Por exemplo, d.__get__(obj), onde d é o descritor e obj o objeto descrito.

Alternativamente, é muito mais comum um descritor ser chamado através do acesso a campos. Por exemplo, obj.d buscará por d no dicionário de obj; se for um descritor, definindo o método __get__(), então o Python chamará d.__get__(obj), considerando as regras de precedência, obviamente.

Detalhes da invocação dependem se obj é uma instância ou uma classe.

Para instâncias, a lógica se encontra em object.__getattribute__(), que transforma a chamada b.x em type(b).__dict__['x'].__get__(b, type(b)). A implementação trabalha sobre a cadeia de precedência que define que descritores de dados possuem precedência sobre variáveis de instâncias, mas estas possuem precedência sobre descritores de não-dados. Para mais detalhes, ver o código fonte de PyObject_GenericGetAttr() em Objects/object.c.

Para classes, a lógica se encontra em type.__getattribute__(), que transforma a chamada B.x em B.__dict__['x'].__get__(None, B). Em Python puro, se assemelha a:

def __getattribute__(self, key):
    "Emulate type_getattro() in Objects/typeobject.c"
    v = object.__getattribute__(self, key)
    if hasattr(v, '__get__'):
        return v.__get__(None, self)
    return v

Os pontos importantes para lembrar são:

  • Descritores são chamados através do método __getattribute__();
  • Sobrescrever o método __getattribute__() previne chamadas automáticas de descritores;
  • object.__getattribute__() e type.__getattribute__() fazem chamadas diferentes a __get__();
  • Descritores de dados sempre sobrescreve o comportamento do dicionário da instância;
  • Descritores de não-dados podem ser sobrescritos pelo dicionário da instância;

O objeto super() possui uma implementação personalizada de __getattribute__() para chamar descritores. A chamada super(B, obj) buscará em obj.__class__.__mro__ a classe base A que imediatamente segue B e então retorna A.__dict__['m'].__get__(obj, B). Se não for um descritor, m será retornado sem modificações; se não estiver no dicionário, m será revertido para uma busca em object.__getattribute__().

Exemplo

O código a seguir define uma classe cujos objetos serão descritores de dados que exibem uma mensagem quando vosso valor é retornado ou definido. Sobrescrever o método __getattribute__ seria uma abordagem interessante para implementar a mesma lógica para todos os campos, porém, com o descritor, será possível definir quais os campos que serão monitorados.

class RevealAccess(object):
    """A data descriptor that sets and returns values
       normally and prints a message logging their access.
    """

    def __init__(self, initval=None, name='var'):
        self.val = initval
        self.name = name

    def __get__(self, obj, objtype):
        print('Retrieving', self.name)
        return self.val

    def __set__(self, obj, val):
        print('Updating', self.name)
        self.val = val

class MyClass(object):
    x = RevealAccess(10, 'var "x"')
    y = 5

Assim, fazemos:

>>> m = MyClass()
>>> m.x
Retrieving var "x"
10
>>> m.x = 20
Updating var "x"
>>> m.x
Retrieving var "x"
20
>>> m.y
5

Veja funcionando no Repl.it | Ideone | GitHub GIST

Propriedades

A forma mais fácil de se implementar o descritor no Python é utilizando uma propriedade.

property(fget=None, fset=None, fdel=None, doc=None) -> property attribute

A própria documentação dá um exemplo de como fazer:

class C(object):
    def getx(self): return self.__x
    def setx(self, value): self.__x = value
    def delx(self): del self.__x
    x = property(getx, setx, delx, "I'm the 'x' property.")

Inclusive, a implementação equivalente da propriedade em Python puro é exatamente a implementação de um descritor de dados:

class Property(object):
    "Emulate PyProperty_Type() in Objects/descrobject.c"

    def __init__(self, fget=None, fset=None, fdel=None, doc=None):
        self.fget = fget
        self.fset = fset
        self.fdel = fdel
        if doc is None and fget is not None:
            doc = fget.__doc__
        self.__doc__ = doc

    def __get__(self, obj, objtype=None):
        if obj is None:
            return self
        if self.fget is None:
            raise AttributeError("unreadable attribute")
        return self.fget(obj)

    def __set__(self, obj, value):
        if self.fset is None:
            raise AttributeError("can't set attribute")
        self.fset(obj, value)

    def __delete__(self, obj):
        if self.fdel is None:
            raise AttributeError("can't delete attribute")
        self.fdel(obj)

    def getter(self, fget):
        return type(self)(fget, self.fset, self.fdel, self.__doc__)

    def setter(self, fset):
        return type(self)(self.fget, fset, self.fdel, self.__doc__)

    def deleter(self, fdel):
        return type(self)(self.fget, self.fset, fdel, self.__doc__)

Funções e métodos

Dicionários de classes armazenam as referências aos métodos como funções. Na definição de uma classe, métodos são definidos usando def ou lambda, que são as ferramentas de criação de funções. Métodos só se diferenciam de funções normais por causa de seu primeiro argumento, que é exclusivo para o objeto instância da classe.

