3

Olá,

Tenho o seguinte script, .sql, para criar uma tabela e cria também um trigger.

SET client_encoding TO 'LATIN1';

CREATE OR REPLACE FUNCTION before_insert() RETURNS trigger AS '
  DECLARE
   n integer;
  BEGIN
   IF tg_op = ''INSERT'' THEN
     select count(*) into n
      from files
      where date=new.date and url=new.url;
      IF n > 0 THEN
        RETURN NULL;
      ELSE
        RETURN new;
      END IF;
   END IF;
  END
' LANGUAGE plpgsql;

create table files
    (date TIMESTAMP, 
     url VARCHAR(4000),
     type VARCHAR(100),
     status INTEGER,
     size INTEGER NOT NULL,
     arcname VARCHAR(100) NOT NULL,
     PRIMARY KEY (url,date));

CREATE TRIGGER before_insert_trigger BEFORE INSERT ON files
FOR EACH ROW EXECUTE PROCEDURE before_insert();

Pelo que percebo, a cada inserção verifica se já existe um registo igual, se existir não insere. Parece me que o trigger foi criado para a inserção não retornar o error de chaves primárias repetida. Já que tenho que inserir um valor de 90 milhões de registos e o trigger está a demorar muito tempo a responder a cada inserção, existe alguma outra forma para contornar o problema?

Obrigado.

  • Estude a cláusula ON CONFLICT do comando INSERT. Provavelmente a opção DO NOTHING possa atende-lo. – anonimo 2/02 às 13:30
2

A chave primária composta (url, date) da tabela files já é capaz de manter a integridade dos dados, essa TRIGGER é completamente desnecessária.

Porém, se a ideia é a inserção rápida e massiva de dados na tabela files, sugiro que todas as triggers relacionadas a tabela files sejam desabilitadas temporariamente da seguinte forma:

ALTER TABLE files DISABLE TRIGGER ALL;

Para habilita-las novamente:

ALTER TABLE files ENABLE TRIGGER ALL;

Se você tem certeza que a integridade dos dados que você deseja inserir na tabela files não violam sua chave primária, você pode acelerar o processo de inserção de dados removendo essa chave:

ALTER TABLE files DROP CONSTRAINT files_pkey;

Após as operações de INSERT você pode recriá-la da seguinte forma:

ALTER TABLE files ADD CONSTRAINT files_pkey PRIMARY KEY(url, date);
  • Mas acho que o trigger estava na tabela para quando se executa o script da inserção massiva não parar a execução com o erro da chave duplicada. Se fizer inserção massiva, contendo duplicação de chaves o script não dará erro e por consequência não termina a sua execução? – alves 19/01/18 às 20:13
  • Alguma ideia de solução possível? – alves 21/01/18 às 21:53
  • Seguindo a linha proposta por Lacobus você pode desabilitar a chave primária e as triggers, fazer a inserção massiva, verificar e tratar possíveis duplicatas e voltar a habilitar tanto a chave primária quanto o gatilho. Outra possibilidade é fazer isso em uma tabela auxiliar e depois de devidamente tratada copiar para sua tabela. – anonimo 2/02 às 13:21

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.