3

Elaborei o seguinte código e, ao lado de linha os resultados exibidos. Gostaria de entender o porquê das diferentes exibições.

#include <stdio.h>

int main()
{
int inteiro = 1;
float decimal = 6.1;
char caractere1 = 'g';
char caractere2 = "k";

printf("O valor inteiro e %i\n", inteiro); // aparece 1 (está ok)
printf("O valor decimal e %f\n", decimal); // aparece 6.100000 (está ok)
printf("O caractere1 e %c\n", caractere1); // aparece g (está ok)
printf("O caractere2 e %c\n\n", caractere2); // aparece d (está errado - com certeza porque coloquei aspas duplas na declaração da variável)

printf("O valor inteiro e %i\n", &inteiro); // aparece 2293564
printf("O valor decimal e %f\n", &decimal); // aparece 6.099998
printf("O caractere1 e %c\n", &caractere1); // aparece 7
printf("O caractere2 e %c\n", &caractere2); // aparece 6

return 0;
}
  • da uma olhada aqui cplusplus.com/reference/cstdio/printf ta explicando todas as tags que se pode usar no printf – HudsonPH 4/01/18 às 10:53
  • %c ler apenas uma letra ou um numero inteiro, quando vc usar aspas duplas no char é como se fosse um "conjunto de letras char[]" – HudsonPH 4/01/18 às 10:57
  • Alguma das respostas resolveu sua dúvida? Acha que pode aceitar uma delas? Veja o tour como fazer isso, se ainda não o fez. Você ajudaria a comunidade identificando qual foi a melhor solução para você. Pode aceitar apenas uma delas. Mas pode votar em qualquer pergunta ou resposta que achar útil no site todo. – Maniero 13/01/18 às 0:04
3

Não tem muito segredo, é diferente porque o código pediu para ser diferente.

Representações numéricas para humanos

Uma coisa que eu percebo que as pessoas não entendem que há uma enorme diferença entre o dado e a representação textual para humanos lerem que este dado pode ter.

O dado existe por si só. Não importa como ele está no computador, até porque ele existe como um monte de elétrons e isto não serve para nada no nosso ponto de vista.

Em um nível um pouco mais abstrato representamos como bits, que já é um conceito matemático inventado pelo homem. Um bit pode ser 0 ou 1. Um conjunto de bits formam outros números.

Também podemos dizer que o computador só sabe realizar 3 operações (adição, multiplicação e negação de bits), todas as outras são combinações destas.

Como montamos esses gráficos das aplicações ou jogos? Juntando bits de forma que faça sentido. Tudo o que acontece no computador é assim.

Como fazemos textos aparecerem na tela? Ligamos um monte de pontos na tela que em posições e cores certas desenham o que nós conhecemos como letras, números e outros símbolos. E a forma exata de escrever isto pode variar bastante. Pense em fontes. Então o sistema operacional ou uma aplicação que roda nele pegará um número na memória e verá quais os pontos eles deve ligar para ter o desenho do caractere que é representado por este número.

Tudo isto você não vê, mas está acontecendo no computador. Não tem mágica ou milagre, é só matemática e no nível mais baixo, física.

Mas como sabemos que um número na memória é uma letra? É uma convenção adotada que certos números equivalem a certos caracteres que entendemos. A convenção mais usada é a tabela ASCII. Mas existem outras e, em tese, você pode criar a sua. Você pode dizer que o número 1 é um desenho de um elefante, que o 25 é nada, que o 345 é um círculo vermelho. Não importa. Claro que tabelas padronizadas fazem mais sentido.

Quando usa um argumento no printf() está dizendo como quer que seja apresentado aquele número que está na posição de memória indicada pela variável, expressão ou literal. Poderia ter algum argumento que manda desligar o computador se quisesse, só não faz muito sentido fazer isto.

Tipagem fraca

Algumas linguagens de programação não deixam um número ser interpretado de forma diferente do que ele foi planejado, isto é característica de linguagens de tipagem forte. C é uma linguagem de tipagem fraca. C faz o que for preciso com qualquer informação que está lá.

Isto é muito flexível e poderoso, porém um pouco perigoso. Tem que saber o que está fazendo e tomar mais cuidado.

