0

As vezes preciso inserir um campo ou um index ou fazer alguma modificação mais crítica e muitas vezes peço para que todos saiam da base antes de eu executar o comando.

Esse comando na minha máquina mesmo com a aplicação executa normalmente, mas quando executo no servidor o comando fica pendurado até que todos saiam, vi que depende das tabelas em uso.

Não dá pra saber quais usuários estão usando quais tabelas, até porque eu uso um único usuário pra conexão e a aplicação é muito dinâmica.

Eu sei que alguns comandos não terão jeito pois exige acesso exclusivo a tabela.

Tem como fazer uma verificação se uma determinada tabela esta em uso e o comando que estou prestes a executar pode ficar travado?

Por exemplo em uma tabela com um campo tipo Bytea eu tentei adicionar mais um campo com a tabela em uso, mesmo sendo um campo simples varchar podendo ser null ele não deixa, mesmo saindo da tela que usa a referida tabela e fechando a tabela o comando continua pendurado até que se saia da aplicação, ou seja, desconectando mesmo.

  • 1
  • 1
    Vichi, rsrsr, é @Miguel, as vezes pensamos igual o usuário, "esse problema me parece simples de resolver é só fazer isso ou aquilo", quando na verdade estamos criando um monstro, na minha cabeça talvez algo como o "prepare" resolveria, mas vi que a coisa é mais feia do que parece. – Marcelo 2/05/18 às 15:51
  • Eu lancei a pergunta porque eu também uso o MySQL e nele consigo dar os comando tranquilamente que ele não trava, mas num fórum me explicaram que o MySQL trabalha de forma diferente do PostgreSQL, por isso não lancei a comparação aqui. – Marcelo 2/05/18 às 15:53
  • Basicamente não consegues prever o resultado de um programa sem o executar. Mas não sei se a solução para isto passa por aí, talvez indo por outro caminho consigas – Miguel 2/05/18 às 15:54
  • teria que ver como esta fazendo isso. Aqui no meu, uso apenas um usuário também, e mesmo com clientes conectados, faço alterações na tabela, sem problemas – Rovann Linhalis 2/05/18 às 15:56

1 Resposta 1

1

1) Você pode usar a variável de ambiente statement_timeout, que limita o tempo de execução máximo das operações no banco de dados.

Isso garante que nenhum usuário vai ficar pendurado executando operações no banco de dados por tempo indeterminado ou incompatível com a dinâmica do seu modelo/sistema.

No exemplo a seguir, se o tempo de execução exceder 60 segundos, a operação será cancelada:

SET statement_timeout = '60s';

Alternativamente, essa variável de ambiente pode ser configurada permanentemente na ROLE do usuário.

No exemplo a seguir, o usuário fulano vai ser limitado a executar apenas operações que não levem mais de 120 segundos na database dbfoobar, veja só:

ALTER ROLE fulano IN DATABASE dbfoobar SET statement_timeout TO '120s';

2) Para se identificar quais são as operações que estão sendo executadas pelo banco de dados em um dado momento, você pode fazer uma consulta na VIEW de sistema pg_stat_activity.

A consulta a seguir exibe a listagem detalhada de todas as operações em execução no banco de dados, ordenada pelo tempo de execução:

SELECT
  pid AS identificador,
  usename AS nome_usuario,
  datname AS nome_database,
  client_addr AS ip_origem,
  now() - query_start AS tempo_em_execucao,
  query AS operacao,
  state AS estado
FROM
   pg_stat_activity
ORDER BY
  query_start;

3) Ao se identificar uma operação em execução por um longo período de tempo, você pode forçar seu cancelamento por meio da função pg_cancel_backend(), que recebe como argumento o pid, ou identifcador único da operação a ser cancelada:

SELECT pg_cancel_backend( pid );

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.