3

Estou usando GNU bash versão 4.3.46.

Um problema que tenho ao digitar os comandos, é que muitas vezes acabo esquecendo um espaço entre o comando e seus parâmetros. Exemplos:

cd..
gitlog

Quando o correto deveria ser, respectivamente, cd .. e git log. Os casos mais comuns (comandos que uso com mais frequência) eu resolvi criando vários alias, como por exemplo:

alias cd..='cd ..'
alias gitlog='git log'

Mas como esse meu erro de esquecer o espaço é frequente, eu gostaria de uma solução mais geral, ao invés de ter que criar dezenas de alias para cada possibilidade - já que o problema também acontece com comandos que só uso às vezes, e não vale a pena criar um alias só pra isso.


Primeiro tentei fazer um script que, dado um comando incompleto, mostra as opções para completá-lo. No exemplo abaixo usei git l como entrada, só para testar (primeiro eu quis testar um comando com espaço só para ver como funciona; um segundo passo é adaptá-lo para verificar os casos sem espaço):

__print_completions() {
    printf '%s\n' "${COMPREPLY[@]}"
}

COMP_WORDS=(git l)
COMP_LINE='git l'
COMP_POINT=6
COMP_CWORD=1
_git
__print_completions

A saída foi log, o que está correto. Ainda há mais alguns detalhes para trabalhar no script, como por exemplo chamar o comando, caso só haja uma possibilidade, etc. Mas isso não vem ao caso.

O foco da pergunta são os problemas que não estou conseguindo resolver:

  • como fazer este script receber como parâmetro o comando que eu digitei?
  • como quebrar este comando corretamente?
    • ex: cd.. pode ser quebrado como c d.., cd .. e cd. .
  • como fazer o script ser acionado somente quando o comando que digitei não for encontrado? (ou seja, caso exista um alias ou seja um comando válido, eu não preciso deste script, basta rodar o comando)

Ou seja, se eu digito cd.., o bash reconhecerá que este comando é inválido e deverá chamar este script (que corrigirá para cd .. e rodará o comando corrigido).

Como fazer isso? (caso seja possível)


Também estou começando a pensar que talvez este script não seja o melhor caminho, mas não sei se existe outra maneira de resolver isso.

3

Não sei se é possível fazer exatamente o que você quer, mas você pode usar o comando trap para capturar o sinal de DEBUG disparado por cada comando que você executa, vejamos:

Configurando a trap:

$ trap 'echo -e "Capturei o comando: $BASH_COMAND"' DEBUG

Removendo a trap:

$ trap - DEBUG

Exemplo:

$ trap 'echo -e "Capturei o comando: $BASH_COMMAND"' DEBUG
Capturei o comando: __vte_prompt_command

$ c d . . 
Capturei o comando: c d . .
bash: c: command not found...
Capturei o comando: __vte_prompt_command

$ trap - DEBUG
Capturei o comando: trap - DEBUG

Você pode criar um script auxiliar que será executado recebendo a variável com o comando executado ($BASH_COMMAND) como argumento, por exemplo:

$ trap './foobar.sh $BASH_COMAND' DEBUG

A implementação de foobar.sh seria algo como:

#!/bin/bash

case "$1" in

    'cd..')
    ;;

    'c d . .')
    ;;

    'c d..')
    ;;

esac

Referência: https://superuser.com/questions/175799/does-bash-have-a-hook-that-is-run-before-executing-a-command

  • 1
    No fim acabei encontrando outra solução (veja a minha resposta). De qualquer forma, obrigado pela sua resposta, pois aprendi um comando novo (trap). – hkotsubo 22/05/18 às 17:39
2

Acabei descobrindo que a partir do Bash 4 existe o Command not found handler, que é uma função pré-definida que é chamada quando um comando não existe. E o melhor é que você pode sobrescrever esta função (command_not_found_handle).

Mas primeiro tive que resolver o problema de um comando poder ser quebrado de maneiras inválidas. Por exemplo, gitlog pode ser quebrado de várias maneiras:

g itlog
gi tlog
git log <- única opção válida
gitl og
gitlo g

Sendo assim, eu optei por ter uma lista de todos os comandos válidos, e a partir daí eu uso estes nomes para evitar uma quebra inválida:

find ${PATH//:/ } -type f -perm -u+x 2>/dev/null |awk -F"/" '{print $NF}'|cut -d '.' -f 1|sort|uniq

No comando acima, ${PATH//:/ } são os diretórios do PATH, mas substituindo o : por espaço, para que o find use esta lista de diretórios para fazer a busca.

Eu procuro os arquivos (-type f) que eu tenho permissão de executar (-perm -u+x). Depois uso awk e cut para eliminar o caminho completo (como /usr/bin/comando) e ficar somente com o nome do arquivo (comando).

A seguir, uso sort e uniq para eliminar nomes repetidos. Sei que com isso estou ignorando arquivos com nomes iguais em pastas diferentes, mas por enquanto isso não se mostrou um problema.

Tendo esta lista, eu jogo ela em uma variável e faço um loop pelos resultados. Para cada nome de comando da lista, eu vejo se o que eu digitei começa com o nome do comando, e faço a quebra:

# sobrescrever a função para tratar comando não encontrado
command_not_found_handle() {
    CMDS=`find ${PATH//:/ } -type f -perm -u+x 2>/dev/null |awk -F"/" '{print $NF}'|cut -d '.' -f 1|sort|uniq`
    # para cada comando
    for c in $CMDS
    do
        # se o que eu digitei começa com o nome do comando
        if [[ $1 == ${c}* ]]; then
            # roda o comando
            ${c} "${1#${c}}" "${@:2}"
            return $?
        fi
    done
}

Por exemplo, se eu digitei gitlog, esse é um comando que não existe, e isso é passado para a função, na variável $1.

No for eu vejo a lista de comandos, e quando c for igual a git, vai entrar no if [[ $1 == ${c}* ]] (o asterisco é o truque para comparar se $1 começa com git).

Dentro do if, eu rodo o comando (${c}), e quebro a string original (gitlog), usando a sintaxe de string removal: ${1#${c}} remove a ocorrência de ${c} (ou seja, git) da variável $1 (gitlog), então o resultado desta expressão é log.

Depois eu passo os demais parâmetros do comando, caso existam (${@:2}). Assim, se eu digitar gitlog [parâmetros], o comando final será git log [parâmetros].

No final, eu retorno $?, que é o exit status do último comando executado.

Caso nenhum comando seja encontrado, eu devo retornar o exit status padrão para command not found, que é 127. Então eu adicionei outro return no final, após o loop, caso este não encontre nenhum comando. Também imprimo uma mensagem, para simular o mesmo comportamento do bash quando um comando não é encontrado.

O código final da função ficou:

# sobrescrever a função para tratar comando não encontrado
command_not_found_handle() {
    CMDS=`find ${PATH//:/ } -type f -perm -u+x 2>/dev/null |awk -F"/" '{print $NF}'|cut -d '.' -f 1|sort|uniq`
    # para cada comando
    for c in $CMDS
    do
        # se o que eu digitei começa com o nome do comando
        if [[ $1 == ${c}* ]]; then
            # roda o comando
            ${c} "${1#${c}}" "${@:2}"
            return $?
        fi
    done

    # comando não encontrado, imprimir mensagem e retornar exit status
    printf 'bash: %s: command not found\n' "$1" >&2
    return 127
}

Coloquei esta função no meu .bashrc e está funcionando bem.

Às vezes demora um ou 2 segundos, talvez porque fazer um find no PATH não é a coisa mais rápida do mundo (talvez eu não devesse fazer essa busca toda hora).

O caso de cd.. não funciona por causa deste pequeno detalhe. Então este é o único que deixei como alias mesmo. Mas os outros comandos funcionam normalmente.


PS: Os comandos de substituição (${1#${c}} e ${PATH//:/ }) eu peguei neste link.

  • 1
    Muito interessante! – Lacobus 22/05/18 às 20:18

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.