5

Estou estudando operações com números binários sinalizados e me surgiu uma dúvida que gostaria que vocês me esclarecessem:

ao somar dois números com 6 bits sendo 001111(+15) e 010110(+22) obtive o resultado 100101(-5) sendo que o correto seria 0100101(+37).

O que quero saber é se essa adição do 0 na frente é considerada overflow(já que estoura os 6 bits) ou não tem importância alguma?

  • 2
    100101 é 37 não considerando o primeiro bit como sinal. Qual o formato de negativos que está a considerar ? Complemento de 2 ? – Isac 23/10/17 às 0:02
  • @Isac, para obter -5, deve ser um complemento pouco usual para ULAs. Deve ser simplesmente desconsiderar o bit de sinal, o resto dando o módulo do número – Jefferson Quesado 23/10/17 às 0:17
  • 1
    @JeffersonQuesado Pois, é porque existem algumas representações diferentes de binário, logo é preciso saber como ele estava a considerar. O mais comum é mesmo complemento de 2 como deu na resposta, mas duvido que seja o que o AP está a considerar – Isac 23/10/17 às 0:18
  • @Isac, eu conheço complemento de 2, complemento de 1 (que permite a existência do -0) e essa do sinal magnitude. Acho que eu poderia incrementar minha resposta com esses esquemas de numeração. Você está certo quanto a precisar levar em consideração qual esquema está sendo usado. Mas a verdade é que estou com preguiça de incrementar a resposta agora, se você puder colocar uma resposta com essas peculiaridades, seria ótimo – Jefferson Quesado 23/10/17 às 0:21
  • 1
    @JeffersonQuesado tá ótimo, esclareceu minha dúvida, obrigado – naosei 23/10/17 às 11:27
10

Na verdade, o resultado obtido é o certo (assumindo complemento de 2 , como percebido pelo @Isac). Mas não é -5, e sim -27. Mas se você assumir sinal magnitude (veja mais abaixo), o binário que você obteve seria -5 mesmo, mas eu creio que não se faz soma desse jeito na representação sinal magnitude, portanto sou levado a crer que você está a usar complemento de 2.

Estamos em um mundo de 6 bits. Esse mundo consegue representar até um máximo de 64 números distintos. Se não houvesse sinal, esses números variariam de 0 a 63. Como há sinal, no complemento de 2 os números representados são 0 a 31, -32 a -1.

Se você estivesse em um mundo de bitagem variável, aí ocorreria a presença de um bit extra só para indicar que não é um número negativo, mas não é o caso.

Somar dois positivos e obter um negativo na minha lembrança não é um overflow. Overflow seria somar de tal modo que seriam necessários 7 bits independente de sinal para representar a soma obtida. Ou seja, seria o sexagésimo quinto número, estourando a capacidade dos 6 bits de representação. Isso ocorre com -1 + 1.

Alguns números extremos e interessantes com 6 bits:

0   : 000 000
1   : 000 001
31  : 011 111
-32 : 100 000
-1  : 111 111

Algumas operações:

1 + -1 = 0
  000 001 +
  111 111 
  -------
  000 000 (1 de overflow)


15 + 22 = -27
  001 111 +
  010 110
  -------
  100 101

31 + -32 = -1
  011 111 +
  100 000
  -------
  111 111

Notações binárias com sinal

Existem 5 principais notações para números binários com sinal:

  1. Usar um sinal explícito, como na base decimal; porém isso implica que não é possível representar números binários com apenas dois símbolos do alfabeto numérico (a base 10 utiliza-se de 11 símbolos para representar inteiros positivos e negativos, 12 se contar o separador decimal e números quebrados)
  2. Complemento de 2, modo mais usado por ser de aritmética extremamente simples para o processador/para a ULA
  3. Complemento de 1, só conheço para fins acadêmicos
  4. Sinal magnitude, onde o bit de sinal é totalmente independente dos bits de magnitude
  5. "Valor deslocado", onde se considera inicialmente que o número não tem sinal e então subtrai por um "deslocamento", usado para calcular o expoente de pontos flutuantes

    não achei nome melhor; lendo o artigo na Wikipedia achei o termo bias como sendo o que chamei de "deslocamento", mas não entendi qual seria o nome oficial do esquema de representação numérica

