5

Tenho uma dúvida quanto ao uso "adequado" de $this, self, static e parent em alguns cenários específicos. Conheço o significado e uso teórico de cada um:

  • $this: basicamente faz referencia a instância do objeto. Serve para propriedades não estáticas e métodos. Não pode ser utilizado com constantes

  • static: o mesmo que $this, mas é usado para métodos, propriedades estáticas e constantes

  • self: usado para métodos, propriedades estáticas e constantes. Na prática em uma hierarquia de classes ele faz referência a classe em
    quem que self está sendo escrito

  • parent: fará referência a classe pai. Poderá ser usado com métodos, propriedades estáticas e constantes


No código abaixo a ideia de usar parent foi dar a visibilidade de que o método chamado é um método "externo", ou melhor, herdado. Isso estaria correto?

<?php

class Pessoa{     

    private $nome;
    private $idade;
    private $sexo;  

    protected function setNome($nome)
    {
        if(is_string($nome)) {
            $this->nome = $nome;
            return true;
        }

        return false;
    }

    protected function setIdade($idade)
    {
        if(is_int($idade)) {
            $this->idade = $idade;
            return true;
        }

        return false;
    }

    protected function setSexo($sexo)
    {
        if($sexo == 'M' || $sexo = "F") {
            $this->sexo = $sexo;
            return true;
        }

        return false;
    }

    public function getNome()
    {
        return $this->nome;
    }

    public function getIdade()
    {
        return $this->idade;
    }

    public function getSexo()
    {
        return $this->sexo;
    }
} 

class Funcionario extends Pessoa
{ 
    private $empresa;
    private $salario;

    public function __construct($nome, $idade, $sexo, $empresa, $salario)
    {
        parent::setNome($nome);
        parent::setIdade($idade);
        parent::setSexo($sexo);
        $this->empresa = $empresa;
        $this->salario = $salario;
    }

    public function getEmpresa()
    {
        return $this->empresa;
    }

    public function getSalario()
    {
        return $this->salario;
    }
}

$funcionario = new Funcionario("Yuri", "19", "Masculino", "Tam", "3000");

echo $funcionario->getNome() . ' Trabalha na: ' . $funcionario->getEmpresa() . ' e ganha ' . $funcionario->getSalario();

Agora uma pergunta macro: existe alguma receita que sugira quando é melhor utilizar $this, self, static ou parent?

3

Fabio, acredito que esse exemplo que você postou não deve ser seguido (o de usar parent::setNome). Não existe vantagem nenhuma, e se usar parent dessa forma é necessário, provavelmente é um indicativo de uma falha de design.

Se uma classe herda os métodos, então você deve poder usá-los da mesma forma que usaria os métodos da classe herdada.

Agora suponha que você precisa sobrescrever o método setNome na classe filha. Se você o fizer, parent::setNome não vai executar o método sobrescrito, mas sim o método da classe herdada, o que provavelmente não seria o resultado esperado.

  • Obrigado Thiago, sua explicação tirou uma dúvida que eu tinha quanto à utilização de parent. – Fábio Jânio 22/10/17 às 22:21
12

A receita é: usar aquele que deve ser usado.

Como você bem descreveu, os quatro fazem coisas distintas, então basta utilizar o correto, não existe melhor.

parent

Faz referência a classe pai que foi herdada pela classe atual. Basicamente foi criado para que você não precise, dentro da classe filha, ficar explicitando qual é a classe pai de onde será chamado o método, acessar o atributo, constante, etc.

<?php

class A {
    function example() {
        echo "I am A::example() and provide basic functionality.<br />\n";
    }
}

class B extends A {
    function example() {
        echo "I am B::example() and provide additional functionality.<br />\n";
        parent::example();
    }
}

$b = new B;

// This will call B::example(), which will in turn call A::example().
$b->example();

// Saída:
// I am B::example() and provide additional functionality.
// I am A::example() and provide basic functionality.

Exemplo retirado da documentação oficial. Veja funcionando no Ideone | Repl.it

No código acima, o método example é reescrito em B, porém, sua referência em A permanece através de parent. A única diferença de se fazer, aqui, A::example(), é de não precisar explicitar o nome da classe que foi herdada. Se o nome da classe A mudasse para W, bastaria apenas alterar na declaração de B, class B extends W, e não no código inteiro. O resultado é exatamente o mesmo.

this

Referência à própria instância. Tudo que pertence a instância estará disponível em $this. Métodos estáticos e constantes pertencem à própria classe e, portanto, não são acessível neste objeto (em PHP). Adaptando um pouco o exemplo anterior, podemos fazer:

<?php

class A {
    function example() {
        echo "I am A::example() and provide basic functionality.<br />\n";
    }
}

class B extends A {
    function example() {
        echo "I am B::example() and provide additional functionality.<br />\n";
    }

    function main() {
        $this->example();
        parent::example();
    }
}

$b = new B;

// This will call B::example(), which will in turn call A::example().
$b->main();

// Saída:
// I am B::example() and provide additional functionality.
// I am A::example() and provide basic functionality.

Veja funcionando no Ideone | Repl.it

self

A referência em self aponta sempre para a própria classe onde é utilizado e é essa a diferença para o static. Ao utilizar self em A, a referência será para a classe A e quando utilizado em B a referência será a B. Isso influencia muito, por exemplo, quando você quer definir o retorno em um método:

<?php

class A {
    public function example() {
        return new self;
    }
}

class B extends A {

}

$b = new B();
$obj = $b->example();

echo get_class($obj), PHP_EOL;

// Saída:
// A

Veja funcionando no Ideone | Repl.it

Perceba que ao definir o retorno como self, será retornado um objeto instância de A, não de B.

static

Semelhante ao self o static sempre fará referência à classe da instância utilizada. As vezes, o comportamento do static é resumido como um self preguiçoso, pois ele não define a referência na hora. Executando o mesmo exemplo acima, alterando self para static, temos:

<?php

class A {
    public function example() {
        return new static;
    }
}

class B extends A {

}

$b = new B();
$obj = $b->example();

echo get_class($obj), PHP_EOL;

// Saída:
// B

Veja funcionando no Ideone | Repl.it

Mesmo que static seja utilizado na classe A, o retorno será uma nova instância de B, pois o new static foi invocado a partir de uma instância de B e, como dito, static sempre faz referência à classe da instância atual.

Resumindo...

  • parent deve ser utilizado quando precisa referenciar a classe pai;
  • this deve ser utilizado para referenciar a instância corrente;
  • self deve ser utilizado para referenciar a classe onde é aplicado;
  • static deve ser utilizado para referenciar a classe da instância onde é aplicado.
  • Acredito que a maior dúvida seja, todos os métodos foram herdados, devo fazer referência aos métodos herdados utilizando $this, ou seja, trabalhar com os métodos que foram herdados, ou devo acessa-los na classe pai via parent? – Fábio Jânio 20/10/17 às 13:31
  • 1
    Se o método foi herdado, this, pois pertence à instância. O parent será utilizado apenas para invocar um método da classe pai em caso de conflito ou métodos estáticos. – Anderson Carlos Woss 20/10/17 às 13:34

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.