Para suportar a chamada de métodos, funções definem o método __get__() para ligar o método à instância durante a chamada. Isto significa que todas as funções são descritores de não-dados que retornam um método ligado quando chamadas de um objeto.

Em Python puro, a função seria algo como:

class Function(object):
    . . .
    def __get__(self, obj, objtype=None):
        "Simulate func_descr_get() in Objects/funcobject.c"
        if obj is None:
            return self
        return types.MethodType(self, obj)

Métodos estáticos e de classe

Descritores de não-dados definem um mecanismo simples para variações nos padrões usuais que fazem a ligação de funções para métodos. Por exemplo, descritores de não-dados convertem a chamada obj.f(*args) em f(obj, *args) e klass.f(*args) em f(*args).

O quadro abaixo apresenta todas as transformações para os diversos casos:

inserir a descrição da imagem aqui

Quadro: exemplifica as transformações de uma função, um método estático e um método de classe quando invocados de um objeto e uma classe.

Métodos estáticos retornam a própria função, sem modificações. Chamando tanto c.f ou C.f o equivalente será object.__getattribute__(c, 'f') ou object.__getattribute__(C, 'f'). Como resultado, não faz diferença invocar um método estático de um objeto ou de uma classe.

A implementação equivalente em Python puro seria:

class StaticMethod(object):
    "Emulate PyStaticMethod_Type() in Objects/funcobject.c"

    def __init__(self, f):
        self.f = f

    def __get__(self, obj, objtype=None):
        return self.f

A diferença para um método de classe é que este refere a referência da classe como parâmetro, mas igualmente não faz diferença ao invocá-lo de um objeto ou de uma classe. A implementação equivalente em Python puro seria:

class ClassMethod(object):
    "Emulate PyClassMethod_Type() in Objects/funcobject.c"

    def __init__(self, f):
        self.f = f

    def __get__(self, obj, klass=None):
        if klass is None:
            klass = type(obj)
        def newfunc(*args):
            return self.f(klass, *args)
        return newfunc

Considerações finais

O protocolo dos descritores consiste basicamente em definir uma classe para controlar o acesso aos atributos de outra, mas minha dúvida é, seria essa a real funcionalidade de um descritor?

Sim, com o protocolo de descritor, você transfere a responsabilidade de regras de negócio sobre um campo para outra classe. Desta forma, você mantém a classe original focada na sua própria responsabilidade e deixa detalhes sobre os seus campos para uma classe específica.

Mas, perceba que, como é um protocolo de uso geral, seu uso não possui limitação. A linguagem Python define todas as funções como sendo descritores; métodos são descritores, métodos estáticos e de classe são descritores; propriedades são descritores; e vai além.

Uma aplicação, por exemplo, seria para um campo idade, que não faz sentido possuir valores negativos, então pode-se definir um descritor para este campo:

class Pessoa:
    @property
    def idade(self):
        return self._idade

    @idade.setter
    def idade(self, value):
        if value < 0:
            raise ValueError('Idade não pode ser negativa')
        self._idade = value

Veja funcionando no Repl.it | Ideone | GitHub GIST

Basicamente criamos um descritor de dados que validará o valor antes de atribuí-lo ao campo. Seria o mesmo que fazer:

class Idade(object):
    def __init__(self, value=None):
        self.value = value

    def __get__(self, obj, objtype):
        return self.value

    def __set__(self, obj, val):
        if val < 0:
            raise ValueError
        self.value = val

class Pessoa(object):
    idade = Idade(30)

Veja funcionando no Repl.it | Ideone | GitHub GIST

Mas qual seria a vantagem de implementar uma classe ao invés de apenas definir uma propriedade? Reutilização de código. Ao invés de definir o descritor Idade, poderia ser definido o descritor Positive, que faz a validação de números negativos e utilizá-lo, por exemplo, em dados de uma data, dia, mês e ano, que também não são negativos (geralmente).


1: Se há uma pessoa que você precisa seguir (não fisicamente) para aprender Python, Raymond Hettinger é essa pessoa.

2: Não achei uma tradução fiel para non-data, então deixei não-dados.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.