Sinal explícito

Não muito usual para processadores. Muito mais comum para representar números negativos em outras bases, ou com números sem bitagem fixa:

101    : +5 em decimal
-101   : -5 em decimal
-10001 : -17 em decimal
10001  : +17 em decimal

Como lado negativo, exige a existência de um terceiro símbolo, o que o torna pouco atrativo para computadores que trabalham com dígitos binários. Sem falar que mesmo com dígitos trinários seria um grande desperdício de espaço...

Complemento de 2

É o esquema mais usado pelas ULAs mundo a fora devido à sua simplicidade de manuseio. Não há diferença entre somar um número negativo nessa base com outro positivo. Ou vice-versa. Ou dois positivos. Ou dois negativos. A lógica de soma é idêntica, não precisa de nenhum circuito complementar nem de algoritmo de soma diferenciado quando se considera números negativos.

Veja esta resposta do @ramaral ensinando a calcular o complemento de 2

Esse esquema foi concebido de tal sorte que a soma de um número com o seu negativo seja sempre uma string de zeros (com um overflow resultante da operação).

Devido a suas características inerentes, existe um número negativo a mais do que positivos. Mas esse número negativo somado a ele mesmo resulta em zero. Para n bits, o maior número negativo em termos de magnitude é -2^(n-1), portanto em 6 bits é -32, em 8 bits é -128.

Complemento de 1

Esse esquema numérico foi elaborado como a simples negação do número positivo. Uma simples negação bit-a-bit de número gera seu complemento de 1. Isso implica na existência de +0 e -0. Isso também implica que a quantidade de números positivos e negativos sejam idênticas. Então, para n bits, o maior número negativo em termos de magnitude é -2^(n-1) +1, portanto em 6 bits é -31, em 8 bits é -127.

Veja esta resposta do @ramaral ensinando a calcular o complemento de 1

Eu particularmente não conheço nenhuma utilidade prática para representação de números assim.

Sinal magnitude

A ideia desse esquema é bem simples, inclusive é usado (grosso modo) em números flutuantes: o primeiro bit indica sinal, os outros bits são a magnitude do número. Isso implica as mesmas observações que eu coloquei acima para complemento de 1:

  • existência de +0 != -0
  • mesma quantidade de números positivos e negativos
  • mesmos limites para números positivos e negativos

Além dessa ideia ser usada para números flutuantes, e talvez utilizada para representar abstrações numéricas maiores (como de repente alguma implementação de BigInteger do Java usar um bit de sinal), não conheço muitas utilidades dessa representação.

"Valor deslocado"

Esse esquema de representação de números é bem simples. Imagina que eu começo do -15. Tudo que eu informo depois é o quão longe está desse valor base de deslocamento. O número que eu informo é um inteiro positivo.

Um outro modo de ver é: o número informado não tem sinal, mas depois de lê-lo, eu o desloco -15.

Imagine que eu tenha o seguinte número, de 5 bits:

11010

Se eu fosse ler esse número como sendo um número convencional sem sinal, eu valeria 2+8+16=26. Porém, ele está na verdade deslocado 15 casas, então o valor que devo considerar é 26-15=11.

Já para esse valor:

00101

Que valeria 5 lendo como se fosse um número convencional, é lido como 5-15=-10.

Essa notação de "valor deslocado" é usado para calcular qual o expoente usado no formato de ponto flutuante IEEE 754. Esse deslocamento de -15 é o utilizado pelo formato de meia precisão IEEE, conhecido oficialmente no jargão da IEEE 754-2008 como binary16.


Leitura adicional:

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.