1

No método Log existe o parâmetro do tipo HttpClient. A função só utiliza o parâmetro para acessar a propriedade BaseAddress, que é um Uri.

private void Log(string verb, HttpClient httpClient) {
    var url = httpClient.BaseAddress.ToString();
    Logging.LogInfo(GetType().Name, $"Iniciou requisição HTTP {verb} no endereço {url}");
}

Como todos que chamam Log(string, HttpClient) também tem acesso ao HttpClient.BaseAddress, o método Log poderia ser assim:

private void Log(string verb, string url) {
    Logging.LogInfo(GetType().Name, $"Iniciou requisição HTTP {verb} no endereço {url}");
}

e quem o chama:

Log(HttpVerbs.Post, anotherHttpClient.BaseAddress.ToString());

Dessa forma, eu não passaria o objeto mais complexo do tipo HttpClient mas só o que me interessa, que é uma string. Fiz da primeira forma, passando HttpClient no caso de no futuro eu precisar de mais informações do cliente HTTP no log.

Considerando HttpClient o tipo mais complexo e string o mais simples, o que quero saber é se existe diferença na performance e no uso de memória das duas maneiras.

É a mesma coisa fazer com o objeto complexo e o objeto mais simples? Alguma vai consumir mais ou menos memória? Como isso é tratado no .NET?

4

De forma geral o consumo não faz diferença. Pode ter consequências colaterais, mas depende de muita coisa e não acho que ainda seria importante. Pelo menos para este caso não vejo acontecendo.

O que muda é a questão da engenharia.

Quanto mais informações você passa, mais está acoplando.

Por outro lado quanto mais concreta é a informação passada mais detalhe de implementação você está passando, o que não deixa de ser um acoplamento.

Ou seja, é difícil seguir uma regra. Tem que tentar achar o que faz mais sentido para o caso. Quais as chances de algo mudar e criar uma complicação? Na maior parte das vezes recomenda-se ir no que tem menor risco. Mas sempre pode ter alguma diretriz no projeto que pode exigir fazer diferente.

Algumas pessoas chamarão isto de obsessão por primitivos. Assim como abusar disto é errado, nunca usá-lo também é, depende do caso.

Sem conhecer o caso concreto eu diria que passar a informação mais específica é melhor aí porque é ela que você precisa. Vai que ela possa ser obtida por outras fontes que não o HttpClient? Claro que não é o fim do mundo, sempre dá para criar uma sobrecarga e se não abusar de primitivos fica fácil ter uma assinatura diferente. Talvez fosse o caso até mesmo de já criar ambos. Mas também duvido que seja um problema adotar o objeto mais completo para abstrair como ele pega o que precisa.

Agora, isto é a teoria. Na prática tem muito caso que isto não é relevante.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.