13

O CoffeeScript compila seus arquivos dentro de um:

(function(){
  // código aqui
}()).callThis();

JSFiddle: http://jsfiddle.net/ZHrPp/

Algumas vezes encontramos na internet uma variação:

(function(){
  // código aqui
}());

JSFiddle: http://jsfiddle.net/pSK43/


Qual é a utilidade disso?

14

A principal utilidade destas IIFE (função imediatamente auto-invocada) é criar uma clausura para variáveis. Assim todas as variáveis defenidas dentro dessa clausura não são exportadas para o espaço global, e portanto não o poluíndo.

Essa funcionalidade tem a ver com o funcionamento normal das funções e como elas criam/alteram o escopo do código. O que é diferente aqui é que ele é imediatamente invocada/corrida e não fica à espera de ser chamada.

A outra razão importante é que as variaveis criadas ficam dentro daquele escopo e são libretadas da memoria depois da função correr, passando o seu valor para fora caso necessário (ver exemplo 2 em baixo).

Alguns exemplos práticos desta aplicação:

Exemplo 1:

(function(global){
  // código aqui
})(this);

Neste exemplo passamos para dentro da função o this do espaço global. No caso de javascript do lado do cliente isto será window mas no caso de Node.JS isto será o global.

Exemplo 2:

// #2479 - IE8 Cannot set HTML of style element
var canChangeStyleHtml = (function(){
    var div = document.createElement('style'),
        flag = false;
    try {
        div.innerHTML = '#justTesing{margin: 0px;}';
        flag = !!div.innerHTML;
    } catch(e){}
    return flag;
})();

Este exemplo em cima fiz para a biblioteca do MooTools para saber se o browser em que o código é corrido consegue mudar o HTML de um elemento <style>. Desta maneira a função corre (auto-invocada) retorna true ou false. Assim eu tenho essa informação guardada e posso usar no resto do meu código, e não preciso de correr mais essa função.

Exemplo 3:

var buttons = document.querySelectorAll('button');
for (var i = 0; i < buttons.length; i++) {
    (function () {
        var numero = Math.round(Math.random() * 20);
        buttons[i].addEventListener('click', function () {
            alert(numero);
        });
    })();
}

Este exemplo mostra um ciclo for no qual cada iteração corre uma IIFE. Essa função cria um escopo próprio que é passado e guardado. Assim a cada vez que clica num botão ele vai ter na memória o valor que lhe corresponde, sem ser re-escrito. Exemplo online: http://jsfiddle.net/dR8KG/, e já agora o mesmo exemplo sem a IIFE: http://jsfiddle.net/dR8KG/1/ - todos os botões têm o mesmo valor.

  • Agora não percebi, primeiro dizes: "Assim todas as variáveis defenidas dentro dessa clausura não são exportadas para o espaço global, e portanto não o poluindo" depois no fim dizes "Assim a cada vez que clica num botão ele vai ter na memória o valor que lhe corresponde". Afinal em que ficamos? Não percebi mesmo. – Jorge B. 8/07/14 às 12:51
  • @JorgeB. no caso do exemplo 3, as variáveis não estão disponíveis no espaço global. Elas ficam guardadas em memória e são chamadas dentro do event handler. Isto é muito util para evitar sobreescrever uma variável. – Sergio 8/07/14 às 12:53
  • 1
    Ah entendi, tu tens aquelas variáveis em memória e não vão mudar nunca, porque estão diretamente apontadas do botão, certo? – Jorge B. 8/07/14 às 12:55
  • 1
    @JorgeB. exato! dá uma olhada a à consola neste fiddle (jsfiddle.net/dR8KG/2) e depois tira os comments para a IIFE estar ativa. No primeiro caso o valor de numero é global e foi sobreescrito até fazer log só do ultimo valor que teve. No segundo caso (depois de tirares os comments //) a variável numero não está declarada, mas existe na memoria para cada botão. – Sergio 8/07/14 às 12:56
  • 1
    +1 Muito porreiro isso, percebi agora. – Jorge B. 8/07/14 às 13:00

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy