5

Quando vou baixar uma foto no meu sistema, o processo de download passa por um método de segurança que me retorna um objeto chamado DownloadResponse.

public class DownloadResponse{
    public bool IsValid{get; set; }
    public int DownloadTypeID { get; set; }
}

Dentro dele eu tenho o IsValid e o DownloadTypeID, DownloadTypeID pode tanto retornar 1 quanto 2, 1 para download e 2 para re-download.

Quando o valor for 2 eu precisaria retornar um valor do meu banco chamado license-key porém eu queria inserir esse license-key dentro do retorno desse meu objeto inserindo uma variável "opcional":

public class DownloadResponse{
    public bool IsValid{get; set; }
    public int DownloadTypeID { get; set; }
    public string LicenseKey { get; set; } //Só tera valor quando o DownloadTypeID == 2
}

É correto eu fazer isso nesse tipo de situação? Fico na duvida se não fere algum conceito de orientação a objetos.

1 Resposta 1

6

Eu falo muito sobre má prática. Falo o quanto isto quer dizer pouco ou nada. Tem que fazer o que precisa para atender a necessidade da melhor forma possível. Isto varia de caso para caso.

Consegue pensar em outra solução melhor que não faça isso?

Eu penso em uma que tem tipos diferentes (provavelmente herdados de uma base comum) dependendo do estado de outra variável, o que na prática fará esta propriedade desaparecer destes tipos já que o tipo já indicaria o que teria em seu valor. Isto resolve a questão de ter uma variável com um dado nulo (opcional). É questionável se isso é melhor ou não.

Os mais puristas vão dizer que tem que fazer assim. Os mais pragmáticos vão dizer que não é bem assim e pode complicar a aplicação sem necessidade.

Em um banco de dados dá para fazer tudo como NOT NULL, mas pode complicar a modelagem. É a mesma coisa. Entenda que só terá um nulo ali em LicenseKey.

Não fere nada de OO, e se ferir mas resolver bem seu problema, que fira. Um dos erros que se comete é achar que basta seguir uma metodologia específica e tudo ficará lindo. Fazer certo é o que importa e isto nenhuma metodologia diz como é em cada caso.

Pode ter algum problema para o seu caso, mas nada a ver com orientação a objeto.

Note que o fato de ter um nulo passa fazer parte da definição do seu domínio. Você precisa saber que só pode pegar esta informação verificando se ela está válida. Isso pode até ser abstraído no próprio objeto. Se fizessem objetos diferentes haveria a garantia que está sempre válido, mas teria que tratar tudo de forma diferente para cada tipo, teria método que saber lidar um o objeto que tem uma chave e outro que sabe lidar com o objeto que não tem.

Eu não sou fã de nada nulo, e por sorte C# 8 deve permitir evitar seu uso. Mas há casos que o nulo faz muito sentido. Em C# 8 ficará interessante porque mesmo onde precisa ser nulo o compilador te obrigará tratar adequadamente.

Em C# 8 pode ser interessante fazer assim:

public class DownloadResponse{
    public bool IsValid { get; set; }
    public int DownloadTypeID { get; set; }
    public string? LicenseKey { get; set; }
}

Coloquei no GitHub para referência futura.

3
  • Vou fazer assim então ! Obrigado pela ótima resposta como sempre. – Leonardo Bonetti 16/10/17 às 16:26
  • Eu poderia criar um outro objeto de resposta com a LicenseKey porém acho que ia ficar mais complexo do que a LinceseKey sendo nula em alguns casos. – Leonardo Bonetti 16/10/17 às 16:27
  • É, tudo será mais complicado, não vejo ganhos de nenhum tipo. Eu não upei a pergunta porque acabaram meus votos hj. – Maniero 16/10/17 às 16:47

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.