2

Tenho um banco sqlite, para utilizar preciso do context, porém, mandar o context para o presenter e depois pro model seria uma violação do MVP, pois ele faz parte da view, faz parte do Android. Como eu usaria o context sem violar o MVP?

No caso, passar pro presenter seria assim:

interface Model {
    String getUser();
    String getPassword();
}

interface View {
    void showToast(String message);
    void emptyUsuarioEditText();
    void emptyPasswordEditText();
    Context getContext();
}

interface Presenter {
    void login(String user, String password);
    Context getContext();
}
2

Na verdade, você não precisa de um Context propriamente dito. O que você precisa é de uma referência a uma classe que extenda SQLiteOpenHelper.

Digamos, uma classe Database:

public class Database extends SQLiteOpenHelper {
...
}

Essa classe, por sua vez, precisa de um Context.

Existem várias formas diferentes de você passar uma referência desse Database para o seu model. Você pode criar um método static na sua classe Application que retorna pra você uma instância da classe Database.

public class MyApplication extends Application {
    private static MyApplication sInstance;

    @Override
    public void onCreate() {
        super.onCreate();
        sInstance = this;
    }

    public static Database getDatabase() {
        return new Database(getContext());
    }

    public static Context getContext() {
       return sInstance.getApplicationContext();
    }
}

Desse modo basta fazer no seu Model (ou no Presenter e envie dele para o Model):

MyApplication.getDatabase();

Apesar de funcionar eu não gosto muito dessa abordagem. Não acho certo fazer isso na classe Application.

Assim, você poderia ter uma classe, digamos: Injection. Onde você realiza "DI na mão".

public final class Injection {

    private Injection() {
        throw new IllegalStateException(Injection.class.getSimpleName() + " cannot be instantiated!");
    }

    public static Database provideDatabase() {
        return new Database(MyApplication.getContext());
    }
}

Uma outra alternativa ainda, é caso você utilize Dagger, por exemplo, deixar ele fazer a injeção de dependência automática da classe Database no seu Model.

  • Eu li sobre a solução da application, e dizem ser ruim pois atrapalha o teste, e é meio gambiarra (pelo que falam)... Eu também não posso utilizar o dagger – felipe.rce 28/09/17 às 18:30
  • Se eu eu enviar a classe Database para o presenter, estarei violando o MVP também? Não somente o sqlite, mas também existem outras coisas que usam context, como o sharedpreference... – felipe.rce 28/09/17 às 18:31
  • @felipe.rce Buscar o Context da Application utilizando a classe Injection não é gambiarra. Muitas vezes precisamos fazer isso pois precisamos de algo que exista por toda a aplicação. É por isso que é lá que inicamos algumas libs, como o Dagger. E isso não faz o Dagger ser gambiarra. Você só deve saber usar nos momentos certos. – Luiz 28/09/17 às 20:01
  • é que, muitas respostas no stackoverflow, apontam que manter o context estático na application não é uma boa solução (veja os comentários): stackoverflow.com/questions/39100105/… Praticamente todas perguntas por lá tinham respostas assim, e comentários apontando que é errado – felipe.rce 28/09/17 às 20:04
  • @felipe.rce Sobre a SharedPreferences: o que precisamos que fique claro é o seguinte: você não precisa do Context para essas tarefas e não deve passá-lo para o Model. Crie uma abstração para as preferences e passe a instancia dessa classe. De novo, você pode criar ela na Injection recuperando o Context da Application. Ou ainda criá-la no Presenter, passando o Context para a classe Injection não precisar buscar da Application. – Luiz 28/09/17 às 20:04

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.