2

Estou fazendo uma aplicação de emails(HapiJS) e descobri que alguns emails tem o texto dele codificado para base64, porém outros não.

Nessa minha aplicação precisarei receber emails de todos os serviços(Gmail, Hotmail, ...) e preciso fazer um método para verificar se o texto está em base64 ou não, para somente aí encaminhar para decodificação ou direto para o cliente.

Já procurei bastante e até agora não consegui achar nada que funcionasse 100% como eu preciso, e como sou novato em programação, ainda não possuo conhecimento suficiente para descobrir sozinho como fazer isso...

Código que estou usando para tentar verificar:

let base64 = /^([A-Za-z0-9+/]{4})*([A-Za-z0-9+/]{4}|[A-Za-z0-9+/]{3}=|[A-Za-z0-9+/]{2}==)$/;

        let isBase64Valid = base64.test(mail.text); // base64Data is the base64 string

        if (isBase64Valid) {   
            // true if base64 formate
            console.log('base64');
        } else {
            // false if not in base64 formate
            console.log('String');
        }
  • Ajudou bastante, esclareceu muita coisa, mas ainda não resolveu o problema... – LeonardoEbert 29/08/17 às 14:10
  • Então talvez seja uma boa hora para editar a pergunta e incrementá-la. Você já deve ter testado algum código, então coloque-o na pergunta e indique quais foram os erros ou dificuldades encontradas. – Anderson Carlos Woss 29/08/17 às 14:11
  • Usei alguns códigos do link que você me passou eles funcionam mas não corretamente, pois até os emails que estão em base64 ele está identificando como se não estivesse, e vou editar a pergunta e adicionar código nela para esclarecer melhor a dúvida – LeonardoEbert 29/08/17 às 14:18
  • Todo o e-mail está em base64 ou somente parte dele? – Alexandre Cavaloti 29/08/17 às 14:56
0

As strings em base64 tem apenas os caracteres de a-z, A-Z, 0-9,'+','/' e '=' ou seja, se existir qualquer caracter que não sejam estes, como por exemplo um espaço ' ', então essa string não está em base64. Esse é o teste que deve ser feito por regex.

Tente alterar o Regex para este aqui: ^([A-Za-z0-9+/]{4})*([A-Za-z0-9+/]{4}|[A-Za-z0-9+/]{3}=|[A-Za-z0-9+/]{2}==)$

Para codificar e decodificar utilize as funções btoa() para codificar e atob() para decodificar. Segue referência para as funções: JS base64 Encode and Decode

  • Muito obrigado Alexandre... – LeonardoEbert 29/08/17 às 17:14
  • 1
    Desculpe a opinião más não acredito que este regex esteja correto pois ele valida qualquer conjunto com comprimento múltiplo de quatro ex: "regexnaofunciona", "hoje", "errado+tanto+faz"... o correto seria envelopar em um try\catch o retorno da função atob usando a possível string encodada. Isso de fato definiria se a string foi encodada em base64 – Lauro Moraes 17/12/17 às 21:34
1

Usando javascript a abordagem mais correta de verificar se uma dada {String} foi (está) codificada em base64 no front-end é envelopando em um bloco try\catch o retorno da função atob() em comparação ao próprio retorno encodado visto que, a VM do javascript do navegador já lançará uma exceção no caso de falha.

Alguns exemplos aqui da comunidade StackOverflow (portuguesa, inglesa) dizem que a seguinte abordagem é o mais correto:

function isBase64(str) {
    try {
        return atob(str) ? true : false
    } catch(e) {
        return false
    }
}

Contudo esta abordagem está incorreta visto que o seguinte exemplo retornaria um "falso-positivo":

isBase64('jgjhgj hg') // true

Quando na verdade o retorno do exemplo acima usando atob() seria:

console.log(atob('jgjhgj hg')) // "á8`"

A abordagem front-end mais correta

O correto seria "encodar" a "decodificação" e compara-lá a entrada assim:

function isBase64(str) {
    try {
        return btoa(atob(str)) === str ? true : false
    } catch(e) {
        return false
    }
}

Deste modo refuta-se os casos de "falsos-positivos":

isBase64('jgjhgj hg') // false

No back-end (NodeJs)

Não exitem funções nativas em NodeJS como btoa() ou atob() por isso é muito comum o uso de módulos de terceiros ou o uso de Buffer para se chegar ao mesmo resultado.

É importante ressaltar que nem todas as bibliotecas de terceiros reportam "exceções" ou fazem uma comparação contra a entrada e assim é fácil passar por "falsos-positivos".

O seguinte exemplo utiliza Buffer para encodar e decodificar além de verificar contra a entrada:

function atob(str) {
    return new Buffer(str, 'base64').toString('binary');
}

function btoa(str) {
    let buffer;
    if ( str instanceof Buffer ) {
        buffer = str
    } else {
        buffer = new Buffer(str.toString(), 'binary')
    }
    return buffer.toString('base64')
}

function isBase64(str) {
    try {
         return btoa(atob(str)) === str ? true : false
    } catch(ex) {
        false
    }
}

Testando é possível perceber que não reporta "falsos-positivos":

console.log(isBase64('SGVsbG8gV29ybGQh')) // true

console.log(isBase64('jgjhgj hg')) // false

O uso de RegExp (questão opinativa)

Se não é possível creditar que a entrada (origem) da {String} de fato seja encodada (e por isto a necessidade de verificação) nem sempre o uso de RegExp deve ser entendido como "a melhor opção" o seguinte exemplo expressa esta questão:

function isBase64(str) {
    return /^([A-Za-z0-9+/]{4})*([A-Za-z0-9+/]{4}|[A-Za-z0-9+/]{3}=|[A-Za-z0-9+/]{2}==)$/.test(str)
}

isBase64('SGVsbG8gV29ybGQh') // true

isBase64('jgjhgj hg') // false

isBase64("regexnaofunciona") // true

isBase64("hoje") // true

isBase64("errado+tanto+faz") // true

A expressão acima é falha pois valida qualquer {String} com comprimento de 4 ou múltiplo de 4.

Vale ressaltar que se não é possível afirmar que a {String} de entrada de fato foi encodada em base64 não existe garantia que o RegExp acima não valide-a formando assim um "falso-positivo".

  • Excelente resposta, buscando abstrair os falsos-positivos coisa que acontece com bastante frequência principalmente falando de javascript. – Paulo Roberto 18/12/17 às 10:56

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.