3

Tenho que desenvolver uma aplicação para Linux em C++ e queria saber se é uma boa usar o Visual Studio 2017 no Windows para tal tarefa?

Queria saber os prós e contras, pois vi que o VS possui uma extensão para tal.

4

Se é uma boa é uma questão de opinião e vou me abster.

É possível e muita gente faz. O C++ da Microsoft atende o padrão C++17 (o último deste ano) em quase 100% e, se não me engano, já 100% do C++14 ou pelo menos do C++11, o que poucas pessoas usam tudo isto que acabou de entrar na padrão.

O C++ vem com o Visual Studio e pode muito bem usá-lo. Algumas pessoas gostam de usar o Resharper C++ com complemento, ainda que ele tenha custo. Lembrando que o VS Community é bem completo e gratuito.

O compilador C++ permite fazer geração de executável cross platform, então mesmo no Windows pode gerar o executável para o Linux. É possível até mesmo depurar remotamente a aplicação no Linux. Mas ainda já é possível rodar o executável Linux no próprio Windows atual (tecnicamente é um container com um Ubuntu). Mas pode depurar como executável Windows e só no final gerar um executável Linux. Se fizer código portável, o recomendado, é tranquilo.

Pra meu fluxo de trabalho é como eu faria, principalmente a última opção.

  • Isso a algum tempo atras era impensavel! Linux e Windows era tipo agua e oleo, nao se misturavam. Sera que vamos ter um sistema operacional totalmente hibrido futuramente? – gfleck 15/09/17 às 14:43
  • Não, mas vão trabalhar cada vez mais juntos. – Maniero 15/09/17 às 15:25
1

Mesmo com a facilidade da compilação multiplataforma oferecida pelo Visual Studio 2017, ainda sim seria necessário uma implementação específica para cada sistema operacional.

Isso acontece pois os sistemas operacionais que implementam o padrão POSIX (tais como o Windows e o Linux), fornecem interfaces de programação (APIs) diferentes.

Mesmo utilizando uma linguagem de programação bastante portável tal como o C++, ainda sim seria necessário a implementação de um código específico para interagir com cada uma das APIs dos diversos sistemas operacionais existentes.

O mesmo acontece com a etapa de depuração, que sempre acontece em tempo de execução e sempre será feita de formas "não ortodoxas".

Se a questão da portabilidade e da compilação multiplataforma for um fator muito importante e relevante para seu projeto, talvez JAVA seja uma linguagem mais adequada do que o C++, o que descarta todas as complexidades aqui citadas.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.