1

Meu programa estava apresentando um comportamento esquisito, até que eu descobri que estava havendo um estouro de array, por exemplo:

int arr[3];
for (int i = 0; i<10; i++) {
    arr[i]=i;
    cout << arr[i];
}

Neste exemplo claro, i ultrapassa o limite de apenas 3 elementos do array.

Entretanto o C++ não avisa nada e o programa vai literalmente detonando a memória, gerando comportamentos imprevisíveis no programa.

Como é possível fazer com que o C++ avise (e evite) quando ocorre isto?

  • Assim como @Maniero falou, o melhor será usar um built in iterator ou comparar com o tamanho do array. – lazyFox 14/05/18 às 15:15
4

Programando em C++ em vez de programar em C. O que você está fazendo é C e não C++. Funciona porque C++ tenta manter compatibilidade com C, mas não é o mais adequado.

Utilize um array, ou um vector, ou algo parecido. E use um iterador que garante que não poderá ir além dos limites (exemplo, outro, mais um, com string, um simplificado, exemplo com e sem iterador mas ainda seguro, um último).

Existem ferramentas externas que podem analisar e tentar informar que tem um erro.

Se quer mais garantias, troque de linguagem. C++ é poderosa, flexível e performática, mas não a mais segura que existe. Ela exige que o programador saiba o que está fazendo.

2

Complementando a solução do Maniero.

Isso é um problema de semântica dinâmica, no qual só é possível saber se vai gerar um erro critico durante a execução, logo não se torna uma responsabilidade do compilador, visto que essa falha não impede a compilação e nem a execução do programa.

Não se trata de um erro e sim de um acesso não confiável a um pedaço de memória não alocada pela variável.

Neste artigo é possível visualizar que é possível acessar uma area de memória fora dos limites do array, porém não é possível escrever nela.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.