21

O objeto window em browsers possui uma propriedade window que é auto-referente:

window.window === window; // true

E ainda há outras propriedades equivalentes nos browsers:

self === window; // true
top === window;  // true
self === top;    // true
self.top.window === window.top.self; // true

No Node.js, o objeto global também é auto-referente:

global.global === global; // true

Qual é a utilidade dessas propriedades, e qual é o motivo de sua existência?

11

A necessidade da propriedade window.window advém da forma como JavaScript referencia suas variáveis. Toda vez que uma expressão é criada envolvendo um identificador (i.e. um nome) a engine do JS procura em um objeto especial - chamado Variable Object - pela chave correspondente àquele identificador. (esse objeto recebe esse nome provavelmente pela sua função: um objeto que armazena variáveis)

console.log(x + 1); // Procura por <<Variable Object>>['x'] 
                    // e depois por <<Variable Object>>['console']

Quando o código a ser executado está no top-level, o Variable Object é equivalente ao Global Object (que, no browser, seria o window, mas em outros ambientes pode ser diferente). Ou seja:

console.log(x + 1); // Procura por window['x'] 
                    // e depois por window['console']

Já quando esse código está dentro de uma função, o Variable Object é chamado Activation Object, e é diferente para cada invocação da função:

function foo() {
    console.log(x + 1);
}

foo(); // Procura por <<Activation Object 1>>['x'] 
       // e depois por <<Activation Object 1>>['console']
foo(); // Procura por <<Activation Object 2>>['x'] 
       // e depois por <<Activation Object 2>>['console']

O programador não possui acesso direto ao Activation Object, apenas indireto através da tentativa de acessar uma propriedade por nome. Um Activation Object define um contexto de execução, ou seja, um conjunto de variáveis que estão acessíveis para serem utilizadas por aquele trecho de código. Um contexto de execução pode "herdar" de outro contexto, que pode herdar de outro, e assim por diante (para mais detalhes, ver essa minha outra resposta na pergunta "Como funcionam closures em javascript?"). Exemplo:

function foo() {
    var x;
    function bar() {
        console.log(x + 1);
    }
    bar();
}
foo(); // Procura por <<Activation Object "bar" 1>>['x']
       //         ... <<Activation Object "foo' 1>>['x'] (encontrou)
       // e depois por <<Activation Object "bar" 1>>['console']
       //          ... <<Activation Object "foo" 1>>['console']
       //          ... window['console'] (encontrou)

Pois bem, de posse dessa explicação, pergunto: o que acontece quando escrevemos simplesmente:

window

// ou

function foo() {
    window
}
foo();

? A engine JavaScript vai fazer o mesmo que sempre faz quando encontra um identificador: procurar no Variable Object:

window   // Procura por window['window']

function foo() {
    window
}
foo();   // Procura por <<Activation Object "foo" 1>>['window']
         //         ... window['window'] (encontrou)

Ou seja: para que o programador consiga acessar o Global Object (window), ele precisa ter uma referência para si próprio (window['window'] ou simplesmente window.window). O mesmo vale para o node.js (global.global) e para qualquer outra implementação de JavaScript que exponha o objeto global aos programadores (se isso é obrigatório ou não de acordo com a especificação ECMAScript, não verifiquei).

A variável self (global) também se refere ao objeto window, conforme a especificação do w3.org. E quanto a top, ela pode ou não se referir a window, como explicado por @hernandes.

Fonte: a maior parte dessa resposta se baseou no artigo (em inglês) "Understanding delete".

  • +1 porque acho que responde melhor à pergunta, mas daria +10 pelo link para "Understanding delete". Tem uns pontos na resposta que achei meio confusos, mas eu não posso dizer nada porque na maioria das vezes eu sou uma pessoa confusa. De qualquer forma, vale muito a pena ler esse artigo em Inglês. – utluiz 27/01/14 às 10:43
  • 2
    Excelente! Só um detalhe: esse artigo do kangax (todos dele são ótimos, né?) está um pouco desatualizado, usa a terminologia do ECMAScript 3. Em ES5, variable object e activation object passaram a ser tratados como declarative environment records. – bfavaretto 27/01/14 às 12:53
4

self é definida no ambiente JavaScript e aponta para o objeto global, porém não faz parte da especificação do DOM, e pode não estar presente no navegador. Enquanto window é parte da especificação do DOM. Na maioria dos navegadores, window é usado como objeto global mas isso pode variar.

self == window.self não é uma coisa estranha, pois eles são na verdade, o mesmo objeto (quanto self é usada, é encontrado como sendo uma propriedade do objeto global (window)), então, isso é o mesmo que usar window.self == window.self.

Para ter uma referência concisa do objeto global, você deve definir por conta própria da seguinte forma (quando estiver no contexto global):

var global = this;

Por sua vês, top (window.top) é usada pra referenciar o objeto window mais superior, por exemplo, se você tiver vários frames aninhados, window.top irá referenciar a página principal e não os frames, top é usado para dectar se você está ou não dentro de um frame:

if(window.top != window.self) {
    alert("Estamos em um frame");
} 

O Porquê de termos window.window (propriedade window do objeto window) é para facilitar referenciar o objeto global, chamando apenas window dentro de frame, estamos referenciando o frame, window.window estamos referenciando o objeto global, independente de onde

  • Certo, self == window.self pode não ser estranho, mas e window.window == window? – bfavaretto 27/01/14 às 2:14
  • vou editar a resposta – hernandev 27/01/14 às 2:21
  • respondi após o < hr > – hernandev 27/01/14 às 2:25
  • 3
    @JoaoPaulo Não sei como o Hernandes aprendeu, mas geralmente esse tipo de coisa você vai pegando com um misto de experiência, pesquisa em documentações, fóruns como este, artigos e livros, além de muita curiosidade. Dificilmente vai existir uma fonte definitiva sobre qualquer assunto de tecnologia. – utluiz 27/01/14 às 10:32
  • 1
    @utluiz exatamente, e a Internet tem muito mais conteúdo que qualquer livro avançado. – hernandev 27/01/14 às 10:38

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.