0

Estou montando um sistema na qual o usuário terão um acesso bem limitado, apenas visualizar e executar determinadas funções especificas.

Cenário (com usuário root)

Possui três tabelas :

  • Person
  • Device
  • Access

E três 4 funções :

  • sync_person()
  • sync_device()
  • sync_access()
  • sync_access_user()

Desejado (com usuário normal)

O usuário só deve poder :

  • table person - Consultar (SELECT)
  • sync_person() - Executar
  • sync_device() - Executar
  • sync_access_user() - Executar

Problema

As funções estão gerando erro de permissão para as execuções internas.

Cenário hipotético (Criado por root)

CREATE TABLE test(
    name    VARCHAR
);

CREATE OR REPLACE FUNCTION test(
    name    VARCHAR
) RETURNS BOOLEAN AS $func$
    BEGIN
        INSERT INTO test VALUES (name);
        RETURN TRUE;
    END;
$func$ LANGUAGE plpgsql;

GRANT EXECUTE ON FUNCTION test(VARCHAR) TO normal_user;

Execução (Usuário normal)

SELECT test('Temwifi');

ERROR: permission denied for relation test
SQL state: 42501
Context: SQL statement "INSERT INTO test VALUES (name)"
PL/pgSQL function test(character varying) line 3 at SQL statement

Questão

  • Como permitir que o usuário normal execute a função, sem liberar acesso direto aos recursos necessários? Ex.: INSERT
0

Isso pode ser feito adicionando o parâmetro SECURITY DEFINER na função, como explica na documentação.

A função é executada com os privilégios do usuário que a criou.

Assim você pode conceder o privilegio a um usuário de executar esta função, sem necessariamente ele ter privilégios aos recursos necessários.

Adendo

A documentação ainda alerta para ter cuidado ao realizar essa operação, pois um usuário mal intencionado pode se aproveitar de algum privilegio presente desta função.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.