2

Estava tentando utilizar o Thread do Python para paralelizar o meu código porém me esbarrei em um problema: quando mando criar as Threads, a quantidade delas ultrapassa 1.000 Threads facilmente, o que, a partir de 140, todas começam a dar erro. Pesquisando um bocado eu achei o joblib, mas não achei nenhum exemplo de como usar com funções minhas... Por exemplo, quero uma função, criada por mim, que tem 3 parâmetros, e essa função está dentro de um for, que será repetido milhares de vezes...

repeticoes = 10000
for i in range(repeticoes):
    minha_funcao(data[i], top, param3)

Eu usaria assim?

from joblib import Parallel, delayed
Parallel(n_jobs=4, verbose=1)(delayed(minha_funcao)(data[i], top, param3) for i in range(repeticoes))
1

Threads criam uma "linha de processamento paralelo" dentro do seu programa - mas não fazem mágica: todas usam recursos e fazem exatamente o que você manda.

Garantir que um dado programa não crie mais que um número ótimo de threads (que dependendo da natureza do programa pode variar - um programa que seja intensivo em cálculo e uso de processamento não se beneficiará de mais que uma thread por núcleo lógico da sua CPU(*) - enquanto que threads que dependam de tempo de resposta a requisições de rede ou a periféricos podem se beneficiar de um número maior).

  • Em Python puro também não resolve muito ter várias threads se o problema for processamento - apenas uma thread de código Python é executada por vez, não importa quantos núcleos físicos você tenha, devido a uma característica na implementação da linguagem

De qualquer forma, uma lógica do tipo: "se o número total de threads já em execução for maior que 'MAX_THREADS' (um número que você avaliou ser o ótimo), apenas anote a tarefa, e a execute numa das threds já criadas quando uma das tarefas em execução for concluída". Essa lógica não é tão difícil de implementar de forma simples - mas se torna complicada a medida que queremos o máximo de eficiência, e dar conta de todos os "corner cases" e sempre fazer a "coisa certa".

Por conta disso, a biblioteca padrão do Python (a partir da versão 3.2) implementa objetos conhecidos como "Futures" e "threadpools" - que implementam exatamente essa lógica. Sugiro ler sobre "concurrent.futures" e implementar o seu programa usando concurrent.futures.ThreadPoolExecutor. (E se o seu problema for intensivo em processamento, ProcessPoolExecutor - dessa forma todos os núcleos do processador podem ser usados)

  • Então, a ideia é fazer o meu código funcionar na minha máquina atual, mas será colocado em produção mesmo em um servidor com muitos núcleos (mais de 64 só em 1 nó, que talvez utilizarei somente esse). Tenho muita leitura de arquivos e gravação em banco, por isso pensei na concorrência. Acha que convém manter essa biblioteca que você sugere? – Wandré Veloso 14/08/17 às 10:43

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.