19

A dúvida é simples e apenas por curiosidade, num ponto de vista matemático, nós temos algo como comparadores por proporção (ou de Lógica difusa):

Exemplo:

Representação descrita:

x pode ser de 1 até 100 igual a y

Representando com PHP:

if($x >= 1 and $x <= 100){
    echo 'x é ' . $x . '/100 igual a y';
}

Em PHP, temos os operadores de comparação:

  • ==
  • ===
  • !=
  • !==

Sabendo o conceito matemático dito anteriormente, o interpretador do PHP usa esse conceito pra entender esses operadores?

OBS: A dúvida não é sobre a diferença entre eles, e sim, se levando em conta a lógica matemática apenas se podemos considerar como operadores de logica difusa, ou seja, de igualdade baseada em proporção.

  • @GuilhermeNascimento não é sobre isso, e sim qual a lógica que as linguagens usam pra identificar o que esses operadores fazem. – AnthraxisBR 6/03/18 às 18:10
  • 7
    Não, não podem. Lógica difusa não retorna "sim" ou "não". A lógica difusa é o rompimento do axioma do terceiro excluído do sistema axiomático da lógica booleana. Esses operadores não retornam "39% de igualdade". – Jefferson Quesado 6/03/18 às 18:20
  • 1
    O @JeffersonQuesado respondeu certinho o que eu queria saber – AnthraxisBR 6/03/18 às 18:27
  • 1
    @AnthraxisBR, já que a pergunta foi fechada, acabei colando a minha resposta num snippet: gitlab.com/snippets/1702821 – Jefferson Quesado 8/03/18 às 16:20
  • 2
    Meu posicionamento a respeito do porquê essa pergunta deve ser reaberta: pt.meta.stackoverflow.com/q/6857/64969 – Jefferson Quesado 8/03/18 às 16:32
23
+50

Não é um operador de lógica difusa propriamente dito. Não fortemente. Mas pode ser considerado um operador booleano, então de certo modo seria também difuso. Então, para a pergunta "é um operador de lógica difusa?", eu respondo 11.39%.

Para começar, precisamos definir o que é um operador de tipo para, então, definir o que é um operador de lógica difusa.

A descrição do que um BinaryOperator do Java 8 é que um operador binário uma função binária em que os operandos e a saída são do mesmo tipo. Leia a documentação. Por cima, é como se fosse isso:

public interface BinaryOperator<T> extends BiFunction<T,T,T> {
}

Matematicamente, um operador n-ário é uma função que recebe n operandos do mesmo tipo e o retorno também é do mesmo tipo. No caso, para considerar ==, ===, != e !== como operadores, eles só devem ser considerados a nível de operandos que também são da lógica difusa.

Mas, para esses aí em específico, independente de quais são os operandos, o retorno é apenas SIM ou NÃO. Sem terceiro termo.

Mas, o que é a lógica booleana? Formalmente, é composta de 3 axiomas:

  • identidade
  • não contradição
  • terceiro excluído

Você pode ler mais sobre o assunto nessa resposta. E o que é a lógica difusa? É uma mudança nesses axiomas, mais especificamente a remoção do terceiro excluído. No caso, a lógica difusa permite que você tenha algo 11.3% verdade. A mudança é que existam 2 valores (já previstos no booleano) e que exista todo um intervalo contínuo entre esses valores.

No caso, a lógica booleana pode ser mapeada para a difusa da seguinte maneira:

  • SIM ==> 1
  • NÃO ==> 0

O mapeamento contrário não é possível. A cardinalidade do conjunto de valores booleano é finita, não tem como fazer uma bijeção para o contínuo que é o conjunto dos valores difuso. Você até pode fazer uma sobrejeção, mas não seria a função inversa. Se existisse uma função que transforma os valores booleanos em difusos chamada bool2fuzzy e a função que transforma da lógica difusa para a booleana chamada fuzzy2bool, as seguintes fórmulas estão corretas:

seja fuz uma variável pertencente a Difuso
se fuz não pertencer a {0, 1}:
    bool2fuzzy(fuzzy2bool(fuz)) != fuz
senão:
    bool2fuzzy(fuzzy2bool(fuz)) == fuz

Operadores em linguagem de programação vs operadores em matemática

Bem, devo ter feita uma confusão na sua cabeça, ser? Sim ou não? 67%?

Na matemática, um operador (binário) é algo assim:

função de Q,Q em Q

Já em linguagens de programação, não usamos a noção matemática pura do que é um operador. Por exemplo, você pode fazer "123" + 4 em PHP, Java e outras linguagens. No caso, as linguagens de programação usam operadores sintáticos. Um operador sintático não entra no reino da matemática, mas no reino da sintaxe. No caso, para operador sintático binário é quem preenche o espaço de <op> na produção gramatical abaixo:

produção gramatical que representa uma operação binária

Então, no caso das linguagens de programação, a estrutura determina se algo é chamado de operador ou não. Inclusive esta resposta reforça isso.

Conclusão

  • operadores binários na matemática mapeiam 2 objetos em um terceiro objeto, contanto que todos esses 3 objetos pertençam ao "mesmo universo"
  • linguagens de programação chamam de "operadores" algo que encaixa na estrutura de operação
  • comparação, forte ou frouxa, igualdade ou diferença, são operadores de lógica booleana (matematicamente falando quando tratam como entrada valores booleanos)
  • comparação, forte ou frouxa, igualdade ou diferença, são 11.39% operadores de lógica difusa
  • esta resposta está 73% correta
  • 5
    +0.872, boa resposta – bfavaretto 8/03/18 às 17:02
  • 6
    @bfavaretto, essa resposta é boa e é ruim até ela ser lido. Resposta de Schroedinger. Então essa resposta é 0.489506 ruim =D (considerando que a sobreposição de estados quânticos bom^2 + ruim^2 = 1). – Jefferson Quesado 8/03/18 às 17:04
6

Não tem nada a ver uma coisa com outra. A presença de diferentes operadores de igualdade tem a ver com "tipagem fraca".

== e != testam igualdade, e se necessário convertem implicitamente o tipo de um dos valores comparados para viabilizar a comparação. Por exemplo, "2" == 2 é verdadeiro porque a string é convertida para número antes de efetuar a comparação. Mas não tem nada de difuso: "2" == 2.0000000001 continua sendo falso.

Algo semelhante acontece com outros operadores, por isso o PHP possui um operador específico de concatenação, pois "2" + "2" retorna 4, então "2" . "2" retorna "22".

Já === e !== testam identidade, que para tipos simples é a mesma coisa que igualdade sem conversão de tipo. "2" === 2 é falso, "2" === "2" é verdadeiro, 2 === 2 é verdadeiro.

Aproveitando o ensejo, alguns conceitos referentes a tipos:

Tipagem fraca: faz conversões implícitas. Exemplos: Javascript, PHP.

Tipagem forte: não faz conversões implícitas. Exemplos: Python, C, C++...

Tipagem dinâmica: uma variável pode trocar de tipo ao longo do escopo. Exemplos: Python, PHP, Javascript.

Tipagem estática: uma variável não pode trocar de tipo. Exemplos: C, C++.

Embora cada linguagem tenha um caráter, quase sempre há exceções. Por exemplo, Python, C e C++ usam tipagem forte, porém permitem o uso de variáveis de outros tipos em lugar de uma condição booleana, fazendo a conversão implícita. Também é comum a "promoção de tipo automática" quando e.g. um número inteiro é somado a um de ponto flutuante.

Linguagens ultra-modernas como Swift, Rust, Go usam tipagem muito forte, não fazem nem mesmo promoções de tipo, nem conversão automática ente tipos numéricos, pois a experiência mostra que essas conversões e promoções são fontes infinitas de bugs.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.