8

Levando em consideração a segunda premissa do manifesto ágil:

Software em funcionamento mais que documentação abrangente”

Conforme as práticas ágeis, scrum, XP, etc..., se durante o desenvolvimento, após termos feito o desenho UML das classes, verificarmos a necessidade de criar um atributo novo para uma das classes devemos programar o atributo em nossa classe e banco de dados após e atualizamos a UML? Ou deixamos o desenho UML para traz e seguimos planejando as iterações?

Lembrando que metodologias ágeis não descartam documentação, mas gostaria de saber até qual ponto trabalhamos em conjunto com ela.

8

A questão é...

Quando sua equipe faz reunião ou você discute alguma funcionalidade com um colega desenvolvedor, você usa os diagramas?

Em caso afirmativo, então o uso deve ser cotidiano, portanto é recompensador o trabalho de manter a documentação atualizada.

Em caso negativo, provavelmente os diagramas foram feitos apenas para um entendimento inicial ou para cumprir uma expectativa do cliente ou da gerência, logo não vale a pena, pois o trabalho é mais que o benefício colhido.

Considerações

Se o arquivo-fonte dos diagramas é versionado junto com o código-fonte, então é fácil que qualquer membro da equipe atualize o diagrama e sincronize o projeto com o SCM.

Por outro lado, se a equipe costuma trabalhar com documentos impressos, simplesmente risque o documento a lápis e será suficiente para usar nos próximos sprints (desde, é claro, que ninguém brinque de basquete com os papéis e um cesto de lixo).

Diagramas UML não precisam ser um reflexo 100% preciso do código. Em muitos casos, evito colocar atributos em classes para não comprometer a estrutura interna.

Mas o que ocorre frequentemente é usar a UML para representar o modelo de banco de dados do sistema. Não concordo muito com isso. Existem ferramentas mais adequadas que permitem fazer um MER (Modelo Entidade-Relacionamento) e já sincronizar o diagrama com o banco de dados.

1

O meio mais fácil (e barato) seria fazer as alterções nas classes (software em funcionamento primeiro) e depois fazer a engenharia reversa dela para gerar diagramas de classes e afins. Há várias ferramentas no mercado que fazem isso pra você.

Acho que cabe aqui apontar algo para reflexão que já foi descrito em vários artigos, que UML não é documentação.

  • 1
    Apesar do título do artigo citado (não tenho o artigo completo), nenhuma das fontes (Fowler, Ambler) sugere que UML não seja documentação. Pelo contrário: Again the UML is useful here, providing the diagrams are selective to help communication. – utluiz 19/08/14 às 18:17
  • Sem dúvidas ela ajuda a comunicar, mas isso não implica em ser documentação. Isso está descrito no artigo linkado. – Juliano Alves 19/08/14 às 18:26
  • 2
    O que estou dizendo é que as fontes que o artigo linkado cita não comprovam a ideia passada, nem o autor fornece uma definição apropriada de documentação. Aliás, a definição padrão da documentação segundo os principais autores de Engenharia de Software envolve justamente a comunicação, então ou o autor quis ser um tanto polêmico, ou ele usou uma definição alternativa de documentação. – utluiz 19/08/14 às 18:35
1

No conceito de desenvolvimento "ágil" a documentação é um mero coadjuvante no processo (user story é um ótimo exemplo).

Se você está no "ágil" a ideia é que a documentação seja colaborativa, ou seja, ela vai crescendo de acordo com a necessidade e com a colaboração de todos após interações da equipe (daily scrum ou sprint planing por exemplo).

O importante é entregar valor ao cliente. Se a documentação é um artefato a ser entregue também, fatalmente você terá que atualiza-la, mas não necessariamente no exato momento em que foi identificada uma alteração.

Se a mudança impactará nas próximas sprints, então é interessante que você faça a atualização na documentação.

Agora, se a documentação não é um artefato entregável e se as mudanças não impactarem no que ainda será desenvolvido, sugiro toma-la apenas como lição aprendida.

Lembre-se que o foco na metodologia ágil é entregar valor ao cliente. Por isso eles não abordam documentação, apesar de que a documentação pode sim ser um entregável que gere valor.

Faça seu próprio julgamento.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.