0

Como faço para não imprimir os números repetidos ? vi alguns exemplos na internet mas eram algo bem complexo no qual não entendi nada :x

#include <stdio.h>

int main (){
int vetA[10], vetB[10], vetC[20], i, j;

printf ("Informe 10 valores para o VETOR A:\n\n");
for (i=0; i<5; i++)
scanf ("%d", &vetA[i]);

printf ("\nInforme 10 valores para o VETOR B:\n\n");
for (i=0; i<5; i++)
scanf ("%d", &vetB[i]);

    for (i=0; i<5; i++)
    vetC[i] = vetA[i];

    for (i=5; i<10; i++)
    vetC[i] = vetB[i-5];

    printf ("\nA uniao dos vetores e:\n\n");
    for (i=0; i<10; i++)
    printf ("%d, ", vetC[i]);
}
  • Relacionada: pt.stackoverflow.com/a/236929/64969 – Jefferson Quesado 22/10/17 às 22:55
  • 1
    "não imprimir numeros repetidos" - penso que o que quer dizer é construir um vetor resultante sem números repetidos certo ? – Isac 23/10/17 às 1:30
  • @Isac quero que o vetorC nao imprima 2x o mesmo numero tipo eu digito o numero 1 no vetorA e B mas so vai imprimir o numero 1 apenas uma vez nao vai repetir. – Gustavo Carvalho 23/10/17 às 1:53
2

Pode resolver o problema, adicionado apenas ao vetC sempre que sabe que o elemento ainda não existe em vetC. Para simplificar podemos começar por construir uma função que faça a verificação:

int existe(int* vetor, int tamanho, int elemento){
    int i;
    for (i = 0; i < tamanho; ++i){
        if (vetor[i] == elemento) return 1;
    }

    return 0;
}

Repare em 2 pormenores importantes desta função:

  • O tipo de retorno foi marcado com int quando este é utilizado como 1 ou 0, de verdadeiro ou falso. Isto acontece porque em C não temos nativamente booleanos.
  • O tamanho do vetor teve de ser passado como parâmetro pois não há forma de o saber dentro da função.

Agora no main percorre-se os dois vetores vetA e vetB e apenas se adiciona se não existirem já:

int tamC = 0;

for (i = 0; i < 5; ++i){
    //se vetA[i] ainda não existe em vetC adiciona a vetC e aumenta a quantidade
    if (!existe(vetC, tamC, vetA[i])) vetC[tamC++] = vetA[i];
    if (!existe(vetC, tamC, vetB[i])) vetC[tamC++] = vetB[i];
} 

Repare que apenas se não existir é adicionado no vetC e incrementada a variável tamC. Isto significa que no fim do for, tamC indica o tamanho real de vetC tendo em conta os elementos duplicados que não foram inseridos.

Esta solução adiciona elementos de A e B intercaladamente. Se pretender manter a ordem original, com todos os de A e depois todos os de B, tem que separar em 2 for:

for (i = 0; i < 5; ++i)
    if (!existe(vetC, tamC, vetA[i])) vetC[tamC++] = vetA[i];

for (i = 0; i < 5; ++i)
    if (!existe(vetC, tamC, vetB[i])) vetC[tamC++] = vetB[i];

Se o tamanho dos vetores é uma constante definida inicialmente então é melhor tornar isso explicito com um #define por exemplo:

#define TAMANHO 5

Veja o programa com estas alterações no Ideone

Nota final: Esta solução é quadrática (O(n²)) e por isso poderá não servir se a entrada de dados for gigantesca. Nessa caso poderá optar por outra solução mais eficiente, ainda que implique pré processamento dos dados de entrada.

  • Para os curiosos, o jeito mais eficiente é ordenar os dois conjuntos e fazer a união deles. Tendo dois conjuntos ordenados, o tempo para se concatenar os elementos únicos é o(|a| + |b|). A ordenação genérica dos dois conjuntos a e b pode custar até o(a log a + b log b) – Jefferson Quesado 23/10/17 às 2:46

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.