1

Olá,

Estou a começar a desenvolver uma aplicação web com framework spring+hibernate, comecei por um exemplo que continha seguinte classe:

import org.hibernate.Criteria;
import org.hibernate.Session;
import org.hibernate.SessionFactory;
import org.springframework.beans.factory.annotation.Autowired;

public abstract class AbstractDao<PK extends Serializable, T> {

    private final Class<T> persistentClass;

    @SuppressWarnings("unchecked")
    public AbstractDao(){
        this.persistentClass =(Class<T>) ((ParameterizedType) this.getClass().getGenericSuperclass()).getActualTypeArguments()[1];
    }

    @Autowired
    private SessionFactory sessionFactory;

    protected Session getSession(){
        return sessionFactory.getCurrentSession();
    }

    @SuppressWarnings("unchecked")
    public T getByKey(PK key) {
        return (T) getSession().get(persistentClass, key);
    }

    public void persist(T entity) {
        getSession().persist(entity);
    }

    public void delete(T entity) {
        getSession().delete(entity);
    }

    protected Criteria createEntityCriteria(){
        return getSession().createCriteria(persistentClass);
    }

}

É um DAO abstrato para ser usado para os restantes DAOs, não consigo perceber os genéricos que a classe recebe:

public abstract class AbstractDao<PK extends Serializable, T> 

E a linha que está no construtor

this.persistentClass =(Class<T>) ((ParameterizedType) this.getClass().getGenericSuperclass()).getActualTypeArguments()[1];

Não estou confortável com genéricos em java. Conseguem dar uma ajuda explicam a lógica desta classe?

Obrigado.

  • A linha que você achou complicada é uma gambiarra para contornar o type erasure do Java. Como o Java apaga a informação do tipo genérico, é necessária essa gambiarra para saber qual ele é. – Piovezan 24/04/18 às 21:36
0

Olá,

Esta classe está desta maneira para que novos DAOs possam passar diferentes entidades ao extender esta classe e, assim, reusar os métodos desta classe abstrata.

Por exemplo, se você tem uma entidade Pedido (T), no qual a chave primária (PK) é um objeto do tipo Long e deseja criar um DAO para ela, o código ficaria:

class PedidoDao extends AbstractDao<Long, Pedido> {

}

Após isto, você pode usar na classe PedidoDao os métodos de AbstractDao, e estarão todos aderentes a particularidade da sua entidade Pedido.

Sobre o código específico do construtor:

this.persistentClass = (Class<T>) ((ParameterizedType) this.getClass().getGenericSuperclass()).getActualTypeArguments()[1];

A primeira parte:

(ParameterizedType) this.getClass().getGenericSuperclass()

É usada para pegar o tipo de classe parametrizável (ParameterizedType), que contém informações de PK e T. Mas como o código deseja pegar a entidade T, ele usa:

getActualTypeArguments()[1]

Pois na posição [0] está a PK.

0

Esses vão ser tipos declarados pelas classes que extenderão o seu DAO.

Suponha que você crie um DAO concreto para trabalhar com uma entidade Book. Ele deverá ser declarado de foma parecida com:

public class BookDao extends AbstractDao<Long, Book> {
    ...
}

Todas as referências aos tipos PK e T agora serão dos tipos Long e Book, respectivamente. E o seguinte trecho de código será válido:

BookDao bookDao = new BookDao();
Book myBook = bookDao.getByKey(100); // Aqui, getByKey aceita um Long e retorna um Book

É o mesmo conceito utilizado com List e Map, por exemplo. Para criar um ArrayList de String, você deve invocar:

List<String> strings = new ArrayList<String>();
// O metodo add recebera somente strings agora
strings.add("Hello");

Se você buscar a fonte da classe List, verá que ela foi declarada de forma genérica:

public interface List<E> extends Collection<E> {
    ...
}

A linha do construtor é uma forma de buscar, em tempo de execução, a classe do tipo genérico T.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.