Explicando cada item

printf("O valor inteiro e %i\n", &inteiro); // aparece 2293564

Está mandando imprimir o endereço da variável inteiro, então está certo.

printf("O valor decimal e %f\n", &decimal); // aparece 6.099998

A mesma coisa, e agora mandando imprimir com as casas decimais. Note que a variável foi declarada como float, mas foi usado um literal double, parece a mesma coisa, mas nem sempre o resultado será exatamente o mesmo. Isto é um pouco mais complicado para explicar aqui.

printf("O caractere1 e %c\n", &caractere1); // aparece 7

Novamente pegou o endereço. O %c trabalha apenas com 1 byte, então está apenas pegando uma parte do endereço, que já tinha pouco significado, agora tem menos ainda.

printf("O caractere2 e %c\n", &caractere2); // aparece 6

O mesmo.

printf("O caractere2 e %c\n\n", caractere2); // aparece d (está errado - com certeza porque coloquei aspas duplas na declaração da variável)

Agora aconteceu o mesmo, mas de forma diferente. Está mandando imprimir um caractere baseado no que receber na variável. O problema já aconteceu na atribuição da variável. Pegou um dado que é do tipo char * e tentou guardar em uma variável que é só char, então ele pegou o endereço de memória da string e guardou em caractere2 sujando a memória já que a variável tem espaço para apenas 1 byte e o endereço tem 4 ou 8 bytes. Tudo errado.

Entenda que o que está sendo mostrado na tela é sempre uma string, que por acaso pode ser composta de caracteres que interpretamos como dígitos numéricos.

Outras questões

Não gosto muito do nome da variável decimal (nem estou falando do fato que o nome não descreve o dado e sim o tipo, afinal isto é só uma demonstração) porque ele não é bem um decimal. Até é, mas de computador que é bem diferente do decimal que nós conhecemos. Por isso chama float e double e não decimal.

Tive que usar um compilador configurado para aceitar certas construções erradas, caso contrário nem compilava isso.

Perceba que aparecem coisas diferentes, afinal a memória está diferente.

#include <stdio.h>

int main() {
    int inteiro = 1;
    float decimal = 6.1f;
    char caractere1 = 'g';
    char *caractere2 = "k";
    printf("O valor inteiro e %i\n", inteiro); // aparece 1 (está ok)
    printf("O valor decimal e %f\n", decimal); // aparece 6.100000 (está ok)
    printf("O caractere1 e %c\n", caractere1); // aparece g (está ok)
    printf("O caractere2 e %c\n\n", caractere2); // aparece d (está errado - com certeza porque coloquei aspas duplas na declaração da variável)
    printf("O valor inteiro e %i\n", &inteiro); // aparece 2293564
    printf("O valor decimal e %f\n", &decimal); // aparece 6.099998
    printf("O caractere1 e %c\n", &caractere1); // aparece 7
    printf("O caractere2 e %c\n\n", &caractere2); // aparece 6

    printf("O caractere2 e %s\n", caractere2);
    printf("O valor inteiro (somado para dar algo imprimível) mostrado como caractere e %c\n", inteiro + 64);
    printf("O endereco de decimal e %d\n", &decimal);
    printf("O inicio do caractere2 e %c\n", caractere2[0]);
}

Veja funcionando no ideone. E no Coding Ground. Também coloquei no GitHub para referência futura.

No Coding Ground a formação da memória causa um problema por causa da sujeira na memória. Se executar algumas linhas e outras não funciona, funciona mesmo que as que geram problema sejam executadas sem algumas outras. A composição delas cria problema.

Por isso que eu sempre falo que funcionar e estar certo são coisas diferentes, o mesmo código gera resultados diferentes em máquinas diferentes porque não está certo.

Funciona e estar certo são coisas distintas

  • "Tive que usar um compilador configurado para aceitar certas construções erradas, caso contrário nem compilava isso." Estou usando o CodeBlocks... qual seria o compilador ideal para quem está iniciando? – Manoel Fonseca 30/12/17 às 23:45
  • CodeBlocks não é um compilador. Se estiver usando WIndows eu instalaria o Visual Studio e usaria o compilador da Microsoft mesmo. Se for Linux use o GCC, mas versões mais novas sempre. Eu tenho pendido para o Clang também. – Maniero 31/12/17 às 0:14
1

Para melhor entender

Você lembra do scanf("%d",&inteiro); ?

scanf(); é comando de leitura;

%d (ou %i) é para representar decimais inteiros;

& é para representar o endereço;

Logo scanf("%d",&inteiro); você vai por conteúdo inteiro em determinada posição da memória.

Esse você está pegando o conteúdo dentro da posição de memória:

 printf("O valor inteiro e %i\n", inteiro); // aparece 1 (está ok)
 printf("O valor decimal e %f\n", decimal); // aparece 6.100000 (está ok)
 printf("O caractere1 e %c\n", caractere1); // aparece g (está ok)
 printf("O caractere2 e %c\n\n", caractere2); // aparece d (está errado - 
com certeza porque coloquei aspas duplas na declaração da variável)

Esse você está pegando o endereço da memória:

printf("O valor inteiro e %i\n", &inteiro); // aparece 2293564
printf("O valor decimal e %f\n", &decimal); // aparece 6.099998
printf("O caractere1 e %c\n", &caractere1); // aparece 7
printf("O caractere2 e %c\n", &caractere2); // aparece 6

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.