1
void bubblesort(int *A, int n) {
    int i, aux;
    for(i=0; i<n-1; i++){
        if(A[i]>A[i+1]){
            aux = A[i];
            A[i] = A[i+1];
            A[i+1] = aux;
        }
    }
    if(n-1>1)
        bubblesort(A, n-1);
}
void bubblesortI(int *A, int n) {
    int i, aux, j; 
    int troca=0;                //1
    for(i=0; i<n-1; i++){       //Pìor C. = 2n          Melhor C. = 1;
        for(j=0;j<n-i-1; j++){  //Pior C. = n²+n-2      Melhor C. = 2n
            if(A[j]>A[j+1]){    //Pior C. = (n²+n)/2    Melhor C. = n-1
                aux = A[j];     //Pior C. = (n²+n)/2    Melhor C. = 0
                A[j] = A[j+1];  //Pior C. = (n²+n)/2    Melhor C. = 0
                A[j+1] = aux;   //Pior C. = (n²+n)/2    Melhor C. = 0
                troca =1;       //Pior C. = (n²+n)/2    Melhor C. = 0
            }
        }
        if(!troca)              //Pior C. = n-1         Melhor C. = 1;
            break;
    }
    //Pior caso: O(n²)  Melhor caso: O(n)
}

Estou estudando ordenação e complexidade e acabei fazendo o código do bubblesort recursivo e iterativo e queria definir a ordem deles, só que eu não consigo entender como calcular a complexidade de códigos recursivos.

Na frente do código iterativo está o custo de cada linha.

PS: se alguém tiver um dica de cálculo de custo e complexidade de algoritmos recursivos, ficarei feliz.

  • 3
    O recursivo inclui um custo de memória dinâmica que não está previsto nos seus cálculos. Enquanto que a versão iterativa tem memória O(1), a sua versão recursiva gasta O(n) de memória. Também vale ressaltar que o custo de uma chamada de função não é da mesma unidade de grandeza que o custo de uma operação matemática, sendo normalmente mais pesado (bem mais) – Jefferson Quesado 15/01/18 às 17:52
  • Além disto não consigo imaginar como uma simples operação de atribuição pode ter um custo quadrático no pior caso e 0 no melhor. Deveria ser 1 em qualquer caso. O mesmo vale para uma comparação. Olhando simplificadamente. De qualquer forma medir complexidade não é medir velocidade. Velocidade envolve uma quantidade enorme de fatores, inclusive o momento que está sendo executado. Se quiser saber a velocidade de rodar ambos e verificar. Se mudar a condição em que está executando a velocidade pode mudar. Se quer saber a complexidade, se eu não perdi alguma coisa, é para ter a mesma complexidade. – Maniero 15/01/18 às 17:57
  • @Maniero Acho que ele considera que no melhor caso aquele código não é executado (o que está certo, btw) – LINQ 15/01/18 às 17:59
  • @Maniero como o LINQ disse no melhor caso aquela parte do código não é executada e por isso tem custo zero, já no pior caso aquele código é executado todas as vezes e por isso ele custa (n²+n)/2, já que vai atribuir 1 nele todas as vezes, da mesma forma no if. – Hatus Daniel 15/01/18 às 18:10
  • 1
    @HatusDaniel isso seria verdade se o custo fosse homogêneo. Eu posso ter um algoritmo de ordenação que faça o(n log n) leituras e o(n log n) trocas, porém ele ser menos eficiente que um algoritmo que faça o(n^2) leituras porém o(n) trocas. Se o custo da troca for maior que o custo da leitura, tipo muito maior, o segundo algoritmo é assintoticamente linear perante o primeiro, que é linearítmico. Portanto, sim, na análise de complexidade você precisa levar em consideração a heterogeneidade do custo das operações – Jefferson Quesado 15/01/18 às 18:27
2

No caso iterativo, você calculou corretamente.

Pelo que eu entendi nos comentários, você quer avaliar a complexidade assintótica dos seus algoritmos. A análise de complexidade assintótica lida somente com o algoritmo e não com os detalhes específicos da linguagem onde o algoritmo é implementado. Na verdade, se formos considerar tudo, teríamos que levar também em conta o sistema operacional, o hardware e mais n outros fatores que pesam no cálculo do custo do seu código.

Pra evitar essa fadiga, a análise assintótica lida somente com a quantidade de vezes que cada linha do código será executada, e ao final consideramos somente o fator de maior grau (no caso do bubblesort é o ). Se quiser saber mais sobre isso, você pode pesquisar sobre a notação Big-O no Google.

É fácil calcular a complexidade assintótica de um algoritmo iterativo, mas no caso de algoritmos recursivos, você terá que deduzir qual vai ser a sua complexidade através de uma análise numérica. Considerando o seu algoritmo:

void bubblesort(int *A, int n) {
    1 int i, aux;
    2 for(i=0; i<n-1; i++){
    3     if(A[i]>A[i+1]){
    4       aux = A[i];
    5       A[i] = A[i+1];
    6       A[i+1] = aux;
    7   }
    8 }
    9 if(n-1>1)
   10     bubblesort(A, n-1);
}
  • Em um primeiro olhar, já verificamos que a linha do laço for será chamada sempre n-1 vezes. Consequentemente, todo o código que está dentro desse laço também estará sujeito a ser executado n-1 vezes. Como não existe mais nenhum outro laço aninhado e nenhuma outra chamada de função ou interrupção de código que valha a pena levar em conta, a complexidade desse trecho do código (linhas 2 a 6) é O(n).
  • Já para a chamada recursiva, você vai precisar analisar a condição de parada em conjunto com a próxima chamada. Se decrementamos o n a cada vez que chamamos a função recursivamente, e se a condição de parada faz o programa terminar quando n-1>1 (ou, reescrevendo, n > 2), então sabemos que a função será chamada n - 2 vezes. Novamente, levaremos em consideração somente o n.
  • No total, a complexidade do seu código é de O(n²), levando em conta o laço de repetição e as chamadas recursivas.

Se formos analisar outro código:

int funcaoRecursiva(int n)
{
    if (n <= 0)
        return 1;
    else
        return 1 + funcaoRecursiva(n/2);
}

A complexidade desse código é de O(log n). Por quê? Porque a função pára quando n <= 0, e n é dividido por dois a cada chamada recursiva. Ou seja, a função segue o tempo de f(n) = n/2, que é um exemplo simples de função logarítmica na base 2.

Espero ter ajudado a esclarecer a sua dúvida.

  • Muito boa sua explicação cara, não tinha identificada essa diferença das análises, tanto que me pediram para fazer análise assintótica em um código em uma prova e eu fiquei perdido, ainda bem que fiz o certo kkk. Muito obrigado. – Hatus Daniel 3/02/18 às 12:48

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.