8

Lendo um pouco do código fonte do .NET percebi que alguns métodos possuem um modificador peculiar, o unsafe.

[System.Security.SecuritySafeCritical]  // auto-generated
[System.Runtime.CompilerServices.FriendAccessAllowed]
internal unsafe static Boolean TryStringToNumber(String str, NumberStyles options, ref NumberBuffer number, StringBuilder sb, NumberFormatInfo numfmt, Boolean parseDecimal) {   

    if (str == null) {
        return false;
    }
    Contract.Assert(numfmt != null, "");

    fixed (char* stringPointer = str) {
        char * p = stringPointer;
        if (!ParseNumber(ref p, options, ref number, sb, numfmt, parseDecimal) 
            || (p - stringPointer < str.Length && !TrailingZeros(str, (int)(p - stringPointer)))) {
            return false;
        }
    }

    return true;
}

A documentação é clara sobre o modificador:

A palavra-chave unsafe denota um contexto inseguro, que é requerido para qualquer operação envolvendo ponteiros. Fonte

  • O que faz esse modificador?
  • Por que contextos que envolvam manipulação de ponteiros são considerados inseguros no .NET?
5

O que faz esse modificador?

O modificador só indica para o compilador que você vai usar código inseguro e portanto ele deve permitir que este código seja considerado válido.

Para compilar um código unsafe é preciso dizer isto ao compilador com a flag /unsafe.

Os desenvolvedores da linguagem queriam dar a facilidade de manipular dados de forma mais livre que o norma que o C# permite, mas não queriam que isto fosse feito sem ser explícito, não queriam que abusassem disto. O que até poderia facilitar algumas otimizações em outros pontos.

Note que o seu uso muda as características de segurança da aplicação e pode exigir o uso de forma um pouco diferente do normal. Pode até não conseguir executador em certos cenários. O código se torna inverificável pelo CLR.

Por que contextos que envolvam manipulação de ponteiros são considerados inseguros no .NET?

O ponteiro bruto é o principal mecanismo inseguro da linguagem, mas ele é útil para interoperabilidade com outras linguagens, principalmente C e também para obter mais performance acessando a memória de forma direta, da mesma forma que o C faz.

Não que ele seja completamente livre e que a memória deixe de ser gerenciada quando o faz, mas pode acessar de forma equivocada partes de dados e provocar resultados inesperados que não são normais dentro do que é normalmente aceito no C#.

Dependendo de como for usado é possível abrir uma brecha de segurança e um dado externo interferir no acesso à memória e ter os problemas que normalmente uma linguagem como C ou C++ tem. Ainda que um pouco mais limitado já que não pode acessar posições arbitrárias de memória, tem que pegar endereço de um objeto existente.

Ponteiros

O ponteiro não tem os mesmos controles de acesso que outras formas possuem, o que torna o código mais lento. Em geral o controle de acesso de array é o responsável por isto. Note que o JITter pode eliminar isto e a velocidade ficar a mesma do uso de ponteiros. Ainda que o cenário mais comum onde é possível eliminar este overhead tenha outros custos.

Há alguma limitação de como pode usar o ponteiro, ele não pode apontar para qualquer tipo, só os tipos por valor são aceitos (o ponteiro é um tipo por valor). Existe uma restrição para tipos que possuam tipos por referência como um dos seus membros.

Inclui aí o void * que é um ponteiro para um tipo desconhecido, mas ele não pode acessar qualquer coisa, se quiser usá-lo para acessar outro tipo precisa de um cast para o tipo para deixar claro a intenção, o que na prática torna seu uso mais seguro e menos útil que em C.

Ponteiros saem do sistema de tipos normal do C#, portanto não herdam do Object e não podem ser usados normalmente.

A segurança de tipos é relaxada, mas não desligada.

Com o advento do Span<T> o uso de ponteiro se torna menos necessário ainda.

4

O que faz esse modificador?

Blocos de código formados com unsafe permitem o uso de ponteiros dentro dele, exemplo:

using System;
class MyClass {
    public unsafe static void Main() {
        int numero = 10;
        int* pNumero = &numero;
        Console.WriteLine("numero é " + numero);
        Console.WriteLine("endereço é " + (int)pNumero );
    }
}

se aí não tivesse unsafe, um erro de compilação aconteceria.

Por que contextos que envolvam manipulação de ponteiros são considerados inseguros no .NET?

Acredito que ponteiros são relativamente "inseguros" em qualquer ambiente, não só .NET, porque se usados de forma errada, podem resultar em comportamentos inesperados, ou undefined behaviors. Em C#, o que você normalmente esperaria que disparasse uma exceção, poderia simplesmente ter como output um valor estranho ou inesperado, devido ao uso de ponteiros.

Raramente é útil o uso de ponteiros em C#, mas há algumas situações em que pode ser útil, como algum trecho de código em que é necessário ter a performance o mais alta possível

4

C# é uma linguagem com segurança de tipo (type-safety)

Mas o que seria segurança de tipo? O jeito mais fácil de explicar isto é explicando como seria o contrário disto.

Em linguagens como o C ou C++ você pode fazer coisas poderosas no cenário correto (e perigosas se não tomar cuidado), como tratar um tipo de dado como um outro tipo totalmente diferente, sem converter ou castar este elemento para o tipo especificado.

Por exemplo, você pode pegar um ponteiro de um char e tratá-lo como se fosse um ponteiro do tipo int. Isto é comum e aceitável nestas linguagens. A linguagem realmente lê os bytes do valor do ponteiro especificado e interpreta eles do jeito errado.

Esta é a definição do contrário do que seria uma operação com "segurança de tipo" ou "type-safety".

No C#, temos o que chamamos de segurança de tipo (type-safety), em que o compilador assegura que aquele objeto realmente é daquele tipo, o que previne que este tipo de coisa seja feita, não permitindo o acesso a ponteiros, todavia, ao adicionar o modificador unsafe, você sai desta zona de conforto e segurança e pode abusar de ponteiros e tipos como o próprio C/C++ (ainda assim com um pouco de segurança).

Obviamente, no C# você pode tentar castar um objeto de um tipo para outro tipo, mas se o compilador detectar que realmente é impossível a conversão entre estes dois tipos, ele vai acusar erro de compilação. Mesmo que que o compilador aceite o cast de tipos não compatíveis, o runtime vai lançar erro na execução.

Há também a linguagem dinâmica no C#, que funciona mais ou menos como o unsafe, porém sem o acesso a ponteiros